segunda-feira, setembro 09, 2013

EFEMÉRIDES MUNICIPAIS – LXXVII

A rubrica Efemérides Municipais foi publicada entre Janeiro de 1936 e Março de 1937, no jornal “A Era Nova”. Transitou para o Jornal “A Beira Baixa” em Abril de 1937, e ali foi publicada até Dezembro de 1940. A mudança de um para outro jornal deu-se derivada à extinção do primeiro. António Rodrigues Cardoso, “ARC” foi o autor desde belíssimo trabalho de investigação, (Trabalho que lhe deve ter tirado o sono, muitas e muitas vezes).
O texto está escrito, tal como foi publicado.
Os comentários do autor estão aqui na sua totalidade.
(Continuação)
Vem a seguir a sessão de 25 de Março, a que assistiram o juiz de fora, vereadores e procuradores do concelho, e o que se passou conta-o a acta neste termos:

Nesta Vereação foy aprezentada huma carta da Raynha Nossa Senhora em data de 21 do corrente mês e anno que por Postilhão tinha vindo aos mesmos Juiz Vereador e Procurador desta Comarca em que lhe dava a gostosa noticia de que no mesmo dia fora Nosso (o escrivão Aranha quis certamente dizer Nosso Senhor); servido de felicitar estes Reynos com o Nascimento de hum Princepe que a Princeza do Brasil e sua amada e Prezada Nora dera à luz com feliz sucesso para que se festejasse com todas aquellas demonstraçoens de aplauso e contentamento do costume o que logo de poz em execussam”.

Saindo de Lisboa depois do parto da Princesa no dia 21, para chegar aqui a tempo de fazer entrega da carta régia, serem feitos os avisos aos vereadores e realizar-se a sessão no dia 25, vamos lá que não andou mal de todo.
Porque é preciso notar que o postlihão vinha a cavalo e era preciso ter pernas rijas para vencer em três dias a distancia de Lisboa a Castelo branco pelos caminhos de cabras que então havia.
Na sessão de 10 de Maio apenas “nomearão p. Almotaçel para servir com o Dr. Jozé de Andrade a Jozé da Silva Castellbranco que servirá nos tres meses seguintes

E não tiveram forças para “desachar” mais nada.
Mas tornaram a reunir-se logo três dias depois, no dia 13 e; Nessa Vereação coutaram os Alqueves e que se despejassem no termo de tres dias que findão no dia 17 de corrente mês para o que se lançassem Pregoens na forma do custume”. E mais determinaram, “que se a rematassem as courelas da Folha dos milhos e que se puzessem a pergão”. E mais nada que isso, “por não haver mais que despachar”.
(Continua)
PS. Mais uma vez informe os leitores dos postes “Efemérides Municipais”, que o que acabou de ler é, uma transcrição fiel do que foi publicado na época.
O Albicastrense

Sem comentários:

Enviar um comentário

RUAS DA ZONA HISTÓRICA DE CASTELO BRANCO

AS MINHAS IMAGENS  ZONA HISTÓRICA DA TERRA ALBICASTRENSE  O  Albicastrense