quarta-feira, agosto 14, 2013

EFEMÉRIDES MUNICIPAIS – LXXVI

A rubrica Efemérides Municipais foi publicada entre Janeiro de 1936 e Março de 1937, no jornal “A Era Nova”. Transitou para o Jornal “A Beira Baixa” em Abril de 1937, e ali foi publicada até Dezembro de 1940. A mudança de um para outro jornal deu-se derivada à extinção do primeiro. António Rodrigues Cardoso, “ARC” foi o autor desde belíssimo trabalho de investigação, (Trabalho que lhe deve ter tirado o sono, muitas e muitas vezes).

O texto está escrito, tal como foi publicado.
Os comentários do autor estão aqui na sua totalidade.

(Continuação)
No ano de 1794 não tornou a Câmara a reunir-se em sessão. Só no dia 1 de Janeiro de 1795 torna a reunir-se para a nomeação das justiças e mais nada.
A sessão imediata realiza-se em 9 de Janeiro. São nomeados os derramadores da sisa e é lançada nova finta de seiscentos mil réis para acudir às necessidades dos expostos, que eram cada vez em maior numero.
Lá torna a aparecer Monforte com a maior verba. Paga 160.000 réis, ao passo que a sede do conselho paga 120.000 réis.
Vem depois a sessão de 20 de Janeiro. Do que nela se passou só nos diz o escrivão Aranha que “se despacharão varias pedições”, sem dizer que pedições fossem, e passa adiante:
A sessão imediata realiza-se em 20 de Fevereiro precisamente um mês depois. É aberta a carta regia que nomeia os novos vereadores, os quais são: José Martins Goulão, Diogo da Fonseca Barreto Mesquita e José Caldeira de Ordaz e Queirós. Procurador do Conselho era José Agostinho Pancas.
Vem agora a sessão de 23 de Fevereiro de 1795. O que nela se passou foi mais de nada. Diz a acta que os vereadores:
determinarão que visto terce arrematado as Tabernas sem que ouvesse separassão da licensa que os arrematadores devem pagar a esta Câmara que tem o direito e está na posse de a arbitrar”.
Além disse foram “eleitas as Justiças de Escalos de Baixo”, porque a Câmara a não tinha feito na sessão de 1 de Janeiro. Esquecimento da Câmara ou do nosso escrivão Aranha? Não se sabe, porque a acta o não diz.
A sessão imediata realizou-se no dia 1 de Marco e da acta só consta que: “nomearão para cobrador da sisa no lugar de Monforte a Francisco Rufino
E mais nada. Até se dá o caso de a acta não aparecer subscrita pelo escrivão Aranha nem assinada por nenhum vereador.
(Continua)
PS. Mais uma vez informe os leitores dos postes “Efemérides Municipais”, que o que acabou de ler é, uma transcrição fiel do que foi publicado na época.
O Albicastrense

Sem comentários:

Enviar um comentário

UM HOSTEL NA NOSSA ZONA HISTÓRICA

 (A CASA DA D. OLÍVIA)  Muitas foram já as vezes que aqui depositei tristezas sobre a nossa zona histórica, e muitas mais irão suced...