quinta-feira, dezembro 20, 2007

ALBICASTRENSES ILUSTRES - 0

JOSÉ GERMANO DA CUNHA

1839-1903

Nasceu em Castelo Branco em 1839, faleceu em 1903 no Fundão, localidade que adoptou do coração e na qual viveu a m maior parte da vida e a qual lhe ficou a dever iniciativas e melhoramentos, com reflexos, principalmente, na Santa Casa de Misericórdia, no Casino Fundanense (que ostenta na fachada um medalhão com a sua efígie), no mercado publico. De muito novo que começou a colaborar, em prosa e verso em jornais, tendo sido o fundador dos periódicos Apostolo da verdade (1870), O Jornal do Fundão (1898) Unais da Serra (1900). Investigador da história regional, escreveu: Noticia histórica da Santa Casa da Misericórdia do Fundão (1870), A propósito da ”Monografia de Castelo Branco” (1891), texto que completa, em alguns aspectos, o livro sobre Castelo Branco publicado em (1890) e da autoria de António Roxo, Apontamentos para a historia do concelho do Fundão (1892), Jornalismo no distrito de Castelo Branco (1893), O conselheiro de Estado José Silvestre Ribeiro (1893). Alguma da sua produção poética surge reunida em fotografias (que teve 2º edição em 1893 e cujo conteúdo, de natureza sátira, se insere na linha antiquíssima da poesia portuguesa voltada para o humor) e entre sombras (1903), conjunto de poemas trespassado por dedicada entoação que repercute o mistério da vida e da morte. José Germano da Cunha publicou, ainda em 1866, um curioso livro a que chamou A Torre dos Namorados (titulo ao qual acrescenta:” as tradições antiquíssimas do concelho do Fundão, com preâmbulo histórico sobre a invasão dos árabes nas Espanhas e varias noticias do distrito de Castelo Branco”), híbrido arrazoado que aglutina propósitos visando a defesa do património cultural e a valorização das tradições, e em textura emerge uma interessante novela histórica de sabor romântico (fontes, ambiente, cenários, personagens medievalescas, amores contrariados, peso do destino, desfecho trágico).

A recolha dos dados referentes a José Germano da Cunha foi feita no livro: Autores nascidos no distrito de Castelo Branco, Século XV a 1908 - Da autoria de António Forte Salvado – publicações Arion

O Albicastrense

Sem comentários:

Enviar um comentário

AO PRESIDENTE DA AUTARQUIA ALBICASTRENSE - (II)

Hoje ao passear pela rua Mousinho Magro, dei comigo a olhar para os dois portados que se podem ver na imagem aqui postada e a perguntar ...