domingo, outubro 28, 2012

COMENTÁRIOS - XIX

              Memórias da velha rua dos Ferreiros

Olímpio Matos disse...

Então, vamos dar uma ajuda. Primeiro, da rua dos Ferreiros: volto a rever, com saudade, o Tio Passarão (nunca lhe soube o nome próprio) à porta da sua carvoaria, alto, de bigode, sempre enfarruscado por dever de ofício; bem haja pela foto, que já guardei; já não lembrava que no piso superior funcionava a Sopa dos Pobres, com acesso pela porta ao lado e que a foto não mostra ; e confirmo que a série de portas no lado direito davam acesso, de cá para lá, à taberna de vinhos e petiscos "1º de Maio", à sede do Benfica e Castelo Branco e à Papelaria e Tipografia do Sr. Portela Feijão.
Confirmo o edifício onde funcionava o ISA (Instituto de Santo António, do Dr Victor Pinto, pai do Padre Feytor Pinto), mas não consigo dizer se os terrenos murados à esquerda eram pertença dos CTT ou seriam particulares e, neste caso, de quem.
Quanto à Ourivesaria Morão existiu de facto num rés-do-chão no quarteirão ao lado da Sé entre o edifício do Clube dos Caixeiros (hoje dos CTT) e a oficina de arranjo e aluguer de bicicletas (aos quartos de hora...) do senhor Mourinha ainda vivo, a residir em Almeirim, Santarém. Os ourives eram dois irmãos. O casado morava no primeiro andar da casa.
Votos de continuação. O M Matos

3 comentários:

  1. Amigo Olímpio Matos.
    O seu comentário é simplesmente delicioso.
    De seguida quero dizer-lhe, que também eu conheci o Tio Passarão.
    Na década de sessenta, um dos meus trabalhos de criança, era ir buscar a “sopinha” à Sopa dos Pobres, por isso, tive a oportunidade de conhecer o velho Passarão.
    O tal taberna de que fala, era pertença do meu tio António Martins Bispo, conhecido por; “Tonho China”.
    Quanto à Tipografia Feijão e “ISA”, já não são do meu tempo, embora conheça um pouco da história de ambas.
    O terreno muralhado era uma quinta particular, porém não lhe sei dizer a quem pertencia essa quinta. Quanto à Ourivesaria Morão, também não tenho memórias dela.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  2. Anónimo19:36

    queria que me explicassem uma coisa....
    Porque é que estao a fazer obras no alcatrao desde as tilias ate às bombas do Malta??
    Com zonas da cidade onde o alcatrao esta em horrivel estado como a rua 4 e 5 do Bairro do Valongo estao a fazer obras em situaçoes em que nao ha degradaçao aparente??
    Isto nao se entende, sinceramente....

    ResponderEliminar
  3. Caro amigo.
    Curiosamente já tinha comentado com a minha esposa, precisamente o questão você aqui coloca.
    Sabe qual é a resposta?
    Parece que em Castelo Branco, nem todos somos filhos da terra, ou seja, uns são filhos, outros são enteados.
    Abraço.

    ResponderEliminar

A RUA DA MINHA ESCOLA – (VII)

        (ESCOLA DA SENHORA DA PIEDADE)                          O que sabemos nós da rua da nossa escola primária? João Evangelista...