quarta-feira, agosto 28, 2013

VIVENDAS DA AVENIDA NUNO ÁLVARES


 AS IMAGENS NÃO MENTEM!
ELA ESTÁ UMA LINDEZA...

Em Julho postei aqui um post, onde dava a conhecer as obras que decorriam em mais uma das vivendas da avenida Nuno Álvares.
Cerca de três meses depois, as obras estão concluídas, como aliás se pode ver nas imagens aqui postadas.
Embora não sabendo os serviços que ali vão ser instalados (nem tal interessa para o caso), não posso deixar de dizer (mais uma vez), que a recuperação desta vivenda é um trabalho que merece ser aqui destacado.
Três vivendas estão já recuperadas na avenida Nuno Álvares, todavia o tempo não é de lançar foguetes nem de atos eleitorais, o tempo é de deitar mãos à obra, pois ali bem perto existe uma das mais belas vivendas da terra albicastrense.
Vivenda construída no início da abertura da avenida e que atualmente está uma autêntica calamidade, perante a desgraçada condição em que a dita cuja se encontra, apenas uma frase:

MÃOS À OBRA! MEUS AMIGOS …
O albicastrense

2 comentários:

  1. Anónimo13:38

    Tudo se resume a mero mal jogador de xadrez. Muda as peças engraxa e dá de novo. Quem paga o mesmo a rubrica a despesa pública, " os dinheiros da CEE" " a fundo perdido " dizem eles.Quem paga os mesmos e se possivel rápido. E Ké das empresas que geram a mais valia para o emprego e para o esbanjamento. São tratados como bastardos.O rega bofe não pára "deitam fogo" morrem inocentes e competentes, e o negócio continua.
    Caciques querem continuar no poleiro do betão e do cimento.
    Enfim, lá fora inventam-se guerras para sugar os povos a formula não interessa pode ser quimica ou simplesmente matemática €€€€€€€€€€

    ResponderEliminar
  2. Caro anónimo.
    Desculpe a franqueza, mas confesso que não compreendo o que a vivenda da avenida Nuno Álvares tem a ver com o seu comentário.
    Abraço


    ResponderEliminar

AO PRESIDENTE DA AUTARQUIA ALBICASTRENSE - (II)

Hoje ao passear pela rua Mousinho Magro, dei comigo a olhar para os dois portados que se podem ver na imagem aqui postada e a perguntar ...