sexta-feira, junho 28, 2013

O CINEMA NA TERRA ALBICASTRENSE


                     SONHAR NUMA  SALA DE CINEMA

Quatro meses depois das promessa feitas por Joaquim Morão aos albicastrenses sobre o encerramento das salas de cinema no Fórum, a cidade de Castelo Branco continua sem ter uma verdadeira sala de cinema. Entre outras coisas, o presidente afirmou na altura:
"estou já em contactos com as principais distribuidoras” para fazer com que os filmes comerciais regressem ao Cine-Teatro Avenida, a principal sala de espectáculos de Castelo Branco. Joaquim Morão explicou à Lusa que “só deixaram de se fazer sessões de cinema no Cine-Teatro Avenida porque abriram salas particulares na cidade e não fazia sentido concorrer-se aos privados”. O autarca sublinha que o Cine-Teatro manteve sessões de cinema de autor ao longo de todo este período”.

Promessas para a resolução de um problema para o qual não contribuíra, mas que iria tentar ajudar a resolver, contudo, passados quatro meses muito pouco foi feito para dotar a cidade albicastrense de uma verdadeira sala de cinema. Sala onde se possa ver todo o tipo de cinema e não ciclos de autores, uma vez que esses ciclos (quer se queira ou não) serão sempre escolhas pessoais de quem escolhe os filmes.
Na sala do Cine-Teatro Avenida, passa atualmente um filme por semana! Uma autêntica avalanche cinéfila... perante este número, só podemos afirmar que as palavras de Joaquim Morão em relação aos contactos que estariam em marcha com as principais distribuidoras, caíram em saco roto.
Perante esta avalanche cinéfila, não posso deixar de dar razão ao candidato do PSD, quando na sua apresentação de candidatura no Monte do Índio, denunciou a falta de uma verdadeira sala de cinema na cidade de Castelo Branco (segundo reportagem do jornal reconquista). Aproveitando a deixa de Paulo Moradias, aproveito para lançar um repto aos candidatos à autarquia albicastrense:

Que pensam fazer, para ajudar a resolver este assunto?

Eu sei que outros assuntos mais graves se levantam na terra albicastrense, todavia, numa época em que sonhar pode muito brevemente correr o risco de ser considerado subversivo, numa época em que sonhar pode muito brevemente vir a pagar imposto, numa época em que determinados “iluminados”, até os sonhos nos querem saquear, este albicastrense “exige” a quem se candidatar à autarquia da sua terra, que o deixem sonhar (pelo menos) na cadeira da sala do cinema da sua terra a ver um bom filme.
O Albicastrense

6 comentários:

  1. Anónimo01:10

    O Sr. tem toda a razão, mas o pessoal de Castelo Branco e arredores o que quer é DOCAS e cerveja fria. Por essa razão a empresa de Viana do Castelo se pôs a andar do forum. Depois parece que em Castelo Branco, em tudo o que se faz, tem mãozinha do Sr Morão. Agora passa a ser mãozinha do Sr. Correia. Dificilmente uma sala de cinema nesta cidade terá sucesso, a não ser que seja uma sala para meia duzia de gatos pingados. Por estas bandas não há trabalho logo há menos dinheiro para despesas de lazer, e o pessoal prefere gastar o pouco que sobra ai pelas docas, etc, etc,

    ResponderEliminar
  2. Caro anónimo.

    Docas! Eu continuarei a chamar eternamente ao local, DEVESA, DEVESA E SEMPRE DEVESA.

    Quando aos "gatos pingados" de que fala, eles são muito mais que meia dúzia. Já depois do encerramento do cinema no Forum, fui ao Cine-Teatro Avenida assistir a uma das tais sessões raras, nessa sessão estavam lá mais de duzentos "gatos pingados".
    O problema resolve-se facilmente. Basta que a câmara (na falta de gente interessada) volte ao passado e copie a gestão que em tempos existiu no Cine-Teatro.
    Bem-haja pelo comentário.

    ResponderEliminar
  3. Carlos Vale01:18

    O Anónimo não deixa de ter alguma razão.
    É um pouco verdade, que as pessoas só reagem quando já não têm as coisas...
    Claro que a programação do Fórum era péssima, tão péssima, que mesmo um cinéfilo da 7ª Arte tinha dificuldade em ir ver CINEMA digno desse nome.
    Sou um espectador dos mais assíduos das sessões do Cine Teatro, são muito poucas as que falto. A programação tem vindo a melhorar, e mesmo assim, salvo raras excepções, o número de espectadores não tem sofrido alterações significativas.Ou seja, deviamos de ser mais.
    Porquê? Falta de interesse? Informação deficiente?
    Um caso a merecer a nossa atenção. Carlos Vale

    ResponderEliminar
  4. Amigo Carlos.
    Dizes tu; “É um pouco verdade, que as pessoas só reagem quando já não têm as coisas...” na maior parte das vezes, nem nessas alturas as pessoas reagem.
    Quanto à programação da sala do Fórum, não podemos esquecer-nos que se tratava de uma sala comercial, por isso, tinha que contentar todo o tipo de expectadores.
    Como antigo espectador da sala do Fórum, posso dizer-te que vi ali boas fitas, claro que um bom filme para mim pode não ser necessariamente um bom filme para ti.
    Quanto ao Cine-Teatro Avenida, a escolha dos filmes parece-me demasiado pessoal o que nem sempre é a melhor solução para uma sala que esteve “morta” tanto tempo.
    Em meu entender a projecção do cinema de autores é correcta, contudo, a sala deve ser escancarada a todo o tipo de cinema, ou seja, hoje o Hitchcock (que eu gosto muito) amanhã um filme do 007 (que também gosto), e no dia seguinte um qualquer filme rasca para mim e para ti, mas que terá com certeza gente interessada em vê-lo.
    Abraço

    ResponderEliminar
  5. Carlos Vale02:58

    Nem de propósito hoje dia 9 fui ao cine teatro ver cinema. Vi um filme admirável. Apesar de estarmos no verão, com algumas pessoa de férias ainda se juntou uma boa quantidade de pessoas. E mereceu a pena.
    O filme-documentário chamado: À Procura se Sugar Man. É a história de um cantor norte-americano de origem mexicana quase desconhecido chamado Sixto Rodrigues que alcançou, sem o saber, um sucesso extraordinário em plena luta do apartheid a partir de 1970, e que só a partir 1998 teve disso conhecimento, chegando a fazer uma digressão à Cidade do Cabo e depois em mais cidades da Africa do Sul em 2006. Ele que nos EUA teve que ser operário uma vida inteira. Com letras e música fantásticas. Assim sim, vale a pena ver CINEMA. Carlos Vale

    ResponderEliminar
  6. Carlos.
    Fiquei com agua na boca depois de ler o que escreves-te sobre o filme: À Procura de Sugar Man.
    Vou tentar vê-lo na concorrência download.
    Abraço

    ResponderEliminar

O NOSSO BARROCAL

A MINHA OPINIÃO SOBRE O BARROCAL  O Barrocal é para mim, e para muitos albicastrenses, um local de memórias e afectos, pois muitos de ...