terça-feira, agosto 31, 2021

ANTIGO QUARTEL DA GUARDA FISCAL DE CASTELO BRANCO

O ABANDONO MORA AQUI!

PROMETIMENTO QUE DEVIA EVERGONHAR A PESSOA QUE O FEZ.


Uma das coisas que muito me entristece na terra albicastrense, é a proclamação de muitos projetos por parte na nossa autarquia, projetos que depois se quedam olvidados nas gavetas dos senhores que os profetizaram. 
A recuperação do antigo Quartel da Guarda Fiscal é um desses casos.

Em tempos um antigo presidente da nossa autarquia, deslocou-se ao local acompanhado pela sua brigada partidária para anunciar a recuperação do dito cujo. Finda a visita ao Quartel, o cortejo bebeu o seu cafezito do café do “Zé Caixinhas”. Segundo fonte (muito digníssima), o presidente entrou no café com o seu sorriso de promoção dentífrico e conversou com o Zé.
Segundo a mesma fonte, consta que o Zé ficou de queixo caído quando viu o presidente, pois embora tenha votado nele, o malandro nunca por ali passou a agradecer-lhe o votito. 
Ainda segundo a mesma fonte, o presidente verbalizou ao Zé, que a sua clientela iria aumentar consideravelmente com a transformação do quartel em Cal Center. 
O Zé agradeceu a visita e a promessa, mas... não lhe ofereceu o café, pois, de gente que muito promete e pouco realiza estava ele farto.
Passados não sei quantos anos, o quartel contínuo ao abandono, e o Cal Center nunca saiu do papel. O “Zé Caixinhas” continua à espera da freguesia prometida, declarando ele a quem o visita, que os políticos são todos uma cambada de mentirosos e aldrabões.
O texto que acabou de ler relata uma visita real, porém, em vez de a relatar tal como aconteceu, preferi brincar com ela satirizando-a. Se não achou graça paciência, se achou, deixe comentário. 
O ALBICASTRENSE

quarta-feira, agosto 25, 2021

ZONA HISTÓRICA DA TERRA ALBICASTRENSE

IMAGENS DA RUA NOVA

Numa altura em que se disputa a liderança da autarquia da terra albicastrense, tenho para mim que este é o momento de confrontar aqueles que disputam essa liderança, sobre a triste situação da nossa Zona Histórica.   
Não vou aqui apelar ao voto em quem quer que seja, nem dizer que determinado candidato é melhor ou pior que todos os outros, mas, sempre posso argumentar que os últimos senhorios da nossa autarquia, foram uma autêntica desilusão para este albicastrense.
Apelava aos albicastrenses, que “massacrassem” os seus candidatos com questões sobre a referida zona, pois este é o momento.
Será que vamos esperar que o sujeito que ganhe dê continuidade, “
Ao deixa andar, ou, que quem vier depois de mim faça o que quiser”. 
Aos albicastrenses eu aconselho (desculpem a minha ousadia), uma visita à Zona Histórica da sua cidade, para depois poderem exigir aos seus candidatos um compromisso de honra na sua recuperação.
                                

  Terminava afirmando que em homenagem aos nossos antepassados, a recuperação da velha urbe albicastrense é um dever e uma obrigação dos albicastrenses de hoje.  

                O ALBICASTRENSE

terça-feira, agosto 24, 2021

MEMORIAS DA TERRA ALBICASTRENSE

AOS VISITANTES.
Onde podíamos nós ver este empedrado ainda não há muitos anos? 
Uma pequena ajuda: 
Era na terra albicastrense, num local muito querido dos albicastrenses.
O resto fica para quem me visita.

O ALBICASTRENSE

sexta-feira, agosto 20, 2021

REVIVER O PASSADO DA TERRA ALBICASTRENSE EM IMAGENS

"EXPOSIÇÃO" 




                                                                    O ALBICASTRENSE

terça-feira, agosto 17, 2021

RECUPERAÇÃO DO FERRINHO DE ENGOMAR

 UMA BOA NOTÍCIA


UM PRÉDIO CHEIO DE HISTÓRIA

Muitas foram as vezes que aqui barafustei contra a situação em que se encontrava o nosso Ferrinho de Engomar (nome dado ao prédio que se pode ver nas imagens em tempos passados)Ontem ao de passar à porta do dito cujo, constatei que finalmente a sua recuperação vai ser uma realidade. 
Segundo me foi dito em tempos, parece que o prédio vai servir de hostel! Não sei se é verdade, contudo, estou a vender pelo mesmo preço que a comprei. 
Confesso que gostava de ver ali algo mais que uma espécie de residência, mas… como não se podemos ter sempre o que desejamos, agradeço desde já a sua recuperação. Vamos aguardar para ver como as obras se vão desenrolar, coisa que irei acompanhar de perto--------------------------------------------------------------------------

Publicação colocada neste blogue, em Janeiro de 2008.


