domingo, fevereiro 17, 2019

EFEMÉRIDES MUNICIPAIS – CXXXI


A rubrica Efemérides Municipais foi publicada entre Janeiro de 1936 e Março de 1937, no jornal “A Era Nova”. Transitou para o Jornal “A Beira Baixa” em Abril de 1937, e ali foi publicada até Dezembro de 1940.
A mudança de um para outro jornal, deu-se derivada à extinção do primeiro. António Rodrigues Cardoso, “ARC” foi o autor desde belíssimo trabalho de investigação, (Trabalho que lhe deve ter tirado o sono, muitas e muitas vezes).
(Continuação)
Na sessão de 17 de Março de 1808.
Tratou-se, em primeiro ligar, de substituir Joaquim José Mendes Fevereiro, que era “Depositário para as Terças e mais Ramos da responsabilidade” e se encontrava gravemente doente, por pessoa capaz. Não foi difícil achar o substituto, José Vaz da Cunha. Depois a acta foi assim.
Nesta mesma Câmara foi apresentada uma carta do Juiz da Correção desta Comarca que representa a esta mesma ser necessário nomear quatro pessoas capazes e abonadas para concorrerem com o encargo de E’goas de Leite em lugar de outras tantas que se tem livrado por Privilégios que obtiveram se procede na eleição e por votos uniformes nomearam”.
- Diogo da Fonseca Portalegre
- Joaquim António Garcia Lobo
- Francisco José Pereira
- Dom João Mouzinho Topete de Castello Devide e Herdade de São Luís.
E ficou assim o assunto arrumado.
No dia 25 de Março de 1808.
Substitui-se o procurador do povo. António Ignacio Cardos Frazão, que não podia continuar no cargo em virtude de ser vereador, por Diogo da Fonseca Barreto Mesquita, que teve como companheiro de desdita Joaquim José Machado.
Vem agora a ata de 9 de Abril de 1808.
Em que aparecem colectados.
Na cidade como Negociantes, Traficantes, 21: como “rendeiros de rendas públicas”, 9; como “rendeiros de rendas particulares”, 16.
Em Cebolais, “pela fabricação de lã”, 47;
Em Retaxo, pelo mesmo motivo, 32;
Em Malpica, apenas um rendeiro de taberna;
Em Monforte, como rendeiro 3;
Em Escalos de Cima, como rendeiro 3;
Na Lousa, como rendeiro, 4;
No Salgueiro, como rendeiro, 1;
Em Alcains, “pelo fabrico de lã e chapéus”, 58.
E tanta gente colectada para se obter, em conjunto, a importância de 366.703 reis!
 (Continua)
PS. Aos leitores dos postes “Efemérides Municipais:
O que acabaram de ler é uma transcrição do que
 foi publicado na época.
O Albicastrense

Sem comentários:

Enviar um comentário

MEMÓRIAS DA TERRA ALBICASTRENSE

Recuperar e pintar antigas imagens da terra albicastrense, dá-me uma enorme satisfação.  Quando “apanho” uma antiga imagem da terra albicast...