segunda-feira, agosto 13, 2007

Uma grande mulher

EUGÉNIA LIMA

Nesta casa nasceu a 29 de Março de 1926, aquela que viria a ficar conhecida como umas das melhores acordeonistas de sempre em todo o mundo.
Ao passar pela rua do Espírito Santo, (também conhecida por rua do Valente Maluco), e ao olhar para a placa que na fachada da casa, assinala esse facto, pensei para comigo próprio, em como os albicastrenses podem ser madrastos para com os seus conterrâneos mais conhecidos por esse mundo.
Noutra qualqu
er terra destes país, não tenho qualquer dúvida em como esta casa, estaria à muito, transformada em casa Museu Eugénia Lima.
Oitenta e u
m anos depois do nascimento desta grande artista, penso ter chegado o momento dos albicastrenses exigirem a si próprios, e à sua autarquia a possibilidade de tal vir a ser possível enquanto a artista está entre nós.
Senhor presidente da câmara Municipal de Castelo Branco tenho-o por pessoa interessada, por estas causas, tal iniciativa seria acima de tudo uma justa homenagem a quem muito divulgou a nossa cidade por esse mundo fora, pois falar em Eugénia Lima é falar em Castelo Branco e na Beira Baixa.
O Albicastrense

1 comentário:

  1. Anónimo22:05

    Já houve uma homenagem à grande Eugénia Lima protoganizada, como sempre, pelo Morão.Parecia que ele é que era o homenageado. Hábitos a que já nos vai habituando o presidente dJ'aquim.

    ResponderEliminar

MEMÓRIAS DE OUTROS TEMPOS - " O JÚLIO RAMOS DO CAFÉ ARCÁDIA"

O jornal “ Beira Baixa ” publicou em 1944, a pérola que aqui estou a postar.                            Não há no Mundo maior palp...