segunda-feira, janeiro 30, 2017

MEMÓRIAS DO BLOGUE – (I)


Em Agosto de 2006 postei neste blogue, um poste sobra a tasca do Ponsul, publicação a que dei o nome de: “A Tasca da Ti Amélia”. 
Onze anos depois, verifico que a referida publicação terá sido uma das mais visitadas do blogue, (mais de 2.000 visitas)
Em memória de quem já não está entre nós e da antiga Tasca do Ponsul, aqui fica de novo o referido poste. 

AGOSTO DE 2006
A TASCA DA “TI AMÉLIA”
(UMA TASCA COM CERCA DE 100 ANOS, À BEIRA DO FIM) 
Estive este fim-de-semana na tasca da “Ti Amélia”, também conhecida por Tasca do Ponsul.
Conversei com a “Ti Amélia”, (esposa do “Ti Rodrigues”), antigo proprietário (já falecido), que em poucas palavras me contou um pouco da história desta tasquinha.
Segundo ela, a referida tasca foi construída por um individuo, natural de Malpica do Tejo, no início do Século XX.
Após alguns anos a explorar o estabelecimento, trocou-o por umas terras situadas perto de Malpica do Tejo com o “Ti Humberto”, (Pai do Ti’ Rodrigues) que após a sua morte a deixou ao filho. 
A tasca da “Ti Amélia”, também conhecida por tasca do “Ti Rodrigues”, situada perto da antiga ponte do Ponsul, tinha como petisco principal, (e único), a famosa miga de peixe, sempre acompanhada por peixe frito. 

A miga era feita com peixe apanhado no rio Ponsul, rio, que passa a meia dúzia de metros da casa. Com a morte do "Ti Rodrigues" e a construção da barragem Espanhola, (que deu cabo da água do rio), lá se foram as famosas migas. 

Confesso, que tenho muitas saudades
das migas da tasca do Ponsul!

Para quem como eu ali saboreou as referidas migas, aqui ficam algumas imagens captadas na casa, porém, sem qualquer sabor ou cheiro da famosa miga.
O Albicastrense

Sem comentários:

Enviar um comentário

DESCOBRINDO CASTELO BRANCO ANTIGO – (VI)

  Esta é uma imagem que irá deixar muita gente a coçar a cabeça e a interrogar-se, sobre o local onde este edifício tinha poiso na terra...