segunda-feira, março 30, 2020

CAPELA DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO

ANTIGAS CAPELAS 
DA
 TERRA ALBICASTRENSE

Existiu na antiga rua de Bela Vista, actualmente denominada de S. Jorge, no local onde hoje se encontra uma casa de habitação (Casa Zarita), pertencente ao industrial Elísio José de Sousa. Era também conhecida pelo nome de Capela de S. Jorge, porque nela se guardava a imagem que havia pertencido à Igreja de S. Miguel da Sé e que era conduzida sobre um cavalo na procissão do Corpo de Deus. 
Esta capela que pertenceu a D. Joana de Pina e posteriormente ao Dr. Joaquim de Albuquerque Caldeira, foi construída no século XVIII no estilo barroco e demolida no segundo quartel do século XX.
PS. A primeira imagem foi captada quando da abertura da Avenida Nuno Álvares, (anos 30 do passado século). 
Nela é bem visível a Capela de N. Senhora da Conceição. A segunda imagem onde também é bem visível a nossa Capela, terá sido captada no início do mesmo século, ela mostra-nos  um pequeno ajuntamento de casas conhecidas por Carreirinha, numa dessas casas viveram uns avós meus. 
Conjunto de casas que existia entre (transportando para os dias de hoje), o  Montepio Geral e o atual edifício   da nossa autarquia. Casas que foram mandadas abaixo para permitir a abertura da Avenida Nuno Álvares.  
RECOLHA DE DADOS: "Castelo Branco na História e na Arte",
de Manuel Tavares dos Santo. Edição de 1958.
O ALBICASTRENSE

domingo, março 29, 2020

VELHAS IMAGENS DA TERRA ALBICASTRENSE

RESPONDE QUEM SABE.
(Imagem das primeiras décadas  do Século XX)

Esta imagem é uma verdadeira pérola, jóia encontrada por mim na interne-te  sem quais queres dados sobre a mesma.
Ao olhar para esta imagem, não pude deixar  de pensar o seguinte: Quem será este homem? Não querendo vestir a pele de bruxo, eu diria que este senhor todo engravatado e bem compostinho, parece  ser um turista de passagem pela terra albicastrense daquele tempo.
Pessoa que ao passar pelo Vaz Preto (que na altura estava por ali), resolveu captar esta imagem para mais tarde recordar.
Contudo a pergunta que aqui deixo não é sobre este homem, mas sobre a capela que se pode ver na imagem.         
    QUE CAPELA SE PODE VER NESTA IMAGEM?
O Albicastrense

quinta-feira, março 26, 2020

A TERRA ALBICASTRENSE NO FINAL DO SÉCULO XVIII - (I)

TRABALHO DA AUTORIA DO 
CORONEL VASCO DA COSTA SALEMA.

Um bem conservado manuscrito, a que infelizmente, faltam umas oito páginas, “Rol dos Confessado da freguezia da Santa Sé desta cidade de Castello Branco na Quaresma do prezente anno de 1794”, presta interessantes informações sobre Castelo Branco nessa época, tanto sobre toponímia e onomástica local, como sobre o censo populacional e costumes sociais.
Consta, atualmente, da capa e 59 páginas, todas completas, e é de fácil leitura, salvo algumas abreviaturas. Está feito segundo os fogos de cada arruamento, numerados aqueles de 1 a 606, faltando, porem, os números 232 a 307, ambos inclusive, o que corresponde talvez a 4 arruamentos, como o nº 76 repetido e indica em cada fogo, as pessoas que nele habitam, com a respetiva situação familiar ou servil, ocupando. Idade, etc, e a que preceito satisfizera: se só se confessaram ou se confessaram e comungaram. As crianças, mesmo as de mais tenra idade, estão também escrituradas, apesar de não serem satisfeitos nenhum dos preceitos.
Depois de relacionados os fogos urbanos so fogos rurais da freguesia, os das hortas e quintas, da S. da Piedade e da S. Bartolomeu, dos Lentiscais e do Monte dos Cancelos, e ainda, a cadeia, considerada como fogo e com 15 presos, doze homens e três mulheres. E “48 Pessoas que não têm domicilio certo”, 45 homens e mulheres.
O Rol, propriamente, termina no final da pagina 57, tendo escrito na margem da pagina 56 o seguinte: “este Rol já tem 54 annso. Anton Gil Frazao Gordª Castello Branco”. Na página 57 o Vigário faz um resumo do Rol, o qual se transcreve:

