sábado, março 31, 2018

EFEMÉRIDES MUNICIPAIS – CXXVI

A rubrica Efemérides Municipais foi publicada entre Janeiro de 1936 e Março de 1937, no jornal “A Era Nova”. Transitou para o Jornal “A Beira Baixa” em Abril de 1937, e ali foi publicada até Dezembro de 1940.
A mudança de um para outro jornal deu-se derivada à extinção do primeiro. António Rodrigues Cardoso, “ARC” foi o autor desde belíssimo trabalho de investigação, (Trabalho que lhe deve ter tirado o sono, muitas e muitas vezes).

(Continuação)
 Sessão de 29 de Maio de 1807.
 Foi presente e aberta uma carta regia e por ela se verificou que eram nomeados (ou eleitos, como nas cartas regias se diz sempre) vereadores Joaquim Pessoa  de Amorim, José Tudela de Castilho e Diogo da Fonseca Barreto e Mesquita, e para procuradores do concelho, José Joaquim Pancas.

No dia 4 de Julho realizou-se a sessão seguinte.
 Da respetiva ata apenas consta que os bons dos vereadores “determinaram que se deitasse pregão, para toda a pessoa que tiver pão por ceifar e ceife até ao dia sete do corrente mês, porque passados eles se dá Licença Geral para se acarretar”.

Na sessão de 26 de Julho de 1808, que é a que vem a seguir, conta o nosso escrivão Vaz Touro o que se passou pela forma seguinte:
 “Nesta apareceo hum Requerimento de Francisco Rodrigues Bonitinho obrigado do açougue da Nobreza e Povo desta Cidade em que pedia lhe acrescentem mais três dés reis em arrate o que visto nesta Camara que informada do excessivo preço a que tem chegado as rezes grandes e gado miúdo e informação dos Procuradores do Povo que convinham neste acrescente houveram por bem que o dito obrigado possa vender do principio de Agosto por diante vaca cada arrate e setenta reis, chibato, e carneiro a sessenta reis sendo este acórdão digo sendo este acrescente da aprovação do Meritíssimo Corregedor desta Camara”.

Notem a diferencia do valor do dinheiro. A vaca deixava-se subir para 70 reis o arrátel e o chibato e o carneiro para 60 reis, porque as rezes grandes e o gado miúdo tinham subido para um preço excessivo.
Compara-se com os preços de hoje, em que o gado se vende ao desbarato, e vejam qual era o valor do dinheiro então. Então e muitas dezenas de anos depois, porque nós estamos agora a lembrar-nos de ver, em certo dia, nosso avô muito satisfeito por ter vendido o seu azeite muito bem, a quartinho (um escudo e vinte centavos) cada alqueire.
 Quantum mutatus ab illo! 
Tradução; "Quanto mudado está do que era!"
 (Continua)
PS. Aos leitores dos postes “Efemérides Municipais:
O que acabaram de ler é uma transcrição do que
 foi publicado na época.
O Albicastrense

Sem comentários:

Enviar um comentário

ENCICLOPÉDIA ALBICASTRENSE - (XXVIII)

            DATAS E FACTOS No dia cinco de Maio de 1909, o Município Albicastrense aprovou o orçamento que serviria de almofada financ...