quarta-feira, agosto 24, 2011

EFEMÉRIDES MUNICIPAIS - XLIX


A rubrica Efemérides Municipais foi publicada entre Janeiro de 1936 e Março de 1937, no jornal "Era Nova”. Transitou para o Jornal “A Beira Baixa” em Abril de 1937, e ali foi publicada até Dezembro de 1940. A mudança de um para outro jornal deu-se derivada à extinção do primeiro. António Rodrigues Cardoso, “ARC” foi o autor desde belíssimo trabalho de investigação, (Trabalho que lhe deve ter tirado o sono, muitas e muitas vezes).
O texto está escrito, tal como foi publicado. Os comentários do autor estão aqui na sua totalidade.
(Continuação)
Sessão de 10 de Abril. Nesta, sim, há coisa que interessa. Façam favor de ler: “... em esta cidade de Castelo Branco e Cazas da Camara della aonde foram convocados a Nobreza e o Povo e sendo ahi todos prezentes lhes foy proposto pelo Juiz de Fora Gervazio José Pacheco de Valladares hum Avizo que Sua Magestade tinha mandado expedir pella Secretaria de guerra ao Provedor da Comarca no qual determinava fossem ouvidos para o fim de consentirem que dos sobejos das sizas se construissem quarteis para dous Regimentos de Cavallaria e Infantaria que a mesma Senhora tinha determinado mandar para esta Cidade e Penamacor: E sendo ouvido o referido Avizo logo todos disseram uniformemente que elles penetrados do mais vivo reconhecimento devido à sua Soberana pelo Paternal zelo pelo que lhe menistrava tanto ao livrallos dos insultos a que ha pouco tinhão visto expostos como em promover e aumentar as suas utelidades lhe offeressião de muito boa vontade o sobejo das sizas e alem destas o quartel para huma Companhia à custa dos seus bens particulares.
Rogavão a esta Camara ouvesse de por na prezença de Sua Magestade os sentimentos de amor, gratidão, e respeite que todos Geralmente lhe tributavão, a semsibilidade com que prezentemente recebem e sempre protestão receber as suas decizoes e insessantes votos que fazem pela concervação da sua pessoa em que fazem consistir toda a sua felicidade de que o dito Menistro mandou fazer este Auto que com elle assignou
.”
Pelo teor da acta também facilmente se apura que todos ficaram muito satisfeitos com a vinda dos dois regimentos, um para aqui, outro para Penamacor. Não só concordaram todos com a aplicação dos sobejos das sisas à construção do quartel para o regimento, mas à custa dos seus bens pessoais construíam mais um quartel para uma companhia. E tinham razão. Castelo Branco, relativamente perto da fronteira, estava exposto a vexames por parte dos espanhóis desde a guerra que com eles houve no reinado de D. José e a vinda de um regimento (em Castelo Branco ficou o de Cavalaria; e o de Infantaria foi para Penamacor) era uma garantia contra novos vexames.
O quartel fez-se, de facto, embora não fosse com a pressa que todos queriam. Alguns anos depois, foi destruído por um incêndio provocado por um raio que sobre ele caiu.
(Continua)
PS. Mais uma vez informe os leitores dos postes “Efemérides Municipais”, que o que acabou de ler é, uma transcrição fiel do que foi publicado na época.
O Albicastrense

Sem comentários:

Enviar um comentário

MEMÓRIAS DE OUTROS TEMPOS - " O JÚLIO RAMOS DO CAFÉ ARCÁDIA"

O jornal “ Beira Baixa ” publicou em 1944, a pérola que aqui estou a postar.                            Não há no Mundo maior palp...