sábado, julho 28, 2012

A TORRE DO RELÓGIO

  
Para muitos albicastrenses a velha torre do relógio, poderá não parecer uma construção muito antiga, contudo essa  não é a realidade, pois estamos perante uma construção com mais de quatro séculos de existência. Para aqueles que desconheçam este facto, aqui ficam algumas imagens da velha torre e um pouco da sua história.

UM POUCO DA SUA HISTÓRIA

Duarte de Armas, diz-nos no seu livro das Fortalezas, o seguinte:
O castelo ao alto em posição dominante sobre a povoação, na encosta, destaca-se  a sua torre de menagem; a cerca da vila, dupla, ameada, na qual se inscreviam cinco torres uma delas a Torre do Relógio, (já referida como tal), rasgada por oito portas: a Porta do Ouro, a Porta de Santiago, a Porta da Traição, a Porta do Espírito Santo, a Porta do Relógio, a Porta da Vila, a Porta do Esteval e a Porta de Santarém.


A torre quadrangular que integrava a antiga muralha exterior da Vila Albicastrense, foi transformada no séc. XIX, em torre do relógio.
A torre é em cantaria de granito, com remate em cornija e rasgada por pequenas frestas em arcos de volta perfeita.
Superiormente a zona do relógio e sinos do carrilhão, de perfil circular, rasgado por janelas em arco, executadas no séc. XX.
O velho relógio ainda hoje nos dá as horas, porém, em tempos anunciava os quartos, as meias e as horas e, até o hino da cidade  ele tocava bem alto aos albicastrenses.
O velho relógio à muito perdeu o pio, e já nada nos diz! Será que lhe rapinaram a música? Ou apenas hibernou?
                         O Albicastrense

3 comentários:

  1. Anónimo20:08

    O Duarte d'Armas não diz nada, quem diz é o general João de Almeida, na sua versão anotada do livro, publicada em 1943.

    No século XIX a torre do relógio foi remodelada, tendo sido colocados os mostradores com os ponteiros, que antes não existiam.

    A torre anteriormente era muito mais interessante do ponto vista arquitectónico do que o pináculo "disney" que lá está hoje.

    http://1.bp.blogspot.com/_M6MO7kCRe8s/SZNC-m01RJI/AAAAAAAAADI/TjA_1VQT098/s640/hcfhfgj.jpg

    ResponderEliminar
  2. Olá "veginho " ! Sabe tembém a torre do relógio de Idanha-a-Nova fazia parte da muralha templária .
    Teve a sorte , ela e nós , de não ver alterado o seu estilo .Quanto ao relógio , até ver , ou antes ouvir, ainda dá horas e quando o ouço em minha casa já sei que vai chover....Pelo menos assim dizem os nossos "intigos ".
    Ab.

    ResponderEliminar
  3. Amiga Idanhense.
    Ainda bem que a lei do silêncio não chegou à Idanha.
    Consta que o velho relógio albicastrense ficou sem pio, porque alguns dos moradores (muito sensíveis) que viviam ao seu redor, ficavam incomodados com as suas badaladas.
    Sensibilidade que cortou o pio ao dito cujo.
    Abraço

    ResponderEliminar

A RUA DA MINHA ESCOLA – (VII)

        (ESCOLA DA SENHORA DA PIEDADE)                          O que sabemos nós da rua da nossa escola primária? João Evangelista...