quarta-feira, março 01, 2017

OS HENRIQUES DE PAIVA, DE CASTELO BRANCO – (II)

(Continuação)
Precisamente, o casal veio habitar uma casa na Rua do Relógio, foreira à Confraria da Misericórdia. Adquiri-a António Ribeiro de Paiva a um mercador, de nome João Soares, em 1752, e vendeu-a em enfiteuse a seu filho, Eusébio Ferreira, em 1785.
A modesta residência ainda conserva actualmente a sigla de Misericórdia na verga da porta de entrada, um M maiúsculo e, algum dia deverá assinalar-se com uma lápide comemorativa do berço de tão ilustres filhos desta cidade. Pagava o foro anual de 375 réis, segundo os “Tombos” daquela instituição.
Como tivessem numerosa prole, quando a família cresceu e já mal podiam acomodar-se na residência, onde também se achava a botica, adquirida  por enfiteuse  em 1759 ou 1759 outra casa, na  mesma rua, também da Misericórdia e siglada com as letra M , “de janela, três sobrados e duas torrinhas”, de que pagaram foro de 100 réis anuais, até 1764, em que foi trespassada a outro enfiteuta.
Cirurgião e farmacêutico examinado, como dissemos, António Ribeiro prestou os melhores serviços profissionais da Campanha de 1762, contra invasores espanhóis e franceses.
Era fornecedor habitual dos dois hospitais locais, