quinta-feira, junho 22, 2017

EFEMÉRIDES MUNICIPAIS – CXIX


A rubrica Efemérides Municipais foi publicada entre Janeiro de 1936 e Março de 1937, no jornal “A Era Nova”. 
Transitou para o Jornal “A Beira Baixa” em Abril de 1937, e ali foi publicada até Dezembro de 1940.
A mudança de um para outro jornal deu-se derivada à extinção do primeiro. António Rodrigues Cardoso, “ARC” foi o autor desde belíssimo trabalho de investigação, (Trabalho que lhe deve ter tirado o sono, muitas e muitas vezes).

(Continuação)
Segue-se a sessão de 4 de Outubro.
Nesta aparece Francisco António Peres de Loureiro e por ele foi apresentado o Alvará de nomeação de Correio. Assistente desta dita cidade por virtude do qual o dito Ministro deferido o juramento dos Santos Evangelhos sob cargo do qual promete servir bem o dito emprego, e com fidelidade e segredo.
E logo pelo dito Francisco António Peres de Loureiro foi dito que elle obrigava seus bens prezentes e futuros ao pagamento da pensão anual de cento e sessenta mil reis que lhe foi imposta, e bem assim a quantia de três contos, e duzentos mil reis do seu Alvará de nomeação; Sendo tão bem prezente António José da Cunha, negociante desta cidade hum e outro Pessoas bem conhecidas de todos e cada hum dos Membros da Camara por elle foi dito que elle afiançava pelos seus bens do dito Francisco António Peres de Loureiro tanto pelo que respeita ao pagamento da dita pensão como a quantia de três contos e duzentos mil reis, e se obrigava como seu fiador a inteire e completa satisfação de huma e outra.
O que tudo sendo visto, e ouvido pelo dito Ministro Presidente da Câmara, e pelos vereadores e Procuradores do Conselho abaixo assinados lhe aceitarão as respetivas obrigações de cada hum havendo por legítimo e idóneo a fiança do dito António José da Cunha, e o dito   Francisco António Peres por abonado com ella, e por seus bens para as referidas quantias de pensão anual e caução. E para constar se mandou lavrar este Auto, etc. 
                Transcrevemos a acta, porque não deixa de ser interessante.
Por aqui se vê que o lugar de “correio assistente” era de certo vulto e devia ser rendoso. Não só o nomeado tinha de pagar por ano cento e sessenta mil reis, mas ainda tinha de prestar caução de três contos e duzentos mil reis, ou sejam vinte vezes o valor da pensão anual. O rendimento do emprego devia ser o do porte de correspondência.
(Continua)
PS. Aos leitores dos postes “Efemérides Municipais
O que acabaram de ler é uma transcrição fiel do que 
foi publicado na época.
O Albicastrense

Sem comentários:

Enviar um comentário

RUAS DA ZONA HISTÓRICA DE CASTELO BRANCO

AS MINHAS IMAGENS  ZONA HISTÓRICA DA TERRA ALBICASTRENSE  O  Albicastrense