segunda-feira, junho 27, 2016

COMENTÁRIOS - XXV

A NOSSA ZONA HISTÓRICA
O comentário que desta vez estou a postar, foi deixado em esclarecimento a um poste sobre a zona histórica da terra albicastrense. Ao seu autor, só posso dizer bem-haja pelo esclarecimento que nos deixou, alegando que talvez a publicação do seu comentário como poste, possa despertar consciências adormentadas na defesa da nossa zona histórica.
A quem dirige a autarquia albicastrense, não
posso deixar de esgrimir o seguinte:
Tendo a autarquia albicastrense gasto milhões e milhões de euros na recuperação da nossa zona história, este albicastrense não consegue entender que a política empresarial de terminadas empresas “não querem gastar dinheiro com a passagem dos cabos aéreos para os tubos subterrâneos, que já lá estão”, se sobreponham aos interesses da nossa zona história e dos albicastrenses.
Aos albicastrenses posso esgrimir igualmente o seguinte: Se não fosse muita ousadia minha, quase que implorava aos albicastrenses, para que de futuro pensassem melhor antes de assinar contratos de fornecimento de serviços de comunicações com determinadas empresas, empresas que tão mal tratam a nossa terra.

José de Castilho disse...
Tem toda a razão nos comentários relativamente aos dois casos que aqui expôs. Quanto aos horríveis cabos e caixas metálicas cinzentas que desvalorizam o aspecto da fachada principal da minha casa (e a fachada lateral também) ando há 5 anos a lutar pela sua remoção, mas como as obras se iam arrastando sempre tinha a esperança que mais dia, menos dia o assunto fosse resolvido. 
Há para aí uns dois meses concluí que aquilo não saía da cepa torta, pois a EDP, à minha revelia, andou a fazer buracos nas minhas fachadas e a fixar definitivamente os cabos pendurados provisoriamente em ferros desde o final das obras. Para que as fiadas fossem na horizontal, até traços de fio de pedreiro azul fizeram por cima da pintura branca com tinta de silicato, que o IGESPAR exigiu.

Então, fui falar com o Sr. Presidente da Câmara, que me recebeu com muita simpatia e se prontificou a fazer todos os esforços para que o problema seja resolvido. O que ele me disse foi que esta situação ainda não foi resolvida porque a EDP, a PT e a Cabovisão (parece que também é TV Cabo, agora) não querem gastar dinheiro com a passagem dos cabos aéreos para os tubos subterrâneos, que já lá estão. Escrevi uma carta a cada uma das companhias a intimá-las a retirar os cabos, que foram ali colocados sem minha autorização. A EDP foi a que mais se preocupou em dar-me resposta, pois escreveu-me e mandou lá um responsável. Mas empurrou a solução para a responsabilidade da Câmara. 
O senhor que lá foi disse-me o mesmo que me tinham dito por telefone, que podiam tirar de lá os cabos se eu pagasse a despesa. Respondi que ali não é nenhuma empresa turística, que ganhe dinheiro com o visual da fachada, para arrecadar receitas e lhes pagar, que ali é um edifício com interesse histórico (tem o brasão mais antigo da cidade), mas uma mera casa particular.
É feio ver aquilo para quem ali passa, que fica mal impressionado, a começar por mim, mas não me compete custear o bom visual duma parcela da cidade.  Fiquei a saber, pelo senhor da EDP que lá foi, que as horríveis caixas cinzentas não são deles mas sim da Cabovisão. A Meo (PT ou lá o que é) não se dignou responder-me.
A Cabovisão respondeu-me com delicadeza que estão a estudar o problema. Não bastavam estes desgostos, quando tive mais um: o horrível grafito de medonhas letras rabiscadas por cima da tal tinta de silicato, na fachada principal.
Bem, vou mandar limpar aquilo e pintar, quando já lá não houver fios nem caixas metálicas. Sobre isto, o comentário principal de interesse para os albicastrenses, é que ali não há policiamento nenhum, a zona histórica está entregue à bicharada durante a noite. Só por milagre não acontecem coisas piores.
Roubaram-me das portas laterais as maçanetas metálicas desenroscáveis por fora e não fui o único contemplado. E tanto quanto consta não são moradores da zona que fazem isso. Resta-me esperar que o Senhor Presidente da Câmara Municipal, pessoa que muito admiro e por quem tenho elevada consideração, consiga resolver estes problemas.
José Martins Barata de Castilho
O Albicastrense

Sem comentários:

Enviar um comentário

AO PRESIDENTE DA AUTARQUIA ALBICASTRENSE - (II)

Hoje ao passear pela rua Mousinho Magro, dei comigo a olhar para os dois portados que se podem ver na imagem aqui postada e a perguntar ...