sexta-feira, agosto 12, 2011

SINAL VERMELHO


SITUAÇÕES ESTRANHAS....
Confesso que por vezes (perante determinadas situações), dou comigo a pensar: como é possível isto acontecer !?
Vem esta interrogação, a propósito da situação que as fotos que ilustram este post, documentam.
Então não é que a autarquia da minha terra, gasta uma pipa de massa na construção de contentores de lixo subterrâneos, e depois, certos comerciantes, colocam o lixo não dentro dos contentores, mas em plena rua!....
Perante esta bandalheira, uma questão se coloca: São os contentores que não têm capacidade para ali ser colocado este tipo de lixo, ou os senhores comerciantes acham que dá muito trabalho dobrar os cartões, para os colocar nos contentores?
Não sei qual o motivo! No entanto... este albicastrense não pode deixar de estranhar tal atitude, e exige aos responsáveis pelo sector do lixo da sua autarquia, a tomada de medidas perante esta “lixeirada” ao ar livre, que não só envergonha os albicastrenses, como os responsáveis por este sector na autarquia albicastrense.
O Albicastrense

4 comentários:

  1. Pois é , aqui por Idanha-a-Nova sucede o mesmo ....e fica-me quase em frente da janela .Já assisti ao camião de recolha passar , fazer o seu trabalho e passados uns minutos vir um comerciante por ao lado os seus caixotes!!!Mas em Lisboa sucede o mesmo...Creio que é mesmo civismo que também está a faltar a muita gente .Eu bem barafusto ...
    Vesitas
    Quina

    ResponderEliminar
  2. Anónimo16:19

    Eu quase que apostava que todos sabemos quem la coloca o lixo!.

    ResponderEliminar
  3. Cloro que sabemos! meu amigo...

    ResponderEliminar
  4. Acho que também sei quem lá colocou o lixo... Foi o Sócrates, certo? Nunca acreditei naquela estória dele viajar para Paris! :)

    Agora a sério, isto acontece em muitas cidades do nosso país, mas não quer dizer que seja correcto. É feio, é sujo e fica mal a quem quer que seja!

    Um abraço!

    ResponderEliminar

MEMÓRIAS DE OUTROS TEMPOS - " O JÚLIO RAMOS DO CAFÉ ARCÁDIA"

O jornal “ Beira Baixa ” publicou em 1944, a pérola que aqui estou a postar.                            Não há no Mundo maior palp...