quinta-feira, julho 21, 2011

REVISTA ESTUDOS DE CASTELO BRANCO - V


O quinto "post" sobre a Revista “Estudos de Castelo Branco”, tem por tema: “Registos Paroquias Quinhentistas da Igreja de Santa Maria do Castelo, da Vila de Castelo Branco”, da autoria de Manuel da Silva Castelo Branco.
Esta rubrica começou a ser publicada em Janeiro de 1962 e terminou em Abril de 1969, durante esse tempo, terão sido publicados várias centenas de registos quinhentistas.
O que mais me fascinou no trabalho de Manuel da Silva Castelo Branco, foi a pesquisa que ele fez referente às pessoas que iam aparecendo como pais das crianças, nos registos paroquiais.
Para terminar aqui ficam meia dúzia de registos, e as anotações sobre alguns dos pais das crianças publicadas na edição dos “Estudos de Castelo Branco”, de Janeiro de 1962.
O Albicastrense

20 comentários:

  1. a.garrido22:51

    Pelos 48 anos do Kiosk Vidal

    Como será de seu conhecimento o KIOSK VIDAL está a comemorar os seus 48 anos de actividade.Paralelamente estamos a tentar sensibilizar a Câmara Municipal de Castelo Branco os Senhores Vereadores e muito especial o Senhor Presidente JOAQUIM MORÃO no sentido... que há empresa J. Vidal Sestay, Sucrs,Lda lhe seja concedido o pequeno espaço anexo (antigo Posto Turismo).Em boa verdade não têm sido sensíveis ao nosso pedido por razões que a razão desconhece.É pois neste contexto que vimos solicitar a V.Exª que reenvie se estiver de acordo esta nossa carta pública..para : camara@cm-castelobranco.pt

    Peça a um amigo também

    ResponderEliminar
  2. Anónimo02:09

    Estou em condições de informar, que vai deixar de ser publicada.
    Tudo tem o seu tempo. Manda quem pode. É a vida!
    Cumprimentos
    Viriato

    ResponderEliminar
  3. Aos visitantes.
    Albicastrenses, vamos todos agarrar na ideia de "a.garrido", e enviar para a autarquia albicastrense a carta aqui deixada por ele.
    Todos somos poucos para apoiar esta causa

    Email: camara@cm-castelobranco.pt

    ResponderEliminar
  4. Amigo Viriato.
    As informações que tenho dizem-me que está enganado.
    Posso até informar que está em preparação, uma edição referente aos 50 anos da revista.
    Vamos ver quem tem razão.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  5. A.Garrido13:41

    Agradecer ao Senhor Verissimo a sua disponibilidade porque de facto é uma causa.
    E porquê
    Será que o Nosso Presidente não gosta de critica ? Será por via de algum escrito em jornais locais sobre o Polis que ao fim de 5 anos está a recuperar o Passeio Verde ?
    Haverá interesses de concorrencia e até era bom termos um quiosque com tudo perto de casa ?
    Sempre manifestei o meu desacordo com o Polis na Zona Passeio Verde/Tunel.
    Será que a critica me está a fazer pagar a factura democrática.
    Nem devo nem temo.

    ResponderEliminar
  6. Anónimo02:49

    Tem piada, já várias pessoas me garantiram que os Estudos iam acabar. Questões de poupança?
    Há quem diga que não se perde grande coisa. Que está muito fraquinha!
    Será que a dos 50 anos é o toque de finados?
    Homem das Cavernas

    ResponderEliminar
  7. Anónimo10:36

    Albicastrense: Verifico que Homem das Cavernas e o Viriato em plena sintonia tranformaram-se em especialistas opinosos dos Estudos de Castelo Branco. Quem diria o que faz a net. Analisando tudo ( só chego a uma triste conclusão.Devem ser ressabiamentos de classe ou de analfabetismo cultural. Também para o estado cultural em que se encontram o que seria de esperar? Um no Paleolítico, o outro nos castros. É sem dúvida gente do passado. Ler, apreender, refletir é coisa que não havia por cá.O das cavernas nem pinta,o Viriato nem é lusitano.
    Comuniquem estas observações desbocadas sobre os "nossos" Estudos que sempre foi uma revista aberta e democrática e na qual já colaborei enquanto investigador ( sou docente num estabeleciemnto de ensino superior )ao meu amigo Pedro Salvado se querem ver como elas vão doer e os opinosos pré-históricos vão apreender alguma coisa da história da cidade.Enfim é um que vai ouvindo por a e por ali de saber nada.
    Acho que os Estudos estão à venda no Kiosk Vidal podem aproveitar para os ler talvez assim fiquem mais "gordinhos" culturalmente falando.
    C.E.S.

