segunda-feira, outubro 08, 2007

Castelo Branco na História - IV

(Continuação do número anterior)

A doação, que foi feita pelo primeiro rei de Portugal para sempre e com proibição dos seus descendentes a não cumprirem, compreendia os territórios limitados pelo rio Elge (ou Erges), entre Portugal e Leão, até ao Tejo e pelo rio Zêzere também até ao Tejo. Era Antão Mestre da Ordem do Templo D. Gualdim Pais, que foi o 6º governador desde 1157.
Não tendo, os templários tomado posse destes territórios, o rei D. Sancho I fez-lhes em 5 de Julho de 1198, na vila de Covilhã, uma nova doação da herdade da Açafa , no termo de Rodam, limitada pelos rios Tejo e Ponsul e por uma linha que partia de Mércoles até à serra da Cardosa.
Declarava o soberano que fazia a doação não só pelo amor de Deus e pelos grandes serviços que os Templários tinham prestado à pátria, mas também em troca das igrejas de Mogadouro e Penas Royas, para que os cavaleiros do Templo povoassem a Açafa e a aforrassem como bem lhes parecesse; com a cláusula de tanto o doador como os seus sucessores serem recebidos nesses lugares como reis e senhores todas as vezes que ai fossem.
O 7º Mestre da Ordem do Templo. D. Lopo Fernandes, morreu no mesmo ano da doação, no Outono de 1198, no cerco de Ciudad Real, combatendo nas hostes de D. Sancho I. Talvez por andarem então assoberbadas em constantes e denotadas pelejas, os Templários não chegaram ainda desta vez a tomar posse da herdade da Açafa e entretanto um fidalgo Português, de nome Fernando Sanches, apossou-se da parte denominada Cardosa em cuja área está hoje a cidade de Castelo Branco.
Em 1209 isto é, decorridos onze anos após a doação feita por D. Sancho I aos Templários, estes decidiram tomar posse da herdade da Açafa e, tendo encontrado estabelecido na Cardosa Fernando Sanches, entabuaram com ele negociações. Conseguíram então que aquele fidalgo lhes fizesse a doação, datada em Santarém aos 4 de Março de 1209, de metade da herdade a que ele chamou Vila Franca da Cardosa, com toda a sua população, igrejas, foros e direitos durante a sua vida, reservando para si a Alcaidaria e consignando que, após a sua morte, os Templários ficariam com a posse integral.
António Roxo, na sua Monografia, diz ser evidente que Fernando Sanches foi fundador da povoação que pouco tempo depois veio a ter a designação de Castelo Branco. Todavia, na carta de doação ao 10º Mestre da Ordem do Templo D. Gomes Ramires, não foi por Fernando Sanches invocada a sua qualidade de fundador da povoação e nesses documento não se encontram os elementos imprescindíveis para se poder fazer uma identificação de Castelo Branco com Vila Franca da Cardosa.
(Continua – 4 /103)

PS. O texto é apresentado nesta página, tal qual foi escrito na época.

Publicado no antigo jornal Beira Baixa em 1951
Autor.
M. Tavares dos Santos

O Albicastrense

2 comentários:

  1. Anónimo19:40

    o fidalgo fernando sanches (portugues, claro)apossou-se da parte denominada cardosa(sic), tipo: quem manda aqui sou eu!.E' evidente que nessa altura ainda nao tinhamos chegado a suecia...

    ResponderEliminar
  2. Anónimo13:35

    È DO TIPO MORÃO E DOS mOURONITAS

    ResponderEliminar

AO PRESIDENTE DA AUTARQUIA ALBICASTRENSE - (II)

Hoje ao passear pela rua Mousinho Magro, dei comigo a olhar para os dois portados que se podem ver na imagem aqui postada e a perguntar ...