segunda-feira, outubro 20, 2014

EFEMÉRIDES MUNICIPAIS – XCI



A rubrica Efemérides Municipais foi publicada entre Janeiro de 1936 e Março de 1937, no jornal “A Era Nova”. Transitou para o Jornal “A Beira Baixa” em Abril de 1937, e ali foi publicada até Dezembro de 1940.
A mudança de um para outro jornal deu-se derivada à extinção do primeiro. António Rodrigues Cardoso, “ARC” foi o autor desde belíssimo trabalho de investigação, (Trabalho que lhe deve ter tirado o sono, muitas e muitas vezes).

O texto está escrito, tal como foi publicado.
Os comentários do autor estão aqui na sua totalidade.

(Continuação)
E agora desaparece de uma vez para sempre o escrivão Aranha. Morreu ou que foi que aconteceu?
Morreu, presumimos nós, porque não se encontra qualquer referencia a que ele fosse exonerado, suspenso ou coisa assim parecida e nesta acta se diz que foi nomeado “Escrivão da Câmara interinamente Joam Cardozo Taborda natural de Freixal do Campo”, interinidade que se prolonga pelos anos fora sem nunca aparecer qualquer referencia ao nosso querido Aranha.
Deus o tenha por lá alguns anos sem nós e nos perdoe o que dele temos dito.
Note-se que o tal escrivão nomeado interinamente que se prolonga pelos anos fora, que a acta desta sessão nos aparece com o nome de João Cardoso Taborda de Figueiredo, subscreve todas as actas que seguem, termos de juramento, posse, etc, com o nome de João Cardoso Frazão Taborda.
E atrás de nós virá... Se o Aranha que Deus haja era um artista a redigir as actas, este era artista em duplicado.
Da caligrafia basta dizer que ainda era pior que a nossa, o que não é dizer pouco. A ortografia era uma beleza no género pitoresco. A redacção... Os senhores já vão ver a admirar.

A sessão seguinte realizou-se no dia 20 de Julho e o que nela se passou conta-o o nosso escrivão Taborda assim:
Que pello que requereo o Doutor Antonio Ignacio Goncalves Forte primeiro Medico Expector do Exercito de Beira para efeito de lhe declarar os salarios que se costumam parar-se nesta cidade aos Carpinteiros e Pedreiros seus officiais, trabalhadores, lavradores, Almocreves e homens de pé se determinarão e declararam que aos mestres carpinteiros e pedreiros se lhe costuma pagar trezentos réis por dia aos officiais destes mais emfriores duzentos e quarenta aos serventes e trabalhadores da enxada cento e sessenta Lavradores Almocreves ou sejão as bestas de albarda ou sela quatro centos reis por dia, hum homem de pé duzentos e quarenta reis tudo isto em quanto se com servarem os preços no estado actual. E por não haver mais que andar ouverão este auto por findo, que comigo assignarão”.

A sessão seguinte realiza-se logo no dia 24 de Julho. Assuntos a tratar apenas a nomeação dos avaliadores das ervagens “que se haode a rematar dia de Sam Thiago do presente anno”.
Os nomeados foram o infalível Manuel Martins Mas-barbas e Manuel da Silva Canelas e, apesar de dia de S.Tiago ser o de 25 de Julho, isto é, o imediato ao da sessão, os homens apareceram logo com o seu trabalhinho complete.
As ervagens a avaliar eram em número de 26 e foi-lhes atribuído o valor de 1.303.000 réis.
(Continua)

PS. Aos leitores dos postes “Efemérides Municipais”, o que acabaram de ler, é uma transcrição fiel do que foi publicado na época.
O Albicastrense

Sem comentários:

Enviar um comentário

EFEMÉRIDES MUNICIPAIS – CXIX

A rubrica Efemérides Municipais foi publicada entre Janeiro de 1936 e Março de 1937, no jornal “ A Era Nova ”.  Transitou para o Jorna...