Edifícios da Minha Cidade

"FERRINHO DE ENGOMAR"

Dos muitos edifícios de Castelo Branco que já aqui falei, este é sem qualquer dúvida, um dos mais emblemáticos da nossa cidade. Durante muito tempo este edifício foi conhecido por “O Ferrinho de Engomar”.
Foi mandado construir na primeira década do século XX, por Gonçalo Xavier de Almeida Garrett. Passados mais de cem anos, o edifício continua a pertencer à família Garrett. Foi autor do projecto, Manuel dos Santos Sal.
A sua construção deve-se em parte às obras realizadas naquela zona da cidade no início do século XX. Alexandre de Proença de Almeida Garrett enviou à autarquia albicastrense, uma carta, onde pedia autorização e se justificava para a construção deste bonito edifício.

Aqui fica um pequeno extracto da carta enviada em 1911

Achando-se em construção nesta cidade, uma série de casas novas, no quarteirão de que faz parte uma casa de que é possuidor, que tem frentes para a Praça Nova e Becco da Paqueixada, que tendo conhecimento do desejo de V.Ex. em aformosear este local, para o que seria necessário demolir esta casa, a fim de a reconstruir de novo, segundo as cotas e alinhamento aprovados pela Câmara; que sendo seu maior empenho
contribuir, quanto em suas forças caiba para o aformoseamento e beneficiamento desta cidade, alem de estimar satisfazer aos desejos da Comissão Municipal de Castelo Branco” (Escrito em Português da época).
Passados quase cem anos, após a sua construção, “O Ferrinho de Engomar” encontra-se actualmente em estado de degradação avançada, as fotografias aqui apresentadas são demonstrativas do seu precário estado de saúde, dos quatro pisos do nosso prédio apenas o rés-do-chão onde existe um estabelecimento comercial e o primeiro andar onde mora uma viúva são habitáveis o resto esta ao mais completo abandono. 
Estarão os albicastrenses condenados a ver os edifícios da sua cidade a cair de podre? Até parece que os nossos edifícios são frutos de uma qualquer árvore a morrer de velhice e os seus frutos contaminados por falta de vitaminas…
                                                                  O ALBICASTRENSE

domingo, agosto 15, 2021

A TERRA ALBICASTRENSE NO PASSADO

          
TOPONÍMIA ALBICASTRENSE 
EM
 FINAIS DO SÉCULO XVIII

(DIFERENTES ARRUAMENTOS E NÚMERO DE CASAS NAS RUAS).
Rua de Corredoura                       ---- 23 - fogos
Corro                                            ---------  8  
Arrabalde da Fonte Nova     --------  27
Arrabalde dos Oleiros          --------   36
Arrabalde da Cidade             --------   23
Adro de S. Miguel                 ---------   12
Postigo de Valadares           ----------   7
Carreirinha                               ---------- 8
Moreirinha                                --------- 31
Arrabalde de S. Sebastião   --------- 16
Rua do Pina                            ----------    6
Rua da Ferradura                ---------    41
Ruas (desconhecidas).       ---------   95 
Rua do Saco                  -----------------   2
Praça                                         ----------    4
Relógio                                      ----------   9
Rua Nova                                  ---------   15
Rua dos Peleteiros               ---------   34
Rua do Bispo                          ----------   4
Rua dos Ferreiros              ----------   46
Rua dos Oleiros                    ---------   28
Travessa da Misericórdia      --------  3
Rua da Misericórdia            ----------  9
Rua d`Ega                                --------   30
Rua de Pedro Homem        ---------   15
Rua do Muro                        ----------   10
Rua Jorge Boino              ------------     6
Rua do Caquelé                   ----------     4             

Nota: 
A antiga Rua do Saco era um Beco  que havia entre a antiga Biblioteca e a rua Mouzinho Magro. Rua que desapareceu por a Câmara ter autorizado o proprietário A. C. Abrunhosa a fechá-lo  com um portão, incorporando-a no prédio que ai possuía. Não tem pois relação com a actual Rua do Saco, beco ao Largo do Espírito Santo.
O ALBICASTRENSE

sexta-feira, agosto 13, 2021

ALBICASTRENSES DO PASSADO

JOÃO DA MOTA E SILVA
(Cardeal da Mota)

(156 ANOS DEPOIS...)