    ResponderEliminar
  8. Anónimo11:05

    As questões do Kiosk Vidal

    não msão as da revista Estudos de Castelo Branco. Um é um negócio, o outro não. Há que separar as coisas.

    ResponderEliminar
  9. A.Garrido13:13

    ABAIXO ASSINADO

    Como será de seu conhecimento o KIOSK VIDAL está a comemorar os seus 48 anos de actividade.

    Tomamos conhecimento oficial via Jornal Reconquista que o Posto de Turismo deixou de ser nosso vizinho.

    Nesse sentido abre-se uma porta ao nosso crescimento, tendo em consideração que ao tempo Polis perdemos na mudança alguns metros quadrados.

    Tudo temos feito para preservar quatro postos de trabalho  que vêm do extinto quiosque. Sempre cumprimos com os nossos clientes e todas as Instituições Publicas e Privadas.
    Infelizmente com a redução de espaço de venda ao publico levou-nos a reduzir drasticamente a área do livro.
    Como era nosso sonho não podemos crescer no sentido do aumento do quadro de pessoal que permitia horários mais alargados.
    Estamos certos que prestamos um quase "serviço publico" nunca reconhecido. Se juntarmos o facto de todos os dias sermos confrontados com dezenas de clientes que nos perguntam se agora vamos ter um "espaço maior".
    Estamos a tentar sensibilizar a Câmara Municipal de Castelo Branco os Senhores Vereadores e muito especial o Senhor Presidente JOAQUIM MORÃO , nesse sentido.
    Que há empresa J. Vidal Sestay, Sucrs,Lda lhe seja concedido o pequeno espaço anexo (antigo Posto Turismo).
    Em boa verdade não têm sido sensíveis ao nosso pedido por razões que a razão desconhece.
    É pois neste contexto que vimos solicitar a V.Exª que assine esta petição pública.

    Castelo Branco, 23 de Julho de 2011

    Nome
    Idade
    Profissão
    BI/Cartão Cidadão

    Pode assinar no Kiosk Vidal

    ResponderEliminar
  10. Um comentário recusado....

    Caro anónimo, contam-se pelos dedos de uma mão, as vezes em que não publiquei um comentário deixado na caixa de comentários.
    Em nenhum desses casos justifiquei os motivos, no entanto, no seu caso quero dizer-lhe o seguinte:
    Quanto ao que diz da pessoa (Y), não tenho dados que me permitam ajuizar das suas razões, (que não ponho em causa) no entanto, sempre posso argumentar que depois de dizer o que disse da pessoa em questão, o mínimo que se podia esperar da sua parte, era que colocasse o seu nome no fim do comentário.
    Como não o fez, e como este blog não tem por função discutir condutas pessoais de quem quer que seja, ele foi apagado.
    Tem todo o direito de discordar do apoio que aqui dou a causas que “considero” justas para a minha terra, no entanto, gostaria de lhe recordar, que o autor deste “blog”, dá a cara e o nome na defesa daquilo que acredita ser o melhor para a sua terra, (por vezes meto o pé na argola, mas antes isso que ficar calado).
    Um abraço para si, do albicastrense.

    ResponderEliminar
  11. Anónimo17:47

    Estes Estudos valem mas muito mais valem a quem desses subsidios vive ou se encosta.Acabou a teta amigo
    Homem da Rua

    ResponderEliminar
  12. Caros Amigos.
    Esta discussão à volta dos “Estudos de Castelo Branco” está a ser feita ao contrario!
    Os "Estudos de Castelo Branco" pelo seu passado na divulgação da nossa terra, não merecem este tipo de tratamento.
    O que aqui devia ser discutido, era, se ainda hoje existe espaço para este tipo publicação, se existe gente interessada neste tipo de leitura ou se após 50 anos de publicações, o seu espaço se terá esgotado?
    Os insultos e provocações aqui deixadas, não de nada servem! Antes pelo contrario... eles só servem para dar força a quem normalmente é contra tudo e contra todos.
    Este albicastrense pode-lhes moderação e bom senso nesta discussão, porém, sempre com a certeza que da discussão nasce a luz.
    Um abraço para todos.