Almas      -------------------------     2$876
Fogos     --------------------------         606
Pessoas de Confissão     --------     1$932
Pessoas sem Confissão  --------         184

Consta esta freguesia de S. Miguel Cathedral deste Bispado de duas mil outo centos Cento e Setenta e Sete almas; de Seis Centos e Seis fogos; de Pessoas de Confissão e Comunhão de mil nove Centas e Trinta e duas, e de Pessoas só de Confissão de Cento e outenta e quatro; Todas as Pessoas de obrigação Satisfazerão ou cumprirão com preceito da quaresma do prezento anno em tãobem o que certifico e juro sendo (necessário?) algumas se oubzentarão, e observarei a este respeito o que determina a Constituição castelo Branco 17 de Myo de 1794
O vigário  Manuel Martins Pelejão. 
A página 58 traz, num total de 4 pessoas, sem outra indicação e escritos com outra letra e tinta, os quais foram considerados neste trabalho. Na pagina 59, última como se disse, transcrevem-se vários parágrafos da Constituição do Bispado que regulam o modo de proceder dos Párocos e dos Paroquianos quanto á desobriga Pascoa. 
TOPONÍMIA ALBICASTRENSE
Os diferentes arruamentos e números dos seus fogos são, pela ordem do rol:            
             Rua de Corredoura                       ---- 23 - fogos
  Corro                                       ---------  8  
Arrabalde da Fonte Nova       --------  27
 Arrabalde dos Oleiros              -------- 36
 Arrabalde da Cidade                -------- 23
 Adro de S. Miguel                  ---------  12
 Postigo de Valadares             ----------  7
Carreirinha                             ---------- 8
Moreirinha                             --------- 31
Arrabalde de S. Sebastião    --------- 16
Rua do Pina                          ----------  6
  Rua da Ferradura                 ---------- 41?
Ruas ?                           --------- (2) - 95
Rua do Saco                  --------  (3) -- 2
Praça                                     ---------- 4
Relógio                                  ---------- 9
Rua Nova                              --------- 15
Rua dos Peleteiros               --------- 34
Rua do Bispo                        ----------  4
Rua dos Ferreiros              ----------  46
Rua dos Oleiros                   ---------  28
Travessa da Misericórdia        -------- 3
Rua da Misericórdia              ---------- 9
 Rua d`Ega                              -------- 30
 Rua de Pedro Homem        - --- (4) - 15
 Rua do Muro                        ---------- 10
 Rua Jorge Boino              ------- (4) -- 6
              Rua do Caquelé                    ----------  4             
O que perfaz 547 fogos, a que tem de se acrescentar o correspondente à cadeia, nº 605, que não está incluída em qualquer destes arruamentos, pelo que na parte urbana da freguesia há  548 fogos, sendo os restantes 59 fogos respeitantes à parte rural, pois o numero fogos total é de 607 e não de 606, como o vigário Pelejão, por o nº 75 estar repetido, como se disse
(2) É na relação da Rua da Ferradura que se passa do fogo nº 231 para o nº 308. Ficasse, por isso, sem saber se a referida rua ficou completa ou se tinha mais fogos. Também se fica sem saber a que rua pertencem os fogos nº 308 a 326, ambos inclusive. Pode-se admitir que os 76 fogos em falta pertenceriam alguns ainda à rua da Ferradura e os restantes à Devesa e a outras ruas.
(3) Esta Rua do Saco era o Beco  que havia na Praça, entre o edifício da Câmara e o Celeiro da Ordem de Cristo, e que desapareceu por a Câmara ter autorizado o proprietário sr. A. C. Abrunhosa a fechá-lo  com um portão, incorporando-o no prédio que ai possuíaNão tem pois relação com a actual Rua do Saco, beco ao Largo do Espírito Santo.
(4) Desconhece-se a que rua actualmente corresponde.
Ps. Parte do trabalho aqui apresentado, tem o Português do finaL do século XVIII 
(Continua)
O ALBICASTRENSE

segunda-feira, março 23, 2020

HERÓIS DE CARNE E OSSO - (II)

