sexta-feira, setembro 27, 2019

PAINÉIS INFORMATIVOS - "RECLAMAR É UM DIREITO"

 RECLAMAR É UM DIREITO QUE NÃO DEVEMOS DESPREZAR.


Após quatro publicações neste blogue, sobre o estado  dos painéis informativos da terra Albicastrense, fez-se luz! 
Pois, eles foram finalmente reparados, como se pode ver nas imagens aqui publicadas.




Assim como denunciei a miserável situação dos painéis, compete-me agora, comunicar que os mesmos estão agora de cara lavada, transmitindo informação  a quem a procura.  


Aos responsáveis pela recuperação dos painéis o meu bem-haja pela recuperação dos mesmos, e ao mesmo tempo, o meu lamento de ter sido necessário tanto tempo para resolver este tão simples assunto. 
O ALBICASTRENSE

quinta-feira, setembro 26, 2019

NEM DÁ PARA ACREDITAR!!!


CENTRO CULTURAL E ARTÍSTICO
 DE 
CASTELO BRANCO
                          (Projecto de 1971)

Assim foi idealizado o que será o magnífico empreendimento que fortalecerá os organismos culturais e artístico de Castelo Branco. 
O projeto está  a ser observado superiormente, sabendo-se que a prestigiosa Fundação Gulbenkian tem demonstrado simpaticamente o seu interesse por esta obra que será notável e da maior utilidade para a capital do distrito de Castelo Branco. 
A sua localização esta prevista no Largo da Sé, no local onde funcionou ultimamente o Tribunal Judicial.

MALUQUEIRAS  NA TERRA ALBICASTRENSE AO LONGO DOS TEMPOS.

Muitas foram as obras maléficas  feitas ao longo dos tempos, na terra albicastrenseUmas a derrubarem edifícios que nunca  deveriam ser derrubados, outras, a serem feitas onde não deviam e ainda outras,  a ser feitas para Inglês ver. 
Temos ainda outras, que alguns "malucos" queriam fazer, mas, que felizmente nunca saíram do papel. Está neste caso, a ideia completamente amalucada, que em 1971 uns marados (para não lhes chamar outra coisa), queriam fazer no largo da Sé. 
Construir ao lado da "nossa" Sé, o mamarracho que podemos ver na primeira pagina do jornal "Beira Baixa" de 1971, só podia ser mesmo uma maluqueira monumental.
Felizmente  tal parvoíce nunca saiu do papel, pois se assim não fosse, o bonito edifício que alberga nosso conservatório estaria hoje no rolo dos bonitos edifícios que a terra Albicastrense deixou abater sem dó  nem piedade.
O Albicastrense

domingo, setembro 22, 2019

CHAFARIZ DE SÃO MARCOS


PRESTAR CONTAS A QUEM ME VISITA

Participei no dia 20 do corrente mês, na sessão pública da nossa autarquia. 
Local, onde mais uma vez barafustei contra a desgraçada situação em que o nosso Chafariz de São Marcos se encontra.


Em resposta à minha intervenção, o vice-presidente da nossa autarquia, informou os presentes, que a autarquia já tinha recebido a autorização do departamento da zona centro, responsável por este sector, para realizar as obras necessárias no chafariz. 
Porém, nessa autorização, são impostas algumas regras sobre as referidas obras. Obrigações que impõem à nossa autarquia, a necessidade de um técnico responsável na área, pois será necessário fazer o acompanhamento  das mesmas. Como agredido na informação dada pelos nossos responsáveis políticos, quero crer, que desta vez as coisas têm pernas para andar, contudo, vamos estar atentos, para ver se essa recuperação se faz o mais rapidamente possível.

O ALBICASTRENSE

quinta-feira, setembro 19, 2019

CHAFARIZ DE SÃO MARCOS

SERÁ QUE ESTAS IMAGENS
 NÃO ENVERGONHAM QUEM COMANDA A TERRA ALBICASTRENSE?

Quando eu pensava que já nada me pode surpreender no que se refere ao desgraçado estado do nosso Chafariz de S. Marcos, acontece a surpresa. Fui hoje convidado  via facebook, (por uma amiga que mora perto do chafariz), para ir ao local, ver o triste espectáculo que as imagens mostram.
Diz quem por ali mora, que o velho muro está a ceder e ameaça derrocada a todo o instante.

Aos responsáveis políticos pela nossa autarquia, só posso
mesmo perguntar o seguinte: será que as prometidas obras
de recuperação do velho Chafariz, só vão acontecer
quando o velho muro cair e provocar
algum acidente?

UMA SITUAÇÃO QUE ENVERGONHA OS ALBICASTRENSES 
E A TERRA ALBICASTRENSE.



 O ALBICASTRENSE

terça-feira, setembro 17, 2019

NOTÍCIAS DE OUTROS TEMPOS - "VINHO AQUARTILHADO"



UMA FANTÁSTICA ACTA DE 1810 SOBRE O VINHO AQUARTILHADO, QUE SE VENDIA NAS TABERNAS DA TERRA ALBICASTRENSE DESSE TEMPO.



                  O  
          ALBICASTRENSE

quinta-feira, setembro 12, 2019

ONDE ESTÁ A PLACA?

ONDE MORA A PLACA COMEMORATIVA 
DO CENTENÁRIO DO NASCIMENTO 
DE FARIA DE VASCONCELOS?   

A Sete de Março de 1980, o jornal “A Reconquista” publicava na sua primeira página, a colocação de uma lápide evocativa do centenário do nascimento  de Faria Vasconcelos na rua de Santo António. 
Placa foi colocada no prédio da farmácia Grave, local onde Faria de Vasconcelos nasceu. Na primeira década deste século, a placa misteriosamente desapareceu do local onde tinha sido colocada. 

