quinta-feira, maio 22, 2014

VELHOS ESTABELECIMENTOS DA TERRA ALBICASTRENSE

PASTELARIA BELAR
Já por variadas vezes aqui falei dos velhos estabelecimentos da terra albicastrense, desta vez vou falar sobre um, que este ano vai comemorar meio século de existência mas cujo futuro, (não querendo ser pessimista) pode estar comprometido a curto prazo.
Nas minhas buscas em velhos jornais da cidade, encontrei no jornal “Beira Baixa” o pequeno recorte que está neste “poust”, a notícia diz respeito à inauguração da Pastelaria Belar e saiu no dia 6 de Dezembro de 1964.
Perante este meio século de existência, resolvi ir à Belar beber um café e tentar saber um pouco da sua história e da sua atual situação.
Confesso que ao entrar na Belar e ao olhar para o local, não pude deixar de matutar: “hoje já não se fazem locais como este”. José Mendes Marçal, atual proprietário da Belar contou-me um pouco da história da pastelaria e do seu próprio percurso na Belar.
Disse-me o senhor Marçal, que foi convidado para trabalhar na pastelaria à 47 anos (convidado pelo proprietário de então), pessoa que depois lhe passou o trespasse. Contou-me ainda, que não são raras as vezes que pessoas surpreendidas pela grandeza da sala, lhe pedem para tirar algumas fotografias, imagens, que depois lhe enviam pelo correio. 
Nas palavras do senhor Marçal, facilmente se pode concluir que o futuro da Belar não está nada risonho, diria até, que o seu futuro parece bastante comprometido.
Foi-se o Café Arcádia, o Café Lusitânia, a pastelaria Rosel, livraria Europa América e muitas outras referencias da terra albicastrense, será que a pastelaria Belar vai a curto prazo seguir-lhes o caminho?
Meio século de existência comemora este ano a pastelaria Belar, a questão que gostaria de colocar aos albicastrenses que visitam este blog, é a seguinte:

Não deveria a autarquia albicastrense defender este tipo de estabelecimentos, uma vez que eles
 são parte da sua  história?

Os albicastrense têm a palavra, ou será que tudo isto não interessa a quem quer que seja?                               
O Albicastrense 

4 comentários:

  1. Também acredito que a autarquia deveria oferecer pelo menos alguma espécie de benefícios fiscais a estabelecimentos desde género, que não só são antigos, como também são símbolos da cidade e qualquer albicastrense consegue reconhecer.

    Vamos todos acreditar que mesmo sem este tipo de ajudas, o Sr. José possa continuar a manter este local aberto e em bom funcionamento, como o fez nos últimos 50 anos.

    ResponderEliminar
  2. Anónimo21:06

    Caros Albicastrense, o que aqui se passa é que a camara apenas faz obras, e mais obras. Quem ganha com isso são os construtores. Emprego é o que vê, cerca de 15 mil desempregados.

    NÃO VOTEM PSD
    NÃO VOTEM PS

    VOTA PCP, O UNICO PARTIDO QUE DEFENDE OS TRABALHADORES E O INTERESSES DE PORTUGAL.

    VOTA PCP
    VOTA PCP

    ResponderEliminar
  3. João tens razão, mas infelizmente parece que ninguém está para ai virado.
    Um dia deste olhamos para todos os lados e não encontramos nenhum dos velhos estabelecimentos da terra albicastrense.
    Abraço

    ResponderEliminar
  4. Amigo anónimo
    Pode fazer campanha eleitoral, pois este é um blog livre.
    Abraço

    ResponderEliminar

EFEMÉRIDES MUNICIPAIS – CXIX

A rubrica Efemérides Municipais foi publicada entre Janeiro de 1936 e Março de 1937, no jornal “ A Era Nova ”.  Transitou para o Jorna...