quarta-feira, julho 31, 2019

TOPONÍMIA ALBICASTRENSE

RUAS DA TERRA ALBICASTRENSE

QUEM FORAM ESTAS PESSOAS ?



Estas são apenas quatro ruas, pois nas zonas novas da terra albicastrense muitas mais placas existem assim.

  BATIZAR RUAS COM NOMES DE PESSOAS É TAREFA BASTANTE FÁCIL.
FAZÊ-LO CORRECTAMENTE, PARECE SER BEM MAIS DIFÍCIL.
O Albicastrense 

segunda-feira, julho 29, 2019

quarta-feira, julho 24, 2019

O MILAGRE DO CHAFARIZ DE SÃO MARCOS

EM DEFESA DO CHAFARIZ DE SÃO MARCOS
 O milagre do Chafariz de S. Marcos,  é o título deste poste, contudo, trata-se apenas uma ilusão criada pelo Phtoshop. 
Que pena não podermos chegar junto do nosso velhinho Chafariz de S. Marcos, e efetuarmos o milagre do chafariz de S. Marcos.
Ps. Como a esperança é a última coisa que devemos desbaratar,  aqui fica o meu projeto de recuperação do nosso velhinho chafariz.
Este “projeto” recupera o velho tanque, colocando-o como ele estava nos finais da década de 70. Altura em que uns insensatos (para não lhes chamar outro nome bem mais triste), quase o sepultaram, assim como a colocação de um velho pilar que em tempos existia perto da borda do tanque.
Espero que a tal recuperação prometida pelo nosso presidente, não se fique pela pintura das paredes e limpeza do granito, pois chegou a hora deste chafariz deixar de ser o patinho feio dos chafarizes da terra albicastrenses.
O Albicastrense

sábado, julho 20, 2019

EM DEFESA DO CHAFARIZ DE SÃO MARCOS

 SEIS MESES DEPOIS!!!

Sessão Pública da Câmara Municipal de Castelo Branco 19/07/2019 – (09.00) 

Tal como disse anteriormente, estive ontem na reunião pública da nossa autarquia. Na minha intervenção, lembrei parte do que tinha dito na primeira vez que ali tinha estado, sobre a miserável condição em que o velhinho chafariz de São Marcos se encontrava, assim, como a “promessa” que o presidente Luís Correia fez em resposta a minha intervenção dessa altura.
E que regressava desta vez mais zangado, pois, passados seis meses tudo continuava na mesma (perdão!), pior… pois uma das suas paredes ameaça ruir a qualquer momento. 
Ou seja, seis meses depois da minha primeira visita à sessão pública da nossa Câmara Municipal (Janeiro de 2019), para reclamar contra a miserável condição em que o nosso chafariz se encontrava, nada tinha acontecido. 
Em resposta à minha intervenção, o presidente Luís Correia afirmou que o início das obras de recuperação do nosso chafariz, estava dependente duma autorização dum organismo situado em Coimbra, e que vamos ter que aguardar por ela, pois não existe outra solução.
Como acredito, que não estou a ser enrolado, pois entre a existência havia dois jornalistas que irão dar conta do que ali se passou, espero que o tal departamento, organismo ou seja lá o que for, resolva este assunto o mais rapidamente possível, pois o nosso velho chafariz não pode continuar eternamente na miserável condição em que se encontra.
Vamos dar tempo ao tempo para ver se a tal autorização aparece, se em Janeiro do próximo ano nada tiver acontecido, atesto deste já, que arranjo uma tenda e vou assentar arraial frente ao nosso velhinho chafariz de São Marcos, até que a autorização surja.
PS. A minha imagem captada na sessão publica, foi rapinada do
 facebook de Luís Barroso.
O Albicastrense

quinta-feira, julho 18, 2019

EM DEFESA DO CHAFARIZ DE SÃO MARCOS




 UMA T SHIRT QUE APENAS PRETENDE CHAMAR A ATENÇÃO  DOS ALBICASTRENSES, PARA UMA TRISTE REALIDADE.


O Albicastrense
.

quarta-feira, julho 17, 2019

EM DEFESA DO CHAFARIZ DE SÃO MARCOS

SEIS  MESES DEPOIS!!!

