segunda-feira, dezembro 03, 2012

ALBICASTRENSES ILUSTRES - XXX

MARCOS GIL FRAZÃO
Nasceu em Castelo Branco na segunda metade do século XVI, sendo seus pais Pedro Gil Frazão e sua mulher, D. Maria Gomes Folgado.
Seguido o exemplo de muitos dos seus patrícios, frequentou a Universidade de Coimbra, onde se formou em Cânones a 11 de Abril de 1592. Estava-se então sob o domínio de Espanha e, numa época em que a Igreja procurava reprimir rigorosamente a propaganda das heresias, utilizando para isso um tribunal designado pelo Santo Oficio ou Inquisição.
Apenas termina a sua formatura, Marcos Gil Frazão é convidado a servir naquele tribunal, no cargo de Promotor em Évora, onde permaneceu apenas três anos, pois a três de Fevereiro de 1596 toma posse do mesmo lugar, mas na Inquisição de Lisboa.
Esta nomeação é seguida, ainda no mesmo ano, a quatro de Outubro, de outra de maior responsabilidade, a de Inquisidor, na Índia no tribunal do Santo Oficio em Goa.
O Tribunal de Goa começou a funcionar com a chegada dos dois primeiros inquisidores, Aleixo Dias Falcão e Francisco Marques Botelho, em 1561, mas sua fundação é de 1560. O Tribunal foi instalado no Palácio do Sabaio, como era denominado pelos portugueses.
O palácio que antes pertencera ao governante Adil xá, Adil Kan ou Idalcão, (são as denominações dadas nas fontes ao senhor de Goa) até ser derrotado por Afonso de Albuquerque em 1510”.
Era então este cargo desempenhado por dois inquisidores, sendo seu campainheiro António de Barros, que já ali servia havia três anos e, com o qual começa a assinar os respectivos relatórios, a doze de Dezembro de 1596.
Embora ressentindo-se do clima daquelas longínquas paragens, entrega-se com todo o zelo aos serviços do Santo Oficio. Porém, a saúde cada vez mais abalada impede-o de fazer a visitação da China e de ir ao Conselho, acabando os seus dias a 19 de Setembro de 1602 e, sendo enterrado em Goa, no capitulo de Santo António.

Recolha de dados: Figuras Ilustres de Castelo Branco”, de Manuel da Silva Castelo Branco,
O Albicastrense

Sem comentários:

Enviar um comentário

A RUA DA MINHA ESCOLA – (IX)

(ESCOLA DO BONFIM)                               O que sabemos nós da rua da nossa escola primária?    (Rua do Bonfim)         ...