sexta-feira, agosto 16, 2019

PORTADOS QUINHENTISTAS DE CASTELO BRANCO


RE-PUBLICAÇÃO  SOBRE OS PORTADOS
QUINHENTISTAS DA TERRA ALBICASTRENSES 

TRABALHO DO PADRE  ANACLETO MARTINS - 1979
(Publicação: Sexta de Sete.

 (Continuação)
TRAVESSA DO POÇO DAS COVAS
É quinhentista o portado com o número 1.
RUA DAS CABEÇAS
É quinhentista o portado com o número 13.
RUA DO TORREJÃO
São quinhentistas os portados com os números 5, 6, 15, de curiosa configuração, e 18. Tanto o 6 como o 18, estão bastante prejudicados.
RUA DA CALEJA NOVA
É quinhentista o portado com o número 19-A, casa que faz esquina com a Rua do Mercado. Tem o lintél trabalhado com o característico ornato de estilo manuelino.
RUA DOS CHÕES
São quinhentistas os portados geminados números: 9 e 11; 37 e 39; 41 e 43 – o 41 foi transformado em janela e o 43, roubado na largura – e os portados simples, números: 7, 8, 10, 14 e 16.
TRAVESSA DA RUA DOS CHÕES
São quinhentistas os portados simples, números: 6, 8, 12, 14, 16 e 18. Os portados números 6 e 8 estão prejudicado.
PRAÇA DA PALHA
São quinhentistas os portados geminados, números 1 e 3; e os portados simples, números: 2, 5, 8, 11 e 14.
RUA DO ARRESSÁRIO
São quinhentistas os portados geminados, números: 3 e 5 e 27 e 29; e os portados simples, números: 11, 15, 23, 24, 34, 36, 45, 46, 47, 48, 50, 53, e 60. A janela da casa correspondente ao número 28 é também quinhentista e o lintél tem um recorte em bico ao centro. O portado número 34 tem no lintél, a inscrição gótica que diz: “L.ço Vaz”.
RUA DO MERCADO
São quinhentistas os portados simples, números: 11, 11-A, 13, 14, 15, 16 – prejudicado, 20, 22, 24, 28, 37 e 39. Nas casas correspondentes aos números: 24, 28 e 39, existem janelas também quinhentistas; a que corresponde ao número 28 é adaptação de uma porta.
"São também manuelinos os belos portados das Igrejas da Graça (Misericórdia) e do Espírito Santo".

33 ANOS DEPOIS
TRABALHO DE VERÍSSIMO BISPO - (2013)

Travessa do Poço das Covas
O portado contabilizado pelo padre Anacleto, continua no seu devido lugar.
Rua das Cabeças
Também nesta rua o portado contabilizado pelo padre Anacleto, continua no seu devido lugar.
Rua do Torrejão
A primeira baixa neste conjunto de ruas, o portado número 18 já não existe, (a casa foi remodelada e o portado substituído).
Rua da Caleja Nova
Tudo bem nesta rua. O portado contabilizado pelo padre Anacleto, continua no seu devido lugar.
Rua dos Chões
A desgraça passou por esta rua e levou 4 portados. Os portados números: 7, 14 e 16 foram mandados abaixo, (as casas em que eles davam entrada foram remodeladas e, eles não tiveram lugar nas novas casas). O portado número 10 foi transformado em janela.
Travessa da Rua dos Chões
Nesta rua temos novidades. Os portados números: 6 e 8 foram arrasados, (a casa que os sustentava foi remodelada e eles foram dispensados).
Praça da Palha
Nesta praça não temos novidades. Os portados contabilizados pelo padre Anacleto, mantém-se nos seus lugares. Contudo é necessário dizer, que uma das casas que tem lugar nesta bonita praça, está sem telhado e sem uma das paredes laterais.
Situação completamente incompreensível e totalmente inaceitável.
Rua do Arressário
Nesta velha rua da zona histórica da terra albicastrense, a desgraça passou por lá e levou cinco dos portados.
Os portados números: 46, 48 e 50 foram mandados abaixo, (as casas em que eles davam entrada foram remodeladas e eles não tiveram lugar nas novas casas). 
Dois dos portados foram transformados em janelas, números: 11 e 29.
Rua do Mercado
Nesta rua temos “apenas” uma baixa. O portado número 39 foi mandado abaixo.

 RESUMO DAS NOVE RUAS
Trinta e três anos depois do trabalho do padre Anacleto, constatei que neste conjunto de nove ruas houve 13 (BAIXAS), onze portados foram abaixo e dois foram transformados em janelas. Tal como nas publicações anteriores, também neste conjunto de ruas muitos dos velhos portados quinhentistas, estão em casas completamente degradadas. 
Ou seja, a desgraça está bem patente a quem a quiser ver, pena é que quem de direito prefira olhar para outras passagens.   
(Continua)
O Albicastrense

Sem comentários:

Enviar um comentário

O PASSADO E O PRESENTE - (III)

CASTELO BRANCO  ATRAVÉS DOS TEMPOS  Terceira publicação da rubrica: “ I magens do passado e do presente da terra albicastrense ” .  A imagem...