terça-feira, dezembro 29, 2020

TOPONÍMIA ALBICASTRENSE

JOAQUIM AUGUSTO DE 

SOUSA REFÓIS 

Nasceu em Cadaixo, Miranda do Corvo, em 11 de Abril de 1853 e foi assassinado em Coimbra em 1905.
 Doutorou-se na Universidade de Coimbra em 1879 depois de ter cursado, sempre com honrosas distinções, as faculdades de Matemática, Filosofia e Medicina, optando por esta última área para a sua carreira profissional. Regeu o curso livre de Clínica Oftálmica (o primeiro a ser criado sobre esta especialidade) em 1890-1892 e um curso suplementar de Clínica Cirúrgica em 1892. Lente Catedrático da Universidade, dedicou-se a obras do bem comunitário, tendo sido provedor e médico da Santa Casa da Misericórdia de Coimbra e dinamizador de outras instituições citadinas. Dotado de qualidades de grande investigador, deixou bem vincada a sua personalidade e a sua cultura nas obras que criou.
A sua morte trágica, resultado de um ato tresloucado de um seu discípulo deficiente mental, veio interromper uma carreira notável. 
  

BAIRRO DO CANSADO

"HISTÓRIAS DO BAIRRO DO MEU  CORAÇÃO”.

Percorri ontem o Bairro do meu coração, sitio onde cresci e me fiz homem, local onde os meus pais viveram grande parte das suas vidas e ali morreram. Saí do Bairro da Cansado, quando o meu filho nasceu para ir morar para outra parte da cidade, pois a casa dos meus pais era demasiada pequena para suportar o novo rebento. 
Todavia, independentemente do carinho que tenho pelo Bairro do Valongo, local onde moro à cerca de 35 anos, o Bairro do Cansado será sempre o Bairro do meu coração, local onde vou regularmente, pois tenho por ali alguma família. 
Ontem ao passar na  Rua Médico Sousa Refóis,  rua que percorri milhares e milhares de vezes na minha infância, dei comigo a olhar para a placa toponímica que existe na rua e a dizer a mim próprio: “ A rua da Perna de Porco, cujo o verdadeiro nome é; Médico Sousa Refòis".
A história conta-se em poucas palavras: Nos anos cinquenta a pobreza era uma dura realidade na terra albicastrense. A essa pobreza, acrescia o facto de muitas das famílias mais pobres terem muitos filhos, conjuntura que levava a que muitas dessas famílias não conseguissem dar aos filhos uma alimentação capaz. 
Tal situação levava a que muitas das crianças, andassem pelas ruas do Bairro a pedir. Certo dia, algumas dessas crianças (entre as quais estava eu), bateram à porta duma casa situada na rua Médico Sousa Refóis e pedem à senhora que ali morava algo para comer, a senhora diz-nos para esperarmos um pouco, e apôs alguns instantes, regressa com uma enorme perna de porco para dar nos dar.
Eu nem vos conto! Aquilo foi uma farra que nos encheu a barriga e nos pôs a chorar por mais. A partir desse dia e em homenagem à essa senhora, a rua começou a ser designada pela malta, como a rua da Perna de Porco. Nome que ainda hoje é recordado pelos moradores mais velhos do Bairro do meu coração. Prometo contar aqui outras histórias vividas no Bairro do Cansado, assim, como dar a conhecer  albicastrenses que por lá viveram no passado.
O ALBICASTRENSE

quarta-feira, dezembro 23, 2020

MEMÓRIAS DA TERRA ALBICASTRENSE


MEMÓRIAS
DE
NATAÍS
PASSADOS

Este ano infelizmente não haverá fogueiras de Natal na terra albicastrense, todavia, podemos sempre evocar  Natais passados. 

FELIZ NATAL

O ALBICASTRENSE

terça-feira, dezembro 22, 2020

O ALBICASTRENSE DESEJA A TODOS OS 
VISITANTES DESTE BLOGUE, UM NATAL FELIZ
 E UM BOM ANO DE 2021.

 O ALBICASTRENSE

sábado, dezembro 19, 2020

REGISTOS PAROQUIAIS QUINHENTISTAS DE CASTELO BRANCO - (X)

UM FANTÁSTICO TRABALHO DE MANUEL DA SILVA CASTELO BRANCO
(Antigo Presidente da Câmara Municipal de Castelo Branco)

Na celebração do 50º aniversário 
da publicação deste belo trabalho 
de investigação  (1969/2019), 
lançava um apelo à nossa 
autarquia, para que pensasse na possibilidade de 
 publicar este  fantástico  trabalho de  
Manuel da Silva castelo Branco.