EM  ESPANHA, 3.912 PROFISSIONAIS DE 
SAÚDE ESTÃO CONTAMINADOS.
23-03-2020
Oitenta e dois médicos e mais de oitenta enfermeiros estão neste momento infetados com o Coronavírus em Portugal. Perante esta tragédia, então não é, que um conjunto de estúpidos e ignorantes para não lhes chamar outros nomes, se dão ao desplante de ir passear para onde muito bem entendem, como nada se passasse!
Será que esses "pessoas" desconhecem que ao fazerem esses passeios, podem estar a contaminar-se a si próprios, mas também a todos aqueles que amam! Esta é uma luta de todos e não uma luta de alguns, quem pensar o contrário, está a cavar a sua própria sepultura e daqueles que ama.
                                                     O ALBICASTRENSE 

RUA DOS FERREIROS

"VENDE-SE UMA RUA"

Ao passar  na passada semana na rua dos Ferreiros, fui surpreendido pela quantidade de letreiros a anunciar a venda de velhos prédios nessa rua, palavra que cheguei a pensar que a rua estava toda ela à venda.

Uma dessas casas vangloria-se de ter um portado quinhentista com uma inscrição fantástica. 
Portado que dá brilho a esta publicação.

Confesso que ao passar por ali, e ao olhar para o portado e para a casa a que ele dá entrada, me deu um calafrio de indignidade que me levou a perguntar a mim próprio, o seguinte: 
Como foi possível terem deixado chegar esta rua, ao miserável
estado em que ela se encontra?
Para terminar, só posso ambicionar que rapidamente alguém que muita guita possa comprar boa parte dos prédios em ruínas, para transformar uma rua defunta, numa rua cheia de vida.
O ALBICASTRENSE

sábado, março 21, 2020

HERÓIS DE CARNE E OSSO - (I)


 HERÓIS 
DE 
CARNE E OSSO.

Cerca de 60 médicos estão infetados pela covid 19 e mais de 200 estão sob observação.
Não sei os números relativos aos enfermeiros nem ao pessoal auxiliar, contudo, pondero que sejam muito superiores. 
Numa altura em alguns põem em risco a sua própria vida e a dos seus familiares para poderem amparar quem está infectado, não podemos deixar de louvar estes profissionais e publicamente elogiar tal comportamento.

Sem mais palavras e sem quais-queres demagogias, pois o tempo não está para isso, o meu bem-haja a estes profissionais pelo admirável trabalho que estão a desenvolver. 

Palavras de alguém que está em casa há cerca de 8 dias. 

O ALBICASTRENSE

sexta-feira, março 20, 2020

249 º ANIVERSÁRIO DA CIDADE DE CASTELO BRANCO

 CASTELO BRANCO 
1771 - 2020

ESTE É UM ANIVERSÁRIO SEM FESTEJOS, CONTUDO,
ESTOU CONVENCIDO QUE NO PRÓXIMO ANO, ESTAREMOS AQUI A CELEBRAR 0 250º ANIVERSÁRIO DA TERRA ALBICASTRENSE COM MUITA ALEGRIA.
😢😢😢😢😢😢
ALBICASTRENSE

terça-feira, março 17, 2020

TODOS CONTRA A COVID - 19

Numa altura tão difícil para todos nós, este blogue vai falar menos da terra albicastrense  (durante algum tempo), e falar mais do que nos atormenta  a todos, a Covid-19.

