quarta-feira, agosto 08, 2007

TOPONÍMIA ALBICASTRENSE - (VII)



A Rua hoje aqui apresentada, será uma das mais conhecidas pelos albicastrenses, tanto assim é, que me dispenso de falar da sua localização na nossa cidade.
Gostaria de dar uma sugestão à nossa autarquia, sobre a placa toponímia de Pedro da Fonseca, para que de futuro o erro aqui cometido, possa ser evitado.
A placa, (como é possível ver-se na fotografia), diz apenas o nome da personagem, (neste caso Pedro da Fonseca), surgiria aos responsáveis autárquicos para que de futuro por baixo do nome fosse aplicado (como em alguns casos acontece) o século em que a personagem viveu, e a sua área de actividade, evitando deste modo situações como esta, pois ao ler-se este nome, ficamos sem saber a qual foi o Pedro da Fonseca, que se pretendeu homenagear!
O Aristóteles Português ou O Cardeal? Penso que a homenagem diz respeito ao primeiro, sobretudo porque o mesmo nasceu no nosso distrito, porém, certezas não tenho.
PEDRO DA FONSECA
“ O Aristóteles Português”
Pedro da Fonseca nasceu em Proença-a-Nova no ano de 1528, e faleceu em 1599, aquele que seria cognominado o"Aristóteles Português" e considerado um exemplar restaurador da filosofia aristotélica
Estudou no colégio das artes em Coimbra em 1552 e neste mesmo colégio leccionou embora ainda fosse estudante.
A sua notoriedade como professor vai-se divulgando e, em 1561 dispensam-no da actividade docente a fim preparar textos de teor propedêuticos a serem utilizados pelos alunos.
Doutor em teologia pela universidade de Évora, aqui lecciona em 1570, dois anos depois é escolhido para participar em Roma na terceira Congregação Geral da sua ordem, na eleição dos jesuítas, vendo-se nomeado assistente – geral do eleito.
Em Roma residira cerca de 10 anos e ai estuda textos da filosofia aristotélicos. Regressa a Portugal em 1582 e assume o cargo de superior da casa de S. Roque em Lisboa. Em 1593 vai novamente a Roma para assistir como delegado, à 5º congregação geral, regressa a Portugal e aceita ser nomeado por Filipe I para a Junta de ministros.
Pedro da Fonseca deixou-nos várias obras, que gozaram de grande projecção nos meios universitários e eclesiásticos no estrangeiro em Portugal.
Era um mestre em grego e árabe cuja erudição lhe facultava uma linha de ideias próprias em relação a temas desenvolvidos por Tomás de Aquino e Aristóteles.
PEDRO DA FONSECA
“O Cardeal”
Dom Pedro da Fonseca (Olivença, ? - Tivoli, 1422), cardeal de Portugal à época do Grande Cisma do Ocidente. O anti papa Bento XIII fê-lo cardeal em 1409, com o título de São Ângelo na Pescaria; contudo, quando os concílios de Pisa e de Constança excomungaram e destronaram formalmente o anti papa, D. Pedro prestou obediência ao pontífice romano, Martinho V, que lhe confirmou o título de cardeal em 1419. Faleceu três anos mais tarde em Tivoli, tendo sido sepultado em Roma.
O Albicastrense

Sem comentários:

Enviar um comentário

DESCOBRINDO CASTELO BRANCO ANTIGO – (VI)

  Esta é uma imagem que irá deixar muita gente a coçar a cabeça e a interrogar-se, sobre o local onde este edifício tinha poiso na terra...