quinta-feira, janeiro 26, 2017

EFEMÉRIDES MUNICIPAIS – CXV

A rubrica Efemérides Municipais foi publicada entre Janeiro de 1936 e Março de 1937, no jornal “A Era Nova”. Transitou para o Jornal “A Beira Baixa” em Abril de 1937, e ali foi publicada até Dezembro de 1940.
A mudança de um para outro jornal deu-se derivada à extinção do primeiro. António Rodrigues Cardoso, “ARC” foi o autor desde belíssimo trabalho de investigação, (Trabalho que lhe deve ter tirado o sono, muitas e muitas vezes).

(Continuação)
Realizou-se a sessão imediata em 16 de Março. Apareceu Diogo da Fonseca Barreto e Mesquita a requerer que fosse avaliada uma parte de ervagem da “Granja de Sua Alteza Real” que por ele fora arrematada e na qual fora impedido de meter os seus gados.
A Câmara disse que sim, lá foram os louvados, avaliaram e ervagem em oito mil réis, que foram abatidos ao valor da arrematação, e acabou-se a história e a sessão também.

Logo três dias depois, ou seja em 19 de Março, temos nova sessão.
Foi aberta uma carta do Príncipe Regente, “que se achou ser a pauta dos novos oficiais da Câmara que hão-de servir o presente anno nesta mesma Câmara”. Os novos vereadores eram José Nicolau de Figueiredo da Costa Pegado, Manuel Vaz Nunes Preto e José Carlos de Sousa. O procurador do concelho era (cá o temos outra vez) o Dr. José esteves Povoa.
E, como havia a Câmara Nova, a velha não esteve para se ralar mais, foi-se embora e acabou a sessão.

Temos a nova sessão a 25 de Março. 
Para se entender o que nesta sessão se passou, convém esclarecer que, no dia 5 do mesmo mês, como se vê por um termo lavrado à parte, a Câmara, acompanhada pelo procurador do concelho, alcaide e três lavradores, tinham feito uma nova demarcação da coutada da folha de S. Bartolomeu, metendo os malhões conforme entendeu. 
Isso não agradou a outros lavradores interessados no caso e veja-se e seguir, a acta da sessão do dia 25 de Março).
“E logo acordarão que sendo-lhes manifesto por queixas, e requerimento dos lavradores o grave prejuízo que recebiam as lavouras em talhar-se a coutada com diminuição com que se havia amalhoado presentemente a mesma coutada esta mesma amalhoação hão por ninhum effeito, e determinação ficasse subsistindo a dita coutada com aquelles malhoins que teve antigamente quando acabou de ser coutada e não com os malhoins que agora se lhe puzeram, e para que assim se fique entendendo desta forma o mandaram apregoar”.
(Continua)

PS. Aos leitores dos postes “Efemérides Municipais: O que acabaram de ler é uma transcrição fiel do que foi publicado na época.  
O Albicastrense

Sem comentários:

Enviar um comentário

EFEMÉRIDES MUNICIPAIS – CXIX

A rubrica Efemérides Municipais foi publicada entre Janeiro de 1936 e Março de 1937, no jornal “ A Era Nova ”.  Transitou para o Jorna...