quinta-feira, março 27, 2014

EFEMÉRIDES MUNICIPAIS – LXXXIV

A rubrica Efemérides Municipais foi publicada entre Janeiro de 1936 e Março de 1937, no jornal “A Era Nova”. Transitou para o Jornal “A Beira Baixa” em Abril de 1937, e ali foi publicada até Dezembro de 1940.
A mudança de um para outro jornal deu-se derivada à extinção do primeiro. António Rodrigues Cardoso, “ARC” foi o autor desde belíssimo trabalho de investigação, (Trabalho que lhe deve ter tirado o sono, muitas e muitas vezes).

O texto está escrito, tal como foi publicado.
Os comentários do autor estão aqui na sua totalidade.

(Continuação)
A sessão de 28 de maio, que é a que vem a seguir começa por esta forma interessante: “Nesta Vereação em que prezedia o Vereador mais velho e Juiz pela Ordenação Jozé Martins Goullão em auzencia do dito Menistro (este dito Menistro era Juiz de Fora) foy por elle e pellos mais officiaes sa Camara dito que findava a sua serventia reclamavão todas as nomeaçoens de Thezoureyros e Recebedores que se acharem feitas, para não serem responsaveis a couza alguma dellas”.
Isto é: como desapareciam da Câmara e não sabiam bem o que haveria em mateira de finanças, os tesoureiros e recebedores que aguentassem quaisquer falhas que por lá houvesse, porque eles dai lavavam as suas mãos.
E, realmente, os vereadores que até esta data tinham servido tiveram de abandonar as cadeiras senatoriais, porque logo a seguir foi aberta a carta régia em vinham os nomes dos vereadores que haviam de servir daí por diante e viu-se que eram os seguintes: Francisco José da Carvalho Freire Falcão, José da Silva Castelo Branco e Francisco da Fonseca Coutinho e Castro. Procurador era o José Vaz da Cunha.
Mas os novos vereadores, pelos vistos, não vinham com muita vontade de trabalhar, porque deixaram passar o resto do mês de Março e todo o mês de Abril perfeitamente em claro e só se reuniram no dia 4 de Maio.
Nesta sessão, porém mostraram que eram tesos, porque... Façam favor de ler: “Nesta Vereação forão condenados Francisco Bonitinho por faltar a levar a Bandeira dos carpinteiros no primeiro dia das Ladainhas em quinhentos réis, e Francisco Couto por faltar em levar a Bandeira dos Alfayates no mesmo dia em igual quantia: Tãmbem foy condenado António Pantonilha (ou Pontorrilha? - Pode ler-se dos dois modos) por levar a Bandeira dos ortelões hum rapaz descalço de seu mandado tendo sido nomeado o dito Pantonilha”.
Nomearam para Juiz dos Sombreireiros, António Simões de Alcains.
(Continua)

PS. Aos leitores dos postes “Efemérides Municipais”,  o que acabaram de ler, é uma transcrição fiel do que foi publicado na época.

O Albicastrense

Sem comentários:

Enviar um comentário

FOTOBIOGRAFIA DO PASSADIÇO DA TERRA ALBICASTRENSE

PÉROLAS  DA  TERRA ALBICASTRENSE O texto desta publicação, foi retirado do livro " Istopía" da autoria d...