sexta-feira, maio 09, 2014

ALBERGARIA DE SANTA EULÁLIA - ( II )

UM DOCUMENTO HISTÓRICO
(Continuação)
O curioso documento anteriormente publicado assinala a data da instituição, o não cumprimento integral dela pelo que respeita ao hospital, melhor dizendo, albergaria, as vicissitudes dos bens vinculados e sua respectiva sucessão. A albergaria ficava vinculada à capela de morgado de Santa Eulália reza o mesmo “Tombo”.
Esta capella está sita na Rua dos Ferreyros entre a Porta da Vila e ho Postiguinho dos Valadares da parte direyta hindo para a Corredoura e comvento da Graça, e Pafsos dos Bispos deste Bispado da Guarda.
Tem Esta cappela a frontaria toda de Pedra de Cantaria laurada com hu campanário com seu sino, , e a porta virada ao Poente, Rua publica o Altar fica com respondente, E direito com a Porta principal da Entrada he de Retabulo e nelle estaõ as iamgens de he Crucificio de Marfim, com Seu Resplandor ae a imagem de Nofsa Senhora da Conceyçaõ com a sua coroa de Pratta, e a imagem de Santa Eulalia em vulto com Resplandor de Prata. Aos lados deste altar estaõ duas Portas com portados de cantaria euma ao lado esquerdo, que é a que entra para a sachrystia, e outra ai lado direito, que dá Serventia para a Albergaria, e ospedage dos passageiros.
Tem de comprimento sei varas, e uma sesma – de leste a oEste e de largo cinco varas e uma sesma de Norte a Sul.
Asachristia, que fica da parte Esquerda tem decomprimento sinco varas E de Largo duas Varas, e uma quarta, a qual tem sua fresta para o quintal que fica de Leste. A casa que serve de Albergaria eospedege aos Pafsageyros alem da porta por honde se entra tinha huma Porta para o Sul e Lado Direyto que hoje se acha tapada de pedra e outra para Leste que serve de serventia para o quintal das casas que foraõ do Prelado pertencentes a este Morgado com uma chaminé da parte do Leste, em a mesma casa se achaõ quatro barras com quatro camas para os Pafsageyros que a Caridade dos Excelentifsimos Condes lhe promptas para seu agazalho, e Recolhimento em que se podem demorar os mesmos Passageyros por tempo de tres dias a qual caza tem de comprimento quarto varas, e tres quartas e de largura tres, e meya”.
Nada existe actualmente que nos recorde a Capela de Santa Eulália, desmantelada e absorvida nas habitações da entrada da Rua dos Ferreiros. Não deve ser confundida com a Capela dos Pinas, existente algumas dezenas de metros adiante, junto do actual Instituto de Santo António (1955). Seria interessante averiguar onde se encontrará a escultura de Santa Eulália, virgem e mártir, se é que porventura existirá ainda, na sua curiosidade histórica e artística de bom exemplar quatrocentista.
(Continua)
PS. As  imagens postadas neste poust, foram captadas por mim quando das obras de requalificação da Praça Postiguinho de Valadares, imagens onde se podem ver restos da antiga albergaria.
Dados recolhidos em: “Estudantes da Universidade de Coimbra Naturais de Castelo Branco”. De Francisco Morais e José Lopes Dias.
O Albicastrense

2 comentários:

  1. Anónimo21:34

    Ola a todos. O pelido Pina deriva de Pinha, e os individuos portadores deste apelido podem ser de descendencia judaica. Essa capela seria uma capela ou uma sinagoga? Quanto às ruinas, pela proximidade dessa "capela" dos Pinas parecem baptistérios de judeus. Os Pinas, oriundos de Espanha eram cristãos novos, seja, judeus reconvertidos ao cristianismo.

    https://encrypted-tbn2.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcRG2AoQ65HjgU6tEDITiMwwlmA9PfHsXKkGigRoBx6b5enlnS8r8w

    Bem... investiguem lá isso.

    abraço

    ResponderEliminar
  2. Amigo Anónimo.
    A capela de Santa Eulália era mesmo uma capela.
    A sinagoga ficava mais para o cimo da zona histórica.
    Abraço

    ResponderEliminar

A RUA DA MINHA ESCOLA – (VII)

        (ESCOLA DA SENHORA DA PIEDADE)                          O que sabemos nós da rua da nossa escola primária? João Evangelista...