Tendo em conta que no final da primeira década do século que decorre, o prédio onde foi colocada a placa sofreu obras,  será que a placa foi retirada e depois  se esqueceram de a voltar a colocar  no sítio?
Ou algum coleccionador de placas comemorativas,  lhe achou graça e a lavou para juntar à sua colecção?? 

Não sei o que aconteceu!  Sei no entanto, que este ilustre albicastrense não merece tal desconsideração, por isso (pela segunda vez), não posso deixar de apelar para que esta placa volte para o sítio de onde nunca devia ter sido retirada. A sua reposição na parede da casa onde este eminente nasceu, seria uma homenagem não só a Faria Vasconcelos, mas também a quem lhe prestou veneração em 1980. 
Albicastrense

segunda-feira, setembro 09, 2019

ANTIGO LARGO DOS CAFÉS



Cem anos separam estas três imagem, cem anos com muitas histórias e muitos milhares albicastrenses, a passear  por este bonito local da terra albicastrense.





Se existe um local na terra albicastrense por qual todos nós albicastrenses temos grande carinho, esse local só pode ser o que as imagens aqui mostram. 
Local que foi durante muitos anos designado por: Largo dos Cafés 




Pouco ou nada interessa saber,   se o local está hoje mais ou menos formoso.
 Interessa sim afirmar, que este é um local que os albicastrenses têm como seu, local onde muitos dos nossos antepassados foram felizes.
O Albicastrense

sexta-feira, setembro 06, 2019

EFEMÉRIDES MUNICIPAIS – CXXXVI

ACTAS CAMARÁRIAS DE 1809

A rubrica Efemérides Municipais foi publicada entre Janeiro de 1936 e Março de 1937, no jornal “A Era Nova”. Transitou para o Jornal “A Beira Baixa” em Abril de 1937, e ali foi publicada até Dezembro de 1940.
A mudança de um para outro jornal deu-se derivada à extinção do primeiro. António Rodrigues Cardoso, “ARC” foi o autor desde belíssimo trabalho de investigação, (Trabalho que lhe deve ter tirado o sono, muitas e muitas vezes).

(Continuação)
A seguir á sessão de 19 de Setembro de 1809 aparece-nos Francisco António Peres de Loureiro e o capitão José Joaquim Pancas a fazer a derrama de seiscentos mil réis “aos Negociantes Traficantes, Capitalistas, e Rendeiros desta cidade, e seu termo”.
Para perfazer esta importância são conectados trinta negociantes e capitalistas da cidade e três de Alcains e vinte a quatro rendeiros.
Dos negociantes e capitalistas, o mais sobrecarregado paga 12.000 réis e o mais aliviado paga 1.200 réis. Dos rendeiros, dois que pagam mais, 105.000 réis cada um: o que paga menos aparece com a coleta de 800 réis.

Em 25 de setembro faz-se a divisão de 12.000 réis por todos os “fabricantes de lãs e chapéus” de Alcains, quantia em que foram coletados.
Os coletados são nada menos de quarenta e dois. O que paga mais aparece com a quantia de 800 réis, o que paga menos aparece com a importância de 160 réis.
A seguir é feita a divisão da Coleta de 160.000 réis  pelos fabricantes de lã de Cebolais, Retaxo e anexos. São trinta e um os fabricantes coletados pelos Cebolais, dezanove pelo Retaxo e um pela Represa. O que paga mais aparece com a quantia de 1.200 réis e o que paga menos com 100 réis.
Ainda na mesma data aparece o Juiz de Fora, José Mourão, a mandar “por comissão que tinha do Doutor Corregedor Manuel José Vaz Leitão”, que se procedesse “à arrematação da Coutada de Vila Velha pelo que pertence a Bolota”. São logo nomeados os louvados e estes, sem mais demora, avaliam a bolota da Coutada em 250.000 reis.
 (Continua)
PS. Aos leitores dos postes “Efemérides Municipais:
O que acabaram de ler é uma transcrição, do que
 foi publicado na época.
O Albicastrense

quinta-feira, setembro 05, 2019

DÉCIMO QUARTO ANIVERSARIO

CATORZE ANOS A FALAR DE CASTELO BRANCO 
(5/09/2015 - 5/09/2019)
SEMPRE PELA TERRA ALBICASTRENSE 
E
NUNCA CONTRA A TERRA ALBICASTRENSE

Nem sempre terei conseguido da  forma mais correta, dizer o que pensava sobre determinadas obras realizadas ou não realizadas na terra albicastrense, porém, quem diz o que pensa e da forma que o sabe fazer, só pode ser absolvido  se eventualmente  alguém se sentiu magoado ou ofendido
 pelas suas publicações. 
Um grande abraço para quem me segue deste 2005. Um abraço "mais pequeno", para  os restantes visitantes.
O Albicastrense

segunda-feira, setembro 02, 2019

UM ESPAÇO PARA GATOS

UM ESPAÇO QUE PODERIA SER UMA MAIS VALIA PARA A NOSSA ZONA HISTÓRICA, ESTÁ DESTINADO AOS GATOS.
 
AMIGO VISITANTE
Se as duas primeiras imagens o seduziram e aconselharam a visitar este bonito espaço, a terceira aconselha-o a por te parte essa ideia desvairada e a esperar que as galinhas ganhem dentes para o poder fazer. Pode ser que nessa altura o espaço já possa ser visitado. 
O Albicastrense

O AMOR E A MORTE... NOS ANTIGOS REGISTOS PAROQUIAIS ALBICASTRENSES – (17)

Por Manuel da Silva Castelo Branco XIII - QUANDO A GUERRA BATE À PORTA.  II Parte - A Guerra da Sucessão de Espanha (1704).    Nos seis Ass...