sexta-feira, março 16, 2007

AS NOSSAS INSTITUIÇÕES

MUSEU

FRANCISCO TAVARES PROENÇA JÚNIOR

97 ANOS DE HISTÓRIA

Em 2010 o Museu Francisco Tavares Proença Júnior irá comemorar 100 anos de existência.
A três anos de distância desta data, aqui ficam algumas das datas mais importantes,
(para o bem e para o mal), desta grande instituição que se chama: Museu Francisco Tavares Proença Júnior.
Aos historiadores da nossa praça lanço aqui um desafio!
A comemoração dos 100 anos de existência do Museu, em 2010, não será a altura ideal para dar a conhecer melhor aos albicastrenses, (e não só), a história do seu Museu? Não seria esta a melhor altura para a publicação de um livro sobre a história dos seus cem anos, e dos homens que deram vida a esta grande instituição? Aqui fica a sugestão.

Datas históricas

1909 - A 2 de Dezembro é aprovado o regulamento do Museu de Archeologia.

1910 – A 17 de Abril é inaugurado, na capela do Convento de Stº António dos
Capuchos, o Museu Municipal.
É nomeado seu primeiro director – Francisco Tavares Proença Júnior.

A 30 de Abril é emitida uma portaria régia de louvor a Tavares Proença pela criação do Museu.

1912 – O Museu é transferido para o edifício da antiga escola normal primaria, escola primaria Conde Ferreira, no Castelo.

1914 – Em Setembro é constituída a Sociedade dos amigos do Museu Francisco Tavares Proença Júnior.

1915 - O Museu reabre no Convento de Stº António dos Capuchos.

1916 – Em 24 de Setembro morre Francisco Tavares Proença Júnior, em Lá Rosiaz na Suiça.
O Museu passa a denominar-se Museu Municipal Francisco Tavares Proença Júnior. É nomeado Director o
Dr. Manuel Paiva Pessoa.

1926 – A assembleia Municipal delibera a transferência do Museu para a dependência da tesouraria da Câmara, edifício onde hoje se encontra o Conservatório Regional.

1927 – A assembleia Municipal delibera fazer obras no segundo andar da cadeia para ai instalar o Museu Municipal.

1929 – O Museu é transferido para as dependências de Repartição das Obras Públicas, continuas ao edifício do Governo Civil de Castelo Branco.
É nomeado Director – Conservador o Major de Cavalaria Elias
Garcia.

1962 – O Museu é encerrado ao publico, após um longo período de instabilidade.

1963 – É nomeado Director D. Fernando de Almeida.

1964 – O antigo Paço Episcopal é alvo de remodelação a fim de ai instalar o espólio do Museu.

1968 – O Museu é assaltado nas suas velhas instalações contínuas ao antigo Solar dos Viscondes de Portalegre (Actual Governo Civil).

1969 – A Museu é assaltado pela segunda vez.

1971 – A 20 de Março o Museu é inaugurado no antigo Paço Episcopal, onde actualmente se encontra.

1973 – O Museu é submetido a um regime técnico e administrativo idêntico a outros Museus do Estado, através do decreto-lei nº 424 de 23 de Agosto.
É nomeado director o Dr. António Forte Salvado.

1976 – É fundada a Oficina-Escola de Bordados Regionais, através do decreto-lei nº 805 de 8 de Novembro.

1982 – O Museu transita para o Ministério da Cultura e Coordenação Cientifica.

1989 – É nomeada directora a Dr.ª Clara Vaz Pinto.

1993 – Em Abril iniciam-se as obras de remodelação do Museu.

1998 – O Museu é reaberto ao público.

1999 – É nomeada directora a Dr.ª Ana Margarida Ferreira.

2000 – A 17 de Abril o Museu completa 90 anos.

2005 – É nomeada directora a Dr.ª Aida Rechena.

2010 – O Museu Francisco Tavares Proença comemorará cem anos de existência.

Ps. Os desenhos são da autoria de Nuno Mata

A este assunto do centenário do Museu voltarei mais vezes.

O Albicastrense

6 comentários:

  1. Verissimo paraece que já existe comissão do centenário. Ainda não sei todos os nomes mas em relação a alguns ponho muitas reticencias. Sabes algo mais?

    Abraço

    Joaquim

    ResponderEliminar
  2. perguntador12:05

    De quem é que são so desenhos?

    ResponderEliminar
  3. Batista
    Eu sei que a comissão do centenário já existe.
    Quanto ao saber algo mais, posso dizer-te que existem vários projectos para o ano do centenário (2010).
    A edição de um selo, havendo duas hipóteses quanto símbolo a por no selo.
    A realização de um congresso de arqueologia em Castelo Branco, com a participação de arqueólogos conhecidos para falar sobre a obra de Tavares Proença.
    A publicação de alguns escritos do Tavares Proença com o apoio da Fundação Gulbenkian, mas não ficam por aqui as iniciativas.
    Batista quanto aos nomes, corta as reticencias, pois não tens motivos para isso.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  4. Caro perguntador.
    Gostaria de poder dizer-lhe qual o autor dos desenhos, porem não sei.
    Sei que foram feito a pedido da anterior directora do museu, Dr.Ana Margarida Ferreira para ilustrar um trabalho.
    Foram feitos através de fotografias tirada por mim à alguns anos.

    ResponderEliminar
  5. Caro perguntador.
    Apôs alguma procura consegui
    finalmente saber o nome do autor dos desenhos.
    Nuno Mata
    De: Côja, Arganil

    ResponderEliminar
  6. Anónimo19:57

    gwervgr4

    ResponderEliminar

A RUA DA MINHA ESCOLA – (IX)

(ESCOLA DO BONFIM)                               O que sabemos nós da rua da nossa escola primária?    (Rua do Bonfim)         ...