Em Janeiro postei aqui um poste onde dava a conhecer que tinha estado presente na reunião pública da nossa autarquia (reunião que se realiza na terceira sexta feira, de cada mês), para me insurgir contra a miserável situação em que se encontrava o nosso chafariz de S. Marcos.
Nessa reunião o presidente Luís Correia em resposta á minha intervenção, afirmou que a nossa autarquia tinha um projeto para recuperar o velho chafariz no valor de 18.000 euros, aguardava apenas luz verde para começar a obra.
Seis meses depois, as obras ainda não começaram, assim como publicamente o nosso presidente não assumiu a vergonhosa situação em que o nosso chafariz se encontra, e a necessidade das obras.
Como não sou de ficar à espera do dia de São Nunca á Tarde e por amor ao velho chafariz e à terra albicastrense, vou estar presente na próxima reunião pública da próxima sexta-feira, para me expressar contra a lentidão de todo este triste assunto.
Trata-se como já disse anteriormente, de uma reunião pública, por isso, todos os albicastrenses podem assistir. Não vou apelar a quem quer que seja para estar presente, todavia, informe os albicastrenses que a reunião tem o seu início pelas 09.00.
O Albicastrense

sexta-feira, julho 12, 2019

MEMÓRIAS DA TERRA ALBICASTRENSE

"TIO FRADIQUE"

E costume dizer-se que as conversas e até as ideias, são como as cerejas, pois muitas das vezes, elas surgem umas atrás das outras.
Foi o que aconteceu com o  poste anterior. O objectivo era lembrar o antigo café Cortiço, todavia, ao olhar bem para a imagem dei comigo a lembrar-me da antiga oficina que ali esteve muitos e muitos anos instalada.
Porém, por muito que tentasse não consegui lembrar-me do nome da pessoa, embora me lembrasse da actividade a que o velho artesão se dedicava. Muitas foram as vezes que ao passar pela porta desta antiga oficina em criança, parava e ficava fascinado a ver o “Tio Fradique” à volta  dos seus instrumentos. Foi pois esse meu esquecimento, que me levou a colocar no poste anterior, uma nota sobre a oficina, na esperança que alguém se lembrasse do nome do velho artesão.
Ao José Moreira o meu bem-haja por ter colocada no meu fecebook, o fantástico vídeo onde podemos recordar a figura e o sabedoria do “Tio Fradique”.
Resta acrescentar, que no Museu Francisco Tavares Proença Júnior, esteve durante muitos anos em exposição, um órgão feito por este artesão, contudo, durante o manda abaixo, ele foi encaminhado para o pequeno museu da nossa misericórdia. 
---------------------------------------------------- 
             TEXTO QUE ACOMPANHA O VIDEO NO SITE DA RTP – (1974)
Em Castelo Branco, na oficina do artesão, Henrique Mendes apresenta Alexandre Fradique, conhecido por "Tio Fradique", e entrevista-o sobre o seu estado de saúde, a reparação de instrumentos musicais, a construção de órgãos, o contexto em que aprendeu a atividade e a venda do órgão que se encontra ao seu lado. 06m51: Depoimento de Alexandre Fradique sobre o tempo que demora a construir um órgão e os que já construiu por encomenda, ilustrado com estantes da oficina, chapéus-de-chuva pendurados, livros, jornais e imagens religiosas. Henrique Mendes pede a Alexandre Fradique que toque órgão. 11m15: Depoimento de Alexandre Fradique sobre como aprendeu a tocar, os anos a que possui a oficina, o restauro de bonecas, o preço de um órgão, os empregos que teve antes de se dedicar a esta actividade, a sua permanência em Castelo Branco e o fabrico de algumas ferramentas que necessita, ilustrado com boneca, estantes da oficina, acordeão, concertina, balança e ferramentas. Henrique Mendes elogia a habilidade, capacidade de trabalho e bondade de Alexandre Fradique e pede-lhe que toque órgão; crianças assistem.

quinta-feira, julho 11, 2019

ANTIGOS ESTABELECIMENTOS DA TERRA ALBICASTRENSE


TERRA ALBICASTRENS

Hoje quem vai falar do que estas duas imagens documentam são os visitantes. Este poste vai ser feito pelos visitantes através dos seus  comentários, falem deste antigo estabelecimento, que eu prometo colocar aqui os comentários,  de modo a que este poste seja um trabalho de todos nós. 
POR FAVOR!
VAMOS LÁ COLABORAR NESTA MINHA IDEIA
(TALVEZ DISPARATADA), MAS MUITO BEM INTENCIONADA.