O ALBICASTRENSE

quarta-feira, dezembro 16, 2020

PORTADOS QUINHENTISTAS DA NOSSA ZONA HISTÓRICA

OS MAIS BELOS PORTADOS QUINHENTISTAS
 DA 
NOSSA ZONA HISTÓRICA


Muitos são os belos portados quinhentistas da nossa zona histórica, portados espalhados por um conjunto de ruas que bem merecem ser conhecidos pelos albicastrenses.

Eu faço aqui um desafio aos albicastrenses, quando puderem e quando o maldito vírus for derrotado, deambulem pela nossa zona história e amem estes belos portados. Eles são pérolas preciosas deixadas pelos nossos antepassados que temos que respeitar e proteger, pois ao fazê-lo, estamos a honrar esses mesmos antepassados.  

O ALBICASTRENSE

segunda-feira, dezembro 14, 2020

VELHAS IMAGENS DA TERRA ALBICASTRENSE

PORMENORES DO CORAÇÃO
  DA 
TERRA ALBICASTRENSE NO PASSADO




 PÉROLAS DO PASSADO 
DA
 TERRA ALBICASTRENSE
☆☆☆☆☆☆☆☆☆☆

O ALBICASTRENSE

sábado, dezembro 12, 2020

OBRAS NA NOSSA ZONA HISTÓRICA

UMA VELHA CASA NA RUA MOUZINHO MAGRO

A casa que pode ser vista nesta publicação tem residência na rua Mouzinho Magro (zona histórica), a mesma começou a ser recuperada pela nossa autarquia no início de 2020, de um momento para o outro, as obras pararam e tudo ficou parado paradinho por ali. 
Disse-me alguém que por ali estava quando captei esta imagens, que teriam aparecido vestígios  arqueológicos no local. O aparecimento de vestígios arqueológicos na nossa zona histórica não tem de extraordinário, pois, trata-se de uma zona com mais de 800 anos. O que vem a seguir, é que me deixa com os poucos cabelos que ainda tenho em haste.
 
Ou seja, aparecem vestígios arqueológicos, param-se as obras e nada é dito sobre o porquê da paragem das obras!
 
Até parece que estamos perante a descoberta de um terrível crime, acontecimento que é necessário encobrir não vão alguns infames invadir o local e destruir as provas.
Palavra que não entendo este tipo de comportamento, pois, a ser verdade que ali foram descobertos vestígios arqueológicos, o primeiro passo (em meu entender), seria chamar a comunicação social e anunciar o achado e de seguida, explicar os passos seguintes a tomar em defesa da descoberta.
Manter tudo isto em sigilo, é criar o clima de que ali se encontrou algo que não pode ser divulgado e que é segredo de estado.
Senhores autarcas da minha terra, vamos lá esclarecer a razão da paragem das obras desta velha casa, quem paga tudo isto somos nós, por isso, temos o direito de ser informados.

           O ALBICASTRENSE

quinta-feira, dezembro 10, 2020

PÉROLAS DA NOSSA ZONA HISTÓRICA

UMA PEQUENA CASA
NA
RUA TENENTE VALADIM.

Ontem ao passar à porta desta casa na rua Tenente Valadim, não pude deixar de captar estas duas imagens, pois  a altura do portado (cerca de metro e meio de altura), não pode deixar de nos interrogar sobre a razão dessa altura. 

Qual terá sido o motivo de terem colocado um portado tão baixo nesta casa?


SERÁ QUE ALGUÉM É CAPAZ DE RESPONDER À MINHA PERGUNTA?

O ALBICASTRENSE

domingo, dezembro 06, 2020

PÉROLAS DA TERRA ABICASTRENSE

 PRENDA DE NATAL PARA TODOS OS ALBICASTRENSES QUE VISITAM ESTE BLOGUE. 
😋😊😉😌😍😎😏
QUARENTA ANOS DEPOIS 
(IMAGENS CAPTADAS NA DÉCADA DE OITENTA DO PASSADO SÉCULO)
O ALBICASTRENSE

O PASSADO E O PRESENTE - (III)

CASTELO BRANCO  ATRAVÉS DOS TEMPOS  Terceira publicação da rubrica: “ I magens do passado e do presente da terra albicastrense ” .  A imagem...