No dia 14 de Agosto de 1865, nasceu na vila de Castelo Branco, numa casa fronteira à atual Biblioteca Municipal, que hoje funciona como Arquivo Distrital, o Cardeal D. João da Mota e Silva. 
João da Mota, foi confidente íntimo amigo e grande colaborador do Rei D. João V, o” Magnifico" uma espécie de Primeiro-ministro sombra. 
Foi o Cardeal da Mota, o principal responsável pelo lançamento na política do todo-poderoso Sebastião José de Carvalho e Melo, depois conde de Oeiras, e mais tarde Marques de Pombal.
Esta vertiginosa ascensão politica, começou com a nomeação de Sebastião de Carvalho e Melo para ministro de Portugal, em Londres, por direta influencia do Cardeal da Mota. 
Que foi sugestionado para indigitar esta nomeação ao Rei, pelo Arcipreste do Patriarca de Lisboa e lente da faculdade de Cânones, de Universidade de Coimbra. Paulo de Carvalho amigo íntimo do Cardeal da Mota e tio de Sebastião José de Carvalho e Melo. 
A ALBICASTRENSE

quarta-feira, agosto 11, 2021

O DIA DO BOMBEIRO 

CELEBRADO EM CASTELO BRANCO EM 1970


A bonita Imagem que dá brilho a esta publicação, foi recolhida por José Pedro Barata durante a marcha que os bombeiros tinham por hábito fazer por alguma das ruas da terras albicastrense, no seu dia. 
Acontecimento que na altura tinha contorno popular, e que contava com o apoio dos albicastrenses.  
Hoje, ao rever esta imagem, não pode deixar de recordar um homem que dedicou grande parte da sua vida a captar momentos.
Quem não tem em casa nos dias de hoje, imagens de batizados, casamentos ou convívios captadas por ele? 
Para o recordar, aqui fica um pequeno apontamento publicado neste blogue, no dia da sua morte.

                         
DEZ ANOS DEPOIS...     
17 de Setembro de 2011                           

                             MORREU UM FOTÓGRAFO.
JOSÉ PEDRO BARATA

Morreu o fotógrafo Barata (como era vulgarmente conhecido pelas gentes de Castelo Branco). O seu funeral realizou-se hoje, (17 de Setembro de 2011) pelas 16.00 horas, para o cemitério de Castelo Branco.

Como não sou fã de grandes homenagens pôs morte, (sejam os defuntos quem forem), pois entendo que deve ser em vida, que as pessoas têm que ser homenageadas e, não depois de mortas.
Aqui fica (para um homem que durante mais de meio século captou imagens de acontecimentos locais, de albicastrenses e sobretudo da terra onde nasci), a homenagem deste albicastrense. 
Homenagem que só podia ser, não a última imagem captada por ele, mas antes, a última cena protagonizada por ele, frente a uma objectiva.
Ao “já saudoso” fotógrafo Barata, este albicastrense só pode dizer que ele partiu, mas… as suas imagens, ficaram por cá por muitos e muitos anos. 
O ALBICASTRENSE

segunda-feira, agosto 09, 2021

ALBICASTRENSES DO PASSADO

 FRANCISCO VIEIRA DE ALMEIDA

A placa que pode ser vista nesta publicação, encontra-se na parede  duma casa situada da rua dos Ferreiros. Se Vieira de Almeida hoje visitasse  a rua onde viveu, tenho apara mim, que morria de novo num abrir e fechar de olhos.

Francisco Lopes Vieira de Almeida nasceu em Castelo Branco a 5 de Agosto de 1888. Faleceu em Cascais, no dia 20 de Janeiro de 1962.

FOI UM FILÓSOFO E ESCRITOR PORTUGUÊS

Diplomado pelo Curso Superior de Letras,  ingressou, como docente, na já então Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, pelo grupo de história, em 1915. Em 1921, porém, passou para o Grupo de filosofia, onde ascendeu a professor catedrático, em 1932. Manteve-se em atividade até 1958. Monárquico liberal, próximo de autores como Pequito Rebelo  e Hipólito Raposo  nos alvores da Primeira Republica, viria a aproximar-se gradualmente do ideário republicano, estando entre os fundadores da breve (apenas dois números) Revista dos Homens Livres (1923) (livres das Finanças e livres dos Partidos), projeto frentista contra a degeneração da Republica  na década de 1920. Fracassada essa frente, e implantada a ditadura que estará na base do Estado Novo,desenvolveu contactos com o grupo da Seara de Nova, por intermédio de Câmara Reys,  mesmo depois de António Sérgio  se afastar da revista.  Encontra-se ainda colaboração da sua autoria na Revista de História (1912-1928) e na revista Prisma (1936-1941).