    ResponderEliminar
  13. Anónimo23:30

    Estamos certos que prestamos um quase "serviço publico" nunca reconhecido.
    Pois então.O Sr.A. Garrido gere um negócio exemplar e com tradição na cidade. Vende um pouco de tudo e faz muito bem. Quer expandir o negócio e tem esses direito. Agora dizer que a sua meritória acção enquanto comerciante é serviço público ( com aspas) nunca reconhecido) é um poucochinho exagerado. Para aquele sítio, e já que a opção comercial do Sr. Garrido foram os periódicos e as revistas de todo o género, inclusivé as pornográficas, deve surgir a Livraria Municipal. Um que ponha de uma maneira nobre e digna todas, mas mesmo todas, e digna as edições apoiadas ou editadas pela autarquia. É uma função que faz falta e que deve ser explorada pela Câmara em parceria quiça, como o é em várias cidades de Portugal. Também aí deve estar um ponto d einformação cultural da cidade e a bilheteira do Cine-Teatro.

    ResponderEliminar
  14. Caro anónimo.
    Gostei do seu comentário! Este é um bom comentário....
    Um abraço do Albicastrense.

    ResponderEliminar
  15. a-garrido12:34

    o Senhor(a) das 23,30 lá terá as suas razões do que quer.e quem fala no barco quer embarcar
    Ora cá temos o interessado(a) camafulado e sem nome duas bilheiras e querer a Camara a Vender livros isso são os livreiros e não os pró susidio não resulta e o resultado está a vista
    a pró dependencia dos serviços publicos.

    ResponderEliminar
  16. Anónimo14:27

    Ó amigo anónimo das 23:30, já cheira a tachito.
    Isso tudo o que diz é bem dito mas é pena é já haver quem esteja apto fazer isso tudo.
    Temos o Kiosk vidal e o posto de turismo.
    Para quê criar outro organismo para refazer o que pode ser feito com os já existentes? Há sim é que apoiar os existentes.

    Por isso a minha opinião é a ampliação do Kiosk Vidal e uma limpeza ao posto de turismo e por aquele posto a funcionar como deve ser. Não há informação que venha daquele posto que seja útil ao turista.
    Se a câmara (realmente) quer chamar pessoas ao centro e dinamiza-lo, tem estas ideias com que se preocupar, não vale a pena inventar.

    PS: Reparei que sublinha a palavra digna e nobre várias vezes e parece repudiar a pornografia.
    A pornografia também é cultura.

    João Godinho

    ResponderEliminar
  17. Anónimo23:45

    Apenas prestei uma informação que recolhi de fonte que costuma ser credível. Estou surprendido pela reação. considero-a absurda. Não tenho nada contra a revista. Com algumas falhas tenho quase todos os exemplares.
    Disparar é sempre mau. Disparar às cegas, é péssimo.Fico-me por aqui.
    Viriato

    ResponderEliminar
  18. Anónimo12:13

    Se és Viriato se estás surprendido
    dá a carinha não dês tiros nos pés
    Estou a falar duma empresa que resiste 48 anos tantos comos de Salazar e outros quase a chegar
    Fale ou custa-lhe que O Kiosk Vidal tenha mais o metros que tinha
    tem medo do medo.
    O Snr Viriato já pode assinar (se não tem rancor) a petição one line

    ResponderEliminar
  19. Caro anónimo das 12:13
    A opinião desfavorável de alguém, não nos dá o direito de pedir a essa pessoa que mostre a cara.
    Tenho a certeza que se a critica fosse positiva, não lhe ia pedir para se identificar.
    A partir de agora, qualquer comentário menos próprio sobre este tema, não será aqui publicada.
    Podemos e devemos discutir ideias e pontos de vista, porém atacar quem não concorda por com os nossos pontos de vista, nunca!

    ResponderEliminar
  20. Anónimo03:40

    Que grande confusão...
    O anónimo das 12,13 pede aos outros para mostrarem a cara e de caminho esconde a sua.
    Não percebo porque veio a questão do Kiosk Vidal. O meu comentário, nada tinha a ver com tal assunto. Mais um tiro no escuro, ou no pé.
    Viriato

    ResponderEliminar

A RUA DA MINHA ESCOLA – (VII)

        (ESCOLA DA SENHORA DA PIEDADE)                          O que sabemos nós da rua da nossa escola primária? João Evangelista...