ESTA É UMA LUTA 
DE TODOS !!

QUEM ASSIM NÃO PENSAR, ESTÁ A DAR TIROS NOS PRÓPRIOS 
PÉS E A POR EM PERIGO A VIDA DE TODOS NÓS.

COMO AJUDAR NESTA LUTA TÃO DIFICIL?

Sendo responsável, não entrar em pânico, não cair no manda abaixo e acima de tudo, apoiar e louvar quem põem em perigo a sua própria vida para ajudar quem necessita.
Médicos, enfermeiros e auxiliares de saúde, são profissionais que todos temos que apoiar e acarinhar, são eles que diariamente colocam em perigo as suas próprias vidas. 
Peço a todos aqueles que queiram publicar neste blogue, situações positivas sobre os profissionais de saúde que diariamente põem em risque as suas próprias vidas (de negativas já chega a Covid-19), o podem fazer, deixando na janela de comentários os seus testemunhos. Depoimentos que eu depois irei publicar como postes. 

UM CONSELHO A QUEM QUISER AQUI DEIXAR TESTEMUNHOS:

O momento é de união e não de mandar abaixo quem quer que seja, por isso, apelo à união de todos e não ao manda abaixo destes ou daqueles.
Ps. Deixem os trabalhos que quiserem ver publicados neste blogue, na caixa de comentários, para que eu possa depois publica-los. 
O ALBICASTRENSE

sábado, março 14, 2020

ENCICLOPÉDIA - (43)


REGISTOS PAROQUIAIS QUINHENTISTAS

Aos XX dias do sobredito mês de junho do sobredito anno eu antonio lopez com licença do vigario boutizei a pedro filho legitimo  de antonio aires botiquario e (de) caterina aires sua molher forão padrinhos os L. francisco lopez e gaspar de soveira e isabel mansa e micia lopez e asinei.
---------------------
Catarina Aires, filha de Filipe Rodrigues (presumivel irmão do Dr. Joao Rodrigues, famoso medico albicastrense mais conhecido por Amato Lusitano), casou a 22-4-1563, na igreja de S. Maria com Antonio Aires, boticario por carta dada em Lisboa a 20-3-1562, depois de ter sido examinado pela L. do Leonardo Nunes fisico-môr de d’ El-Rei D. Sabastiao (in Laços Familiares de Amato Luistano e Montalto pelo Dr. Jose Lopes Dias).
Além do que aqui vai registado foram seus filhos: Isabel Aires que casou 2 vezes, sendo a 1ª com Estacio Coelho e a 2ª com Pedro Lopes de Lucena, critão-novo; Filipe Rodrigues, ilustre medico albicastrense mais conhecido pelo nome de Filipe Montalto; Paulo Aires, casado com Ana Lopes; L. do Francisco de Luna, formado em Medecina pela unvirsidade de Coimbra que foi perseguido pelo Santo Oficio, como cristão-novo e praticante das regras judaicas, saiu reconciliado no auto de fé que se realizou a 2-9-1626 na Ribeira, em Lisboa; L. Diogo da Luna, formado em Leis pela Universidade Coimbra, exilou-se em Anvera, onde casou; e Marquesa de Luna que casou com Fernandes Correia.
O ALBICASTRENSE

sexta-feira, março 13, 2020

O NINHO DAS CEGONHAS NO CIMO DA CHAMINÉ

DEZ DIAS FOI O TEMPO NECESSÁRIO   PARA AS 
CEGONHAS  REFAZEREM   O  SEU NINHO
                                                                O ALBICASTRENSE

terça-feira, março 10, 2020

CONCURSO DO VESTIDO DE CHITA - 1970


50 ANOS DEPOIS!!! 
CONCURSO DO VESTIDO CHITA.  

Perante estas imagens, não posso deixar de 
perguntar o seguinte.
Seria possível nos dias de hoje, realizar um
 evento como este? 
Este concurso chegou a juntar no antigo parque 
da cidade, mais de 20 mil pessoas.
O ALBICASTRENSE

domingo, março 08, 2020

ZONA HISTÓRICA - (UMA SURPRESA PARA QUEM POR ALI PASSA).


