segunda-feira, maio 20, 2013

ALBICASTRENSES ILUSTRES - XXXII

ANTÓNIO DE SENA FARIA VASCONCELOS E AZEVEDO
Nasceu em Castelo Branco a 2 de Março de 1880, sendo filho do Juiz de Direito Dr. Luís Condito Faria Vasconcelos. Frequentou a Universidade de Coimbra, onde se formou em Direito a 12 de Julho de 1901.
No entanto, foram principalmente os problemas de Educação que, desde muito novo o seduziram. Atraído por eles, partiu para a Bélgica e matriculou-se na Universidade Nova de Bruxelas, frequentou a Escola Livre e Internacional do Ensino Superior, onde defendeu a tese “Esquisse d' une théorie de le sensibilité social”, o que lhe valeu ser doutorado em Ciências Sociais com a maior distinção. De aluno passou a Professor da mesma Universidade, regendo a cadeira de Psicologia no Instituto de Altos Estudos (1904-1914). Foi também Professor de Literatura Dramática na Extensão Universitária da Bélgica (1905-1910). Na posse de todos os métodos e problemas da educação, passou da teoria à pratica, fundando à sua custa em Bièrges, perto de Bruxelas, a sua École Nouvelle à la Campagne (1911), escola que na opinião de Adolfo Ferriêre foi uma das melhores realizações da Escola Nova.
Em Agosto de 1914 a invasão alemã impeliu-o para a Suíça, tendo em Genebra desempenhado os cargos de Encarregado dos Cursos das Ciências de Educação, Assistência do Laboratório de Psicologia Experimental da Universidade, dirigido pelo Dr. Claparéde e Secretario do Bureau Internacional des Écoles Nouvelles. O seu nome já consagrado como pedagogo e psicológico de primeira categoria, chegou à América, tendo recebido convites da Republica de Cuba e da Bolívia, onde organizou programas e regulamentou varias secções pedagógicas. Em Dezembro de 1920 regressou a Portugal onde exerceu o cargo de Professor de Pedagogia na Escola Normal Superior e, em 1922 foi nomeado Assistente da Faculdade de Letras de Lisboa.
Em 1925 fundou o Instituto de Orientação Profissional, a que dedicou a sua actividade. Tem inúmeros trabalhos da especialidade e, dele tratam autores os quais o Dr. José Lopes Dias em “Estudantes da Universidade de Coimbra naturais de C. Branco” de onde se respigaram estas notas.
António de Sena Faria Vasconcelos e Azevedo, morreu em Lisboa no ano de 1939.

Recolha de dados: “Figuras ilustres de Castelo Branco”, de Manuel da Silva Castelo Branco.
O Albicastrense

3 comentários:

  1. Anónimo12:29

    A escova a graxa tão grande é que raia o absurdo. Duas rapaziadas dos papa subsidios marcam duas corridas no mesmo dia 26 de maio.
    O pelouro da cultura deve estar de folga, penso eu de que...
    O nucleo a querer justificar os escondidos sub que recebe. Corre, corre mas para trás tem de ficar.
    Corre corre balão sobe, que quanto mais sobe, mais é a queda diz o ditado popular.


    ResponderEliminar
  2. Caro anónimo.
    Publiquei o seu comentário, contudo peco-lhe que na próxima seja mais claro, dizendo o seu nome e "colocando nome aos bois".
    Se assim não for, da próxima vez o comentário não será publicado.
    Abraço

    ResponderEliminar
  3. Caro senhor António Veríssimo,
    estou a desenvolver um trabalho sobre as actividades desenvolvidas pelo professor António Sena Faria durante a sua estada em Cuba, para ser apresentado numa conferência e estou a sentir dificuldades.
    Por esse motivo, muito grato ficarei se o senhor me puder ajudar, fornecendo-me alguns pormenores.
    Por uma questão de privacidade e caso se disponha a ajudar-me, por favor contacte-me por coco.cayo@gmail.com, onde poderá deixar-me a indicação da forma de entrarmos em contacto.
    Com os meus cumprimentos
    C.Dativo

    ResponderEliminar

ANTIGA ERMIDA DE S. BRÁS

J. Ribeiro Cardoso diz no seu livro  “ CASTELO BRANCO E O SEU ALFOZ ”, o seguinte  sobre a antiga Ermida de S. Brás. A “ MONOGRAF...