domingo, janeiro 24, 2016

NÃO DÁ PARA ACREDITAR

 NÃO DÁ, NÃO DÁ, NÃO DÁ…

“…A casa diz que não dá
Não dá, não dá, não dá
E ela diz que não dá
Não dá, não dá, não dá…”
(Adaptação dos D.A.M.A.)

A casa que podemos ver numa das imagens registada neste post, (Rua dos Ferreiros), foi recuperada pela autarquia albicastrense em 2015, - recuperação a que este albicastrense na devida altura deu o devido destaque.
Ontem ao passar na referira rua e ao olhar para a dita casa, não pude deixar de matutar “Com é possível que depois da boa recuperação feita nesta casa, o embelezamento final da casa tenha ficado nesta deplorável condição?”

- Será que os fios e o resto do tubo da antiga caleira que estão ainda agarrados à antiga muralha da terra albicastrense, ficaram lá para decorar a parede e ornamentar a belíssima inscrição ali existente?

Palavra que este albicastrense não consegue entender que se tenha gasto uma pipa de massa na recuperação desta velha casa, e depois, se esqueçam de detalhes como estes.
Aos responsáveis da autarquia da terra albicastrense, só posso mesmo recordar que, situações como esta, só borram o bom trabalho feito na recuperação das casas.
Meus amigos situações como esta, são completamente inadmissíveis! O quadro que fica para quem por ali passa, é de uma pintura onde o pintor parece não ter acabado o quadro por falta de imaginação e de tintas para finalização da obra.
O Albicastrense

4 comentários:

  1. Anónimo02:44

    Ilustre Albicastrense António Veríssimo, começo por o cumprimentar, após algum tempo de ausência do seu simpático blog, que continuo a julgar ser da maior utilidade para alguns Albicastrenses, que tal como eu, aqui encontram a única forma de poderem manifestar as suas opiniões. Hoje foi dia de Eleições Presidenciais, e vi coisas que não deveria ter visto. Manifesto no entanto, meu desagrado relativo à incompetência de alguns, cujas funções deveriam ser, garantir a segurança do cidadão eleitor, (principalmente daqueles que são mais idosos), que por inúmeras debilidades, e saíndo com grande sacrifício, do conforto do lar para prestar um serviço cívico, acabam por ir parar ao banco do hospital, ou por ficarem inutilizados numa cama, para o resto da sua vida. Estou-me a referir às quedas que presenciei em alguns perigozíssimos acessos a mesas de voto desta cidade, que poderão ser apelidados de autênticas armadilhas! Hoje(24/01/2016), só nos acessos à mesas de voto que estavam junto à Biblioteca Municipal, houve pelo menos que eu tenha tomado conhecimento, três (3) acidentes de pessoas idosas, que caíram nessas "armadilhas", (e são mais que uma-aliás são várias), e se aleijaram fortemente! Não sei quem são os responsáveis que dão o consentimento da abertura dessas mesas, sem procederem a uma inspecção a fim de terem o garante de que os cidadãos possam exercer os seus direitos cívicos em segurança. Também estou em querer, que essas pessoas, mesmo que fizessem essa inspecção, por sua incompetência, não iriam detectar nada, como também não detectam razões para eliminar as perigosas "passadeiras para a morte", que estão respectivamente próximo "das tílias" e no final da Avª 1º de Maio...Com a Protecção Civil, também não podemos contar, porque parece-me que esses só servem para "apagar fogos", ou quase. Nas anteriores eleições, tal como pude observar, já lá estavam as ditas armadilhas, e provávelmente ir-se-ão manter até às próximas! Esses responsáveis têm um rosto, e não têm qualquer sensibilidade para os cargos de segurança que desempenham. Deveriam demitir-se, ou serem demitidos...há gente a precisar de trabalho, e conheço alguns mais competentes!

    ResponderEliminar
  2. Caro anónimo.
    Antes mais o meu muito bem-haja pelo seu comentário.
    Quanto ao assunto que aqui deixou, o mínimo que posso dizer é assino por baixo as suas preocupações.
    Abraço






    ResponderEliminar
  3. Boa noite, caro conterrâneo.
    Partilho da sua indignação ao ver estas fotos e ao passar pela rua d'Ega, morada dessa belíssima casa, a casa onde nasci e cresci. Deixe-me apenas esclarecê-lo nalguns pontos. A casa foi reconstruída pelos actuais proprietários, meus familiares, não pela Câmara Municipal. A fachada exterior, essa sim, foi recuperada pela Câmara, a quem se pode "agradecer" o sentido estético dos fios que ficaram pendurados, facto que o desagrada tanto a si, como a mim, como aos proprietários da bela casa.

    ResponderEliminar
  4. Amigo Rafinha.
    O meu bem-haja pelo seu esclarecimento. Parabéns aos seus familiares por terem recuperado esta bela casa, (coisa rara infelizmente na nossa zona histórica).
    Quanto ao fio e velha caleira, espero que brevemente a coisa seja resolvida.
    Um grande abraço


    ResponderEliminar

UM HOSTEL NA NOSSA ZONA HISTÓRICA

 (A CASA DA D. OLÍVIA)  Muitas foram já as vezes que aqui depositei tristezas sobre a nossa zona histórica, e muitas mais irão suced...