sexta-feira, dezembro 02, 2011

VELHAS PAPELARIAS E LIVRARIAS DA MINHA TERRA


PAPELARIA CENTRAL
Muitos são os velhos estabelecimentos da minha terra, que nos últimos tempos fecharam portas.
As causas que contribuíram para esse fechar de portas, são como todos nós sabemos, uma “doença” chamada: grandes superfícies.
A referida “doença”, transmite um vírus que vai enfraquecendo as “vitimas”, doentes que vão perdendo a capacidade de reagir pouco a pouco, deixando as ruas da minha terra vazias do comércio tradicional.
Porém, nem sempre a referida doença consegue os seus propósitos, por vezes, alguém resiste e diz não! Está neste caso a Papelaria Central.
A velha Papelaria Central mudou de residência, passou da rua de D. Dinis, para a rua do Pina. Tentei saber um pouco mais desta velha papelaria, após uma pequena conversa com as atuais proprietárias, fiquei a saber que a dita cuja, terá sido inaugurada na década de 60 do passado século.
O feliz acontecimento terá decorrido na antiga rua da Pequeixada, hoje conhecida por rua, D. Dinis e ali se manteve até à presente data. O felizardo pai deste nascimento, foi um tal Abílio, (segundo consta), ele terá iniciado a sua preparação para este nascimento, na extinta Papelaria e Livraria Elias Garcia, onde era empregado.
Mais de meio século depois, a papelaria central muda de poiso.
O motivo da mudança (como não podia deixar de ser), teve a ver com problemas económicos, contudo, para este albicastrense que já a visitou no novo local, esta mudança é benéfica, pois irá contribuir para que ela aguente pelo menos por mais, 50 anos.
Aos albicastrenses o autor deste blog só pode mesmo dizer: ajudar o comércio tradicional, é contribuir para que as ruas da nossa terra, deixem de ser o deserto em que alguns responsáveis políticos as transformaram, para as converteremos em locais de vida.
COMPRE UM LIVRO, CADERNO OU JORNAL, NA PAPELARIA CENTRAL....
Este bem podia ser o slogan para espicaçar os albicastrenses, a visitar a Papelaria Central.
O Albicastrense

2 comentários:

  1. Anónimo14:19

    completar..............quem será o proprietário do actual prédio ?....
    quais os motivos da troca ?.......

    ResponderEliminar
  2. Caro anónimo.

    Os motivos segundo me foi dito, tiveram a ver com a renda.
    No rua D. Dinis, a renda era três vezes mais cara que a que agora foram ocupar da rua do Pina.
    Quanto ao proprietário não faço o mínima ideia.

    ResponderEliminar

AO PRESIDENTE DA AUTARQUIA ALBICASTRENSE - (II)

Hoje ao passear pela rua Mousinho Magro, dei comigo a olhar para os dois portados que se podem ver na imagem aqui postada e a perguntar ...