quarta-feira, março 27, 2013

EFEMÉRIDES MUNICIPAIS - LXXII


A rubrica Efemérides Municipais foi publicada entre Janeiro de 1936 e Março de 1937, no jornal “A Era Nova”. Transitou para o Jornal “A Beira Baixa” em Abril de 1937, e ali foi publicada até Dezembro de 1940. A mudança de um para outro jornal deu-se derivada à extinção do primeiro. António Rodrigues Cardoso, “ARC” foi o autor desde belíssimo trabalho de investigação, (Trabalho que lhe deve ter tirado o sono, muitas e muitas vezes).

O texto está escrito, tal como foi publicado.
Os comentários do autor estão aqui na sua totalidade.

(Continuação)
À sessão de 24 de Maio de 1794 segue-se a de 15 de Junho. É um intervalo de três semanas e por isso era de esperar que nesta sessão houvesse muito que fazer. Pois, senhores, o nosso escrivão Aranha diz que foram os vereadores que assistiram à sessão e logo a seguir que “não houve que despachar”!

É esquisito, mas é assim que lá está.
Novo intervalo de três semanas, pois que a sessão seguinte se realizou no dia 6 de Julho. Tudo o que se resolveu aqui vai textualmente copiado:
"...ouverão por baldia as folhas dos restolhos desde o dia tres do corrente".
E mais nada. É curioso notar que a Câmara resolve no dia 6 dar “por baldia a folha dos restolhos” deste o dia 3. Antes de ser já o era, como a pescada.

Nova sessão em 20 de Julho. São nomeados avaliadores das ervagens Manuel Martins Más-barbas, Euzebio Ferreira e José Vaz da Cunha, que deram conta do recado na sessão seguinte, realizada três dias depois. As ervagens foram avaliadas em 1.316:000 réis, o que para o valor da moeda nesses tempos era alguma coisa.
A ervagem que se avaliou por preço mais alto foi a da Ribeiro de Ega: 80:000 reis. A mais barata foi a do “Val Longo”: 30:000 réis. As ervagens avaliadas foram em numero de vinte e sete.

O mês de Agosto passa perfeitamente em claro. Nem uma sessão para amostra. Só torna a reunir-se a Câmara no dia 21 de Setembro e nesta sessão foram no meados: para almotaceis, nos três meses seguintes, José da Silva Castelo-branco e Alexandre António Poderoso; Para juiz do ofício de pedreiros, João Martins da Fonseca e, para juiz do ofício de ferreiros, Simão Fernandes Leal. Depois de dar conta destas nomeações, a acta acrescenta: “E determinaram algumas pedições”. Que pedições fossem é que se não diz.
(Continua)

PS. Mais uma vez informe os leitores dos postes “Efemérides Municipais”, que o que acabou de ler é, uma transcrição fiel do que foi publicado na época.
O Albicastrense

Sem comentários:

Enviar um comentário

AO PRESIDENTE DA AUTARQUIA ALBICASTRENSE - (II)

Hoje ao passear pela rua Mousinho Magro, dei comigo a olhar para os dois portados que se podem ver na imagem aqui postada e a perguntar ...