UMA BOA NOTÍCIA
 😋😌😍😊😉
Muitas vezes tenho aqui lamentado a triste situação urbanística em que se encontra a nossa zona histórica. 
Na passada sexta-feira ao percorrer a rua do Arco do Bispo em direção à rua do Muro, fui surpreendido com a recuperação do prédio que pode ser visto na imagem.
Confesso que fiquei de queixo caído perante esta beleza, a surpresa foi de tal ordem, que se tivesse dentadura ela teria caído borda fora da minha boca.
Não conheço o responsável por este belo trabalho, por isso não posso dar-lhe os parabéns pessoalmente, porem, sempre posso aqui escrever que quem o fez merece o bem o bem-haja dos albicastrenses.
O ALBICASTRENSE

quarta-feira, março 04, 2020

EM DEFESA DE UMA CHAMINÉ CENTENÁRIA.


O TRUCA - TRUCA DAS CEGONHAS

Podem ter derrubado o ninho,
podem  crer derrubar a linda chaminé,
porém…  o que não conseguem,
é tirar o gozo das Cegonhas,  pelo truca-truca.

Parece que a insistência de alguns albicastrenses, em não deixarem cair a situação da velhinha chaminé está a dar frutos, ou seja, finalmente alguém vem a publico dizer alguma coisa. Parabéns à Quercus pelo seu esclarecimento.

 ESCLARECIMENTO SOBRE O NINHO DE CEGONHA
A Quercus C.B tem estado a acompanhar esta situação nas últimas semanas. O ICNF autorizou a remoção de um ninho até 29 de Fevereiro, condicionado a não existência de postura por parte deste casal de cegonhas. Foi comprovado com drone que não tinha postura e foi retirado legalmente a 27 de Fevereiro, num processo mal conduzido tecnicamente, dada a época tardia que foi realizado , sem transferência ou colocação de ninho artificial alternativo e sem modificação na estrutura.
Como habitual nestas situações a cegonha de imediato voltou a construir outro ninho no mesmo local. Ninho para o qual não existe licença de remoção, logo é completamente ILEGAL remover este novo ninho.
A licença passada pelo ICNF caducou a 29/02/20! Ontem a empresa que esta a fazer a obra deliberadamente procedeu à queima de madeiras na chaminé para tentar afastar as cegonhas do local, o que é ilegal e viola o decreto-lei 140/99 que protege as espécies selvagens e os seus locais de nidificação. Assim como o elementar civismo e bom senso... Uma das cegonhas mudou de cor e estava cheia de fuligem por permanecer no ninho apesar do fumo... Hoje estivemos no local com as autoridades e foram dadas instruções pelas autoridades para pararem com o fogo e respeitarem a lei.
Ao que pudemos apurar a chaminé é para ser arranjada. Esperemos que este processo siga melhor acompanhado tecnicamente, cumprindo a lei e salvaguardado a preservação deste "icone" da cidade.
                       (Imagens captados hoje no local 4-02-2020)´
                                             O ALBICASTRENSE

terça-feira, março 03, 2020

TOPONÍMICA ALBICASTRENSE


    RUAS E PRAÇAS 
DA 
TERRA ALBICASTRENSE

Em 2008 publiquei aqui um poste sobre a Rua Joaquim Martins Bispo Júnior (Bairro do Socorro). Nele alertava para  o facto da rua ter o nome de um ilustre albicastrense, mas não ter a mesma placa toponímica, tendo ido nessa altura à nossa autarquia a relatar esse facto. 
Doze anos depois passei pela referida rua e verifiquei, que a mesma continua órfã de placa !!!  Que raio se passa com os responsáveis por este trabalho na autarquia da terra albicastrense? 
Palavra que não consigo encontrar palavras para este tipo de desmazelo, espero que depois deste reparo a placa seja finamente colocada na rua.

