quarta-feira, outubro 10, 2012

EFEMÉRIDES MUNICIPAIS - LXVI


A rubrica Efemérides Municipais foi publicada entre Janeiro de 1936 e Março de 1937, no jornal “A Era Nova”. Transitou para o Jornal “A Beira Baixa” em Abril de 1937, e ali foi publicada até Dezembro de 1940. A mudança de um para outro jornal deu-se derivada à extinção do primeiro. António Rodrigues Cardoso, “ARC” foi o autor desde belíssimo trabalho de investigação, (Trabalho que lhe deve ter tirado o sono, muitas e muitas vezes).

O texto está escrito, tal como foi publicado.
Os comentários do autor estão aqui na sua totalidade.
(Continuação)
Deve contudo notar-se que, se nenhuma sessão da Câmara se realizou nos meses de Maio, Junho, Julho e Setembro, houve em 21 de Setembro uma reunião do juiz de fora, vereadores e procurador do concelho “para effeito de na forma das ordens de Sua Magestade fazerem eleyção de tres pessoas para húa delas ser provida no cargo de Superintendente das Caudellarias desta  comarca de Castelo Branco que se acha vago por falecimento de Joaquim José Caldeyra Frazão”.

A respeito desta eleição lê-se no respectivo auto: “O Provedor do Conselho Francisco da Silva votou em primeiro lugar em Francisco da Fonseca Coutinho e Castro e por votar o Vereador que serve de mais mosso Jozé Caldeyra de Ordaz e ser presente o segundo Vereador João de Mendanha Valadares, se retirou este alegando a razão do proximo parentesco que tem com o segundo votado e em lugar deste foy chamado Diogo de Mesquita Miz da Fonseca que votou no dito Jozé Caldeyra para primeiro lugar com quem tãobem concordou o Vereador mais velho António Ignacio Cardoso Frazão.
Em consequência nomearão pela pluralidade de votos em primeiro lugar a Jozé Caldeyra de Ordaz filho de Joaquim Jozé Caldeyra Frazão. Fidalgo cavaleyro da casa de Sua Magestade e Mestre de Campo de Auxiliares, e Superintendente que foy das caudellarias desta Comarca pessoa de mais destinta Nobreza desta Província de boa indole capassidade e dezenteresse, que pessue em bens de raiz o milhor de cento e outenta mil cruzados”.

A ninguém deve oferecer duvidas que José Caldeira de Ordaz, foi eleito em primeiro lugar para o cargo de ”Superintendente das Caudelarias desta  comarca”, era o morgado da casa Ordaz, avô de outro morgado do mesmo nome, um pouco ampliado, que nós conhecemos muito bem e se chamava José Caldeira de Ordaz e Queiroz de Valadares. 
O segundo votado foi Francisco de Fonseca Coutinho e Castro, também da nobreza da nossa terra. Deve ter sido avô (ou pai?) do Visconde de Portalegre, que tinha os apelidos Fonseca Coutinho e Castro de Refoios.
O votado em terceiro lugar foi Diogo da Fonseca Barreto e Mesquita, que deve ter sido da família dos Viscondes de Oleiros de quem é neto o Dr. Francisco Rebelo de Albuquerque, que também é Mesquita e Castro.
(Continua) 
PS. Mais uma vez informe os leitores dos postes “Efemérides Municipais”, que o que acabou de ler é, uma transcrição fiel do que foi publicado na época.
 O Albicastrense

Sem comentários:

Enviar um comentário

A RUA DA MINHA ESCOLA – (VII)

        (ESCOLA DA SENHORA DA PIEDADE)                          O que sabemos nós da rua da nossa escola primária? João Evangelista...