segunda-feira, setembro 22, 2014

EFEMÉRIDES MUNICIPAIS – XC

A rubrica Efemérides Municipais foi publicada entre Janeiro de 1936 e Março de 1937, no jornal “A Era Nova”. Transitou para o Jornal “A Beira Baixa” em Abril de 1937, e ali foi publicada até Dezembro de 1940.
A mudança de um para outro jornal deu-se derivada à extinção do primeiro. António Rodrigues Cardoso, “ARC” foi o autor desde belíssimo trabalho de investigação, (Trabalho que lhe deve ter tirado o sono, muitas e muitas vezes).
O texto está escrito, tal como foi publicado.
Os comentários do autor estão aqui na sua totalidade.
(Continuação)
Na sessão de 27 de Junho de 1797, que é a que vem a seguir à de 22 de Maio, “foi nomeado para Inspector e vigiar sobre a factura a concerto dos caminhos que se vão principiar nos termos desta cidade e que se ade continuar athé à mesma a Jozé Francisco Vidal Salgado”.
Deliberou-se ainda dar licença para “ se acarretar o pam de folha” e, alem disse:
- se nomeou na forma de hum oficio do Marechal de Campo João da Silveyra Pinto que Governa as Armas desta Província para Depozitario das Muniçoens de Guerra que se achão nesta Cidade e das mais possão vir a Francisco Jozé Magro desta Cidade e para tomar dellas entrega foy mandada notheficar pelo Alcayde.

Mas, ao que parece, o tal cargo de depositário das munições de guerra não era muito de apetecer, porque logo quatro dias depois, ou seja no dia 1 de Julho, torna a haver sessão da Câmara e a acta reza assim:

Nesta Vereação atendendo às justas rezoens que alegou Francisco Jozé Magro depozitario nomeada para nomeado para as muniçoens de Guerra e principalmente a se achar continuadamente ocupado na factura e preparo dos remédios para o Hospital melitar como Boticario do mesmo, foy nomeado em seu lugar Manuel Gomess Ayres, e se mandou ao Alcayde que noteficasse para dentro em vinte e quatro horas fosse tomar conta das ditas moniçoens á Casa do Castello em que se achão e a mim Escrivão que dellas lhe fizesse termo de entrega e que logo se fizesse sabedor o Ex.mo Sr. General desta Provincia da mesma nomeação”.

Era caso úrgico o da nomeação do depositário das munições dentro de vinte e quatro horas o homem havia de tomar conta do cargo e havia de comunicar-se a nomeação ao general da província.
O certo é, porém, que o Manuel Gomes Ayres não esteve para se meter em trabalhos e na sessão seguinte da Câmara, que se realizou em 16 de Julho, os vereadores, “atendendo às rezoens” que o Ayres alegou, nomearam outro depositário que se chamava Vicente Ferreira.
Ao que parece, este resolveu-se a ser o depositário das tais munições, porque não encontramos nada que indique que também este alegasse “justas rezoens” para se livrar dos trabalhos que lhe metiam em casa.
Nesta sessão foi ainda nomeado para “cargo de Feitor e recebedor da Alfandega” José da Silva Castelo Branco.
(Continua)
PS. Aos leitores dos postes “Efemérides Municipais”, o que acabaram de ler, é uma transcrição fiel do que foi publicado na época.
O Albicastrense

Sem comentários:

Enviar um comentário

DESCOBRINDO CASTELO BRANCO ANTIGO – (VI)

  Esta é uma imagem que irá deixar muita gente a coçar a cabeça e a interrogar-se, sobre o local onde este edifício tinha poiso na terra...