Opositor declarado do Estado Novo, apoiou numerosas iniciativas de restauração da democracia, mantendo o seu posicionamento nas fases de maior repressão do regime. Seria também proponente da candidatura do general Humberto Delgado a Presidente da Republica, figurando ao seu lado na célebre conferência de imprensa no Café Chave d'Ouro, no Porto,  na tarde de 10 de maio de 1958, na qual o general, quando interrogado pelos jornalistas sobre Salazar,respondeu: «Obviamente, demito-o!».
Foi, com mais de 70 anos de idade, detido pela PIDE  e encarcerado em Caxias, juntamente com António Sérgio, Jaime Cortesão e Mário de Azevedo Gomes, pelo apoio dado à candidatura presidencial de 
Humberto Delgado, em 1958. No ano seguinte, em 1959, de novo com Jaime Cortesão, Antonio Sergio e Azevedo Gomes, convidaria os socialistas Aneurin Bevan e Mendès-France para conferências em Portugal,  que são proibidas, sendo os organizadores, de novo, detidos. A sua obra filosófica, em que avultam os trabalhos sobre Lógica, Estética, Epistemologia e História, encontra-se editada pela Fundaçao Calouste Gulbenkian, que a reuniu entre os anos de 1986 e 1988, com organização e apresentação de Joel Serrão e Rogério Fernandes

Foi agraciado, a título póstumo, com as seguintes condecorações: Grande-Oficial da Ordem de Liberdade (30 de Outubro de 1987) e Grande-Oficial da Ordem da Instrução Publica(19 de Setembro de 2017).
(Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre).

O ALBICASTRENSE

sábado, agosto 07, 2021

AMIGOS DA CASA DE ANTÓNIO SALVADO

                         PROMESSA  POR CUMPRIR

Passei ontem na Rua D’ Ega e confesso que vim de lá a chamar nomes a quem comanda a terra albicastrense. 
A minha revolta explica-se em poucas palavras. Em 2020, o poeta António Salvado e os responsáveis pela nossa autarquia assinaram um protocolo de acordo no qual, o poeta cedia a casa onde nasceu à autarquia albicastrense. 
O respetivo protocolo, sujeitava a autarquia  a recuperar a casa e a cedê-la ao grupo de amigos de António Salvado, para ali instalar a futura associação, “Amigos da Casa António Salvado”.
 
Em Outubro de 2020 realizou-se na Usalbi, uma reunião de amigos de António Forte Salvado, reunião que serviu para a aprovação dos estatutos da futura associação. 
Os mesmos estavam convictos que a recuperação da casa seria possível ainda em 2021, e por esse motivo, tornava-se necessário a aprovação dos estatutos. 
Pensavam os amigos de António Forte Salvada quando aprovaram os estatutos, que a nossa autarquia iria cumprir com o combinado. Pensavam mal, para não dizer muito mal, pois um ano depois, obras na casa nem vê-las, parecendo até que os responsáveis pela nossa autarquia, estão à espera que o poeta (como posso eu dizer o que se segue, sem melindrar quem quer que seja?), “se vá…”, para depois virem a público lamentar-se e prometendo que a casa que ele ofereceu, vai finalmente ser recuperada. 
 Palavra que não consigo verbalizar o que sinto sobre esta desgraçada situação, por isso, apelava a quem esteve na reunião da Usalbi (gente com muita mais  bagagem que eu), para se pronunciarem contra este deixa andar, que um dia tudo se vai resolver.
Ou será que vamos todos ficar sentadinhos nos nossos sofás, esperando pelo tal dia, para depois nos lamentarmos? 
Não posso deixar de aproveitar esta publicação, para sugerir o seguinte: a casa situada abaixo da que o poeta ofereceu está à venda (pode ver-se na imagem nº2), talvez se justificasse a compra desta casa para reforçar o projeto da Casa dos Amigos de António Salvado.

Resta acrescentar, que a criação da associação
Amigos da Casa de António Salvado”, não é uma benesse, mas antes, uma justíssima homenagem a um homem a quem a terra Albicastrense muito deve.   

ESPERANÇA

Tu és de sempre como o tempo,
tu és de longe como o espaço!
Súplica de cada momento,
falas --- se o ânimo, quebrado,
nos enregela o pensamento!

