terça-feira, janeiro 22, 2013

PORTADOS QUINHENTISTAS - VII (Conclusão)

TRINTA E TRÊS ANOS DEPOIS....
(1979 - 2012)
No início da publicação do trabalho do padre Anacleto Martins sobre os portados quinhentistas da terra albicastrense, coloquei aqui as seguintes perguntas:
Será que os 307 portados ainda existem na sua totalidade?
Será que as palavras de Anacleto Martins cairão em saco roto e tudo continua como dantes?
Ou será que as palavras de Anacleto Martins abriram os olhos aos responsáveis pela autarquia dessa altura e seguintes, e hoje tudo está diferente?
Para encontrar respostas às minhas perguntas, percorri durante alguns dias as ruas da zona histórica que o padre Anacleto Martins percorreu em 1979.
As respostas às minhas perguntas dificilmente poderiam ser piores, pois, entre 1979 e 2012, a zona histórica da terra albicastrense, perdeu 43 (QUARENTA E TRÊS) portados quinhentistas!....
Não se pense porém, que a tragédia se limita aos 43 portados eliminados, existem dezenas e dezenas deles, em casas completamente degradadas.
Dos 307 portados contabilizados pelo padre Anacleto Martins em 1979, restam 264, perante tal situação, bem podemos dizer que ele andou a pregar em terra de surdos, surdez que se alastrou pela terra albicastrense, como se de uma epidemia se tratasse, tendo (segundo parece) contaminado todos aqueles que tinham a responsabilidade de os defender.
Neste momento, mais que apontar culpados pelo deixa mandar abaixo ou por pouco ou nada terem feito para os preservar, interessa recuperar todos aqueles que estão em casas a cair de podre.
Contudo para ser sério, nem tudo foi negativo ao longo dos últimos 33 anos. Nos últimos anos, alguns dos portados (como se pode ver em algumas das imagens aqui postadas) contaram com a proteção e carinho de alguns dos moradores e dos responsáveis pela autarquia da terra albicastrense, se assim não fosse, a tragédia teria atingido proporções completamente astronómicas.
Terminava deixando uma frase para os responsáveis autarcas da terra albicastrense e proprietários das casas na referida zona histórica:
Nem mais um portado quinhentista 
mandado abaixo !!!!.......
Ps. Como não estarei por cá daqui a 33 anos, espero que alguém nessa altura se dê ao trabalho de fazer o percurso que eu agora percorri e que o padre Anacleto Martins percorreu em 1979, e no final possa dizer:
Valeu a pena alguém ter despertado os cérebros 
adormecidos dos albicastrense, pois hoje, os portados estão
 bem e recomendam-se”.
O Albicastrense

Sem comentários:

Enviar um comentário

A RUA DA MINHA ESCOLA – (IX)

(ESCOLA DO BONFIM)                               O que sabemos nós da rua da nossa escola primária?    (Rua do Bonfim)         ...