QUEM FOI
JOAQUIM MARTINS BISPO JÚNIOR?

Joaquim Martins Bispo nasceu a 28 de Junho de 1868, filho de João Martins Bispo, sapateiro e de Quitéria de Jesus ambos naturais de Castelo Branco, e moradores na rua dos Ferreiros. Casou com Amélia Gil, na igreja paroquial da freguesia e concelho de Castelo Branco, no dia 12 de Outubro de 1895.
Comerciante de grande prestígio na cidade, onde ganhou o título de decano dos comerciantes albicastrenses da sua época.
Entre os muitos empreendimentos em que esteve envolvido na cidade de Castelo Branco, podemos destacar: construção do antigo Hotel Turismo, melhoramentos no jardim do paço, construção do Cine-Teatro Avenida e na constituição da corporação de bombeiros voluntários de Castelo Branco.
Fundador da antiga casa a “Popular”, que na altura teve direito a noticia nos jornais da cidade. A loja foi criada num edifício propositadamente construído para o efeito na rua Mousinho Magro, prédio que ainda hoje existe. Foi Presidente da Câmara Municipal, Vereador, Administrador do Concelho, Vogal da Junta Geral do Distrito, Presidente da Associação Comercial, e Diretor do antigo Teatro de Castelo. Joaquim, faleceu em Castelo Branco no dia vinte e seis de Maio de 1956, com a bonita idade de 88 anos.
                                                    O ALBICASTRENSE

domingo, março 01, 2020

TRÊS FASES DE UMA CENTENÁRIA CHAMINÉ

Três imagens do início das obras.
Três imagens durante o manda abaixo do ninho.  
Três imagens mostrando o  regresso da cegonha à chaminé, já sem o ninho.
😒😜 😞😠 😡😢
QUE PODEM OS ALBICASTRENSES FAZER, PARA SALVAR UMA 
CHAMINÉ CENTENÁRIA?
Também eu me questiono: "Que posso eu fazer para ajudar a salvar uma pobre chaminé centenária?"
Confesso que depois da derrocado do ninho, fiquei mais pessimista sobre o futuro da nossa lindinha, todavia, enquanto ela estiver de pé irei continuar a acreditar que a sua continuidade é possível no futuro complexo comercial do Continente. 
Por isso, o único pensamento que me ocorre, é que cada um dos albicastrenses que acreditar nesta causa (coisa tão esquecida nos dias de hoje), enviem um email para o grupo continente de Castelo Branco e para a nossa autarquia, a pedir a continuidade da nossa lindinha no local.
Emails enviados por mim.
SONAE
Serve este email para apelar ao grupo SONAE, a continuidade de uma Chaminé Centenária no espaço onde está a ser construída a vossa nova unidade em Castelo Branco. A destruição desta chaminé, irá apagar definitivamente o registo físico de uma época que a todos compete defender. Estou convicto que o grupo SONAE, não gostará de ver o seu nome ligado a um feito que muito entristece os albicastrenses e empobrece culturalmente a terra albicastrense.  
Veríssimo Bispo 
AUTARQUIA ALBICASTRENSE
Serve este meu email para apelar aos responsáveis da minha autarquia, a salvaguarda de uma Chaminé Centenária no espaço onde está a ser construída a nova unidade do grupo Continente. O seu manda-abaixo irá apagar o último vestígio físico de uma época no local. Meus amigos, ignorar este meu apelo, torna cúmplices aqueles que nada fizeram ara o impedir, podendo até dizer, que a história se encarregara de os julgar.
Abraço
Ps. Os endereços electrónicos das duas entidades, podem ser encontrados na Internet (eu já enviei um email a cada uma das entidades). 
O ALBICASTRENSE

O AMOR E A MORTE... NOS ANTIGOS REGISTOS PAROQUIAIS ALBICASTRENSES – (17)

Por Manuel da Silva Castelo Branco XIII - QUANDO A GUERRA BATE À PORTA.  II Parte - A Guerra da Sucessão de Espanha (1704).    Nos seis Ass...