PS. No local onde esteve instalado o café Cortiço, existiu em tempos uma pequena oficina muito interessante. Oficina que terá estado neste local, até a morte do velho mestre que ali trabalhava  (anos 70/80 do passado século). Quem se lembra desta oficina, e do velho mestre que era um verdadeiro artista.
O Albicastrense

sexta-feira, julho 05, 2019

TOPONÍMIA ALBICASTRENSE

NOVAS RUAS DA TERRA ALBICASTRENSE

António Tavares Lobato Carriço nasceu em Castelo Branco a 30 de Julho de 1913.
Exerceu medicina em Castelo Branco a partir da década de 40 do passado século, simultaneamente foi Professor de Educação Física. Teve consultório na rua J. A. Morão no nº 53, local onde atualmente está instalada uma loja de roupa. Pelo que tive conhecimento, sei que foi pessoa bastante interventiva na terra albicastrense desse tempo. Foi médico, professor de Educação Física, Médico Chefe dos serviços dos Bombeiros Voluntários de Castelo Branco, entre muitas outras atividades que teve ao longo da sua vida. 
Confesso que em criança muitas vezes ouvi falar do Dr. Carriço, pois  passava diariamente à porta do seu consultório. Faleceu no dia 24 de Outubro de 1986.
                                             --------------------------------

Aproveitando este poste, volto a afirmar o que já aqui disse noutras vezes: as placas toponímicas utilizadas pela nossa autarquia, são uma verdadeira porcaria, como aliás se pode ver nas placas aqui postadas .


Contudo, tenho ainda outra crítica a fazer à comissão de toponímia da nossa autarquia (se é que ela existe). Colocar o nome de uma pessoa numa placa é em meu entender homenagear essa pessoa, todavia, colocar lá um nome e depois não colocar a data em que ele viveu e não dizer em que atividade ele se destacou, é pura estupidez. Como não espero que a nossa autarquia me dê ouvido neste triste assunto, pelo menos sempre posso exigir, que não faça dos ilustres homenageados,  pobres desconhecidos da maioria dos albicastrenses de amanhã.
PS. A placa A, é que hoje podemos ver nas novas ruas da terra albicastrense. 
A placa B, é em meu entender a que deveria existir.
 Que pensam os visitantes deste blogue,
  sobre este assunto?
O Albicastrense

segunda-feira, julho 01, 2019

O DIA MUNDIAL DAS BIBLIOTECAS

      BIBLIOTECA MUNICIPAL DE CASTELO BRANCO
(1 DE JULHO DIA MUNDIAL DAS BIBLIOTECAS)


Este dia via enaltecer a importância da leitura na educação e formação das pessoas. O Manifesto da UNESCO Sobre Bibliotecas Públicas refere-se à biblioteca pública como uma porta de acesso local ao conhecimento fulcral para o desenvolvimento cultural do indivíduo e dos grupos sociais.
Em vários países do mundo se realizam atividades que promovem a leitura na população e o desenvolvimento cultural. Entre estas iniciativas destacam-se as bibliotecas itinerantes, móveis, que possibilitam o livre acesso a livros, revistas e jornais em locais públicos, as sessões de leituras e os encontros de autores e leitores. 
O Dia Mundial das Bibliotecas é o dia ideal para se dirigir a uma biblioteca e requisitar um livro ou então para partilhar o livro da sua vida com outras pessoas e para conhecer novos livros pelos quais se pode apaixonar.
---------------------------------------
Aos trabalhadores da nossa Biblioteca, este albicastrense não pode deixar de agradecer a forma como ali é atendido (não só eu, mas  todas as pessoas), e pedir-lhes para que continuem a fazer da nossa Biblioteca a maior preciosidade da terra albicastrense.

BIBLIOTECA MUNICIPAL DE CASTELO BRANCO
"O ORGULHO DA TERRA ALBICASTRENSE"
PARA QUEM ALI TRABALHA, O MEU BEM-HAJA PELO EXCELENTE TRABALHO QUE ALI REALIZAM DIARIAMENTE.
O ALBICASTRENSE 

O PASSADO E O PRESENTE - (III)

CASTELO BRANCO  ATRAVÉS DOS TEMPOS  Terceira publicação da rubrica: “ I magens do passado e do presente da terra albicastrense ” .  A imagem...