sexta-feira, dezembro 14, 2007

TOPONÍMIA ALBICASTRENSE - (XIII)

Ruas da Minha Cidade
A toponímia albicastrense pode dividir-se em três grupos:

Grupo - 1 A mais antiga: (Zonas antigas da cidade)
Grupo - 2 A dos anos 50: (Do aparecimento de novos bairros na cidade, e da nomeação de uma comissão por parte da Câmara Municipal para proceder ao estudo da toponímia da cidade. Sobre o trabalho desta comissão falarei um dia destes) 
Grupo - 3 A mais recente, anos 80: (25 de Abril, e crescimento da cidade)
A rua que hoje aqui trago tem a ver com o segundo grupo, e situa-se no bairro do cansado
Quem foi
Guilhermino Augusto de Barros?
(1828 - 1900)

Nasceu em 17 de Novembro de 1828 em São Faustino, Peso da Régua.
Em 26 de Maio de 1869 casou com Júlia Vaz Preto Geraldes, filha natural de João José Vaz Preto Geraldes, Cavaleiro-Fidalgo da Casa Real, par do reino, senhor dos morgados da Lousa e Alcains. 
Formado em Direito pela Universidade de Coimbra, ingressou na carreira administrativa como Secretário-geral do Governo Civil de Vila Real. Foi Deputado e par do Reino, governador civil de Lisboa e doutros distritos, ocupando muitos outros lugares de destaque. 
Guilhermino de Barros foi Governador Civil de Castelo Branco entre 26 de Setembro de 1865 e 14 de Janeiro de 1868. Durante esse tempo teve uma notável acção administrativa da cidade, a ele se deve a instalação do Asilo Distrital da Infância Desvalida e a construção, na cerca do castelo do edifício destinado a escola do ensino elementar e complementar. Foi como Director Geral dos Correios (1877 a 1890) que mais se distinguiu.
Escreveu várias obras sobre os correios, esteve no congresso internacional em que foi instituído o selo único a nível mundial, e assinou o contrato que trouxe os primeiros telefones para Portugal. Prosador e poeta subiu até ao último degrau da escada da glória. 
A sua grande elegância moral, tanto na convivência social, como no exercício de cargos públicos, era o que distinguia e distinguirá sempre os homens de real mérito e nobre carácter… Faleceu em 16 de Abril de 1900, com 72 anos.
O Albicastrense

2 comentários:

  1. Em 1º lugar quero felicitá-lo pelo excelente blog. Agrada-me tanto lê-lo que várias vezes por semana acedo a ele a saber se há novas publicações.
    Gostaria se fosse possível que me ajudasse no seguinte:relativamente a Guilhermino Augusto de Barros a data entre parêntesis que pressupunha nascimento e morte não coincidem com as datas inseridas no seu escrito.Se pudesse elucidar-me muito agradecia.

    E continue a dar-nos (novas e antigas) da nossa cidade.

    ResponderEliminar
  2. Caro a l
    Antes de mais o meu bem-haja pelas suas palavras.
    Quanto à data as minhas desculpas pelo engano. Guilhermino Augusto de Barros faleceu em 1900.

    ResponderEliminar

DESCOBRINDO CASTELO BRANCO ANTIGO – (VI)

  Esta é uma imagem que irá deixar muita gente a coçar a cabeça e a interrogar-se, sobre o local onde este edifício tinha poiso na terra...