Reapareces na tristeza
de uns alhos baços, perseguidos,
e  és bem mais alta que a beleza!
Âncora, os teus ganchos são vivos
gumes de sol e de certeza!

Deixa-me, ó luz, acreditar
que um dia não serás precisa!
Que foste apenas a passagem

para a real e definida
forma de que és agora imagem!

                                                              
António Salvado

 O ALBICASTRENSE

quinta-feira, agosto 05, 2021

COLECTIVIDADES DA TERRA ALBICASTRENSE

CENTRO ARTÍSTICO ALBICASTRENSE

O Centro Artístico Albicastrense andou nos últimos dias na boca dos albicastrense, tudo por causa de uma possível extinção. Felizmente tratava-se apenas uma chamada de atenção aos sócios.  Actualmente a situação parece estar sob controleA história do  C.A.A. é de mais de cem anos, tempo em que ele foi durante muitos e muitos anos, um autêntico baluarte cultural e popular na terra albicastrense.

Descobri hoje, que em tempos passados, mais propriamente em 1924, o C.A.A teve um jornal. Não sei durante quanto tempo o jornal foi publicado, nem o numero de edições que ele teve, sei todavia, que  no cabeçalho do jornal ele ostentava o nome de Joaquim da Anunciação Morcela, e que cada exemplar custava $50 cêntimos.


TERMINO ESTA PUBLICAÇÃO LEMBRANDO O SEGUINTE:
PROTEGER AS NOSSAS COLECTIVIDADE, 
É A OBRIGAÇÃO  DE TODOS OS ALBICASTRENSES DE HOJE. ESQUECER ESSE PRINCIPIO, É DEIXAR MORRER PELA SEGUNDA VEZ TODOS AQUELES QUE NO PASSADO MUITO DERAM À TERRA ALBICASTRENSE.

O ALBICASTRENSE

segunda-feira, agosto 02, 2021

UM MÊS CHEIO DE VISITANTES.

O blogue, "Castelo Branco - O - Albicastrense", foi este mês visitado por 20.095 visitantes.
Desculpem-me a falta de modéstia, mas, confesso que estou de papo-cheio com tanta gente a visitar-me.
Agradeço do fundo do coração as visitas, pois elas, são o alimento que sustentam o blogue.

O MEU BEM-HAJA A TODOS OS VISITANTES.

O ALBICASTRENSE

O POMBAL DA TERRA ALBICASTRENSE

TRISTEZAS

DA 

 TERRA ALBICASTRENSE

Muitas vezes aqui critiquei o facto deste belo edifício estar ao abandono. Edifício situado bem no coração da terra albicastrense. 
Hoje tenho que dar a mão à palmatoria e reconhecer que estava bem enganadinho, pois ao passar pelo local, fui surpreendido com o “harmonioso” pombal em que ele está transformado.
Ou seja, a nossa autarquia permitiu com a sua apatia e o não quer saber dos senhorios, transformar este belo edifício (em tempo), numa autêntica atração turística para a terra albicastrense.
Aos responsáveis da nossa autarquia (que muita vezes aqui critiquei, por nada fazerem pela recuperação deste edifico), as minhas sinceras desculpas, pois licenciar este prédio bem no coração da nossa terra para pombal, é no mínimo genial. 
Perante tão genial ideia, proponho desde já, o licenciamento de outros prédios para fins semelhantes.
E lanço desde já a ideia, de transformar alguns dos prédios perto deste (igualmente ao abandono), numa colossal colmeia para agasalhar abelhas.
                                                          O ALBICASTRENSE

domingo, agosto 01, 2021

VELHAS IMAGENS DA TERRA ALBICASTRENSE

PÉROLAS DO PASSADO

(Imagem pintada e restaurada por Veríssimo Bispo)

UMA BELA IMAGEM DO PASSADO DE TERRA ALBICASTRENSE


A imagem aqui colocada terá sido captada nos anos 30/40 do século XX . 
O local é a Devesa da terra albicastrense, podendo ver-se ao fundo o antigo palacete da família Fevereiro . Edifício derrubado nos anos sessenta do mesmo século.

 Fosse quem fosse que captou esta imagem, este albicastrense não pode deixar de agradecer, independentemente de ele já ter morrido à muitos e muitos anos.
   O ALBICASTRENSE


MEMÓRIAS DA TERRA ALBICASTRENSE

Recuperar e pintar antigas imagens da terra albicastrense, dá-me uma enorme satisfação.  Quando “apanho” uma antiga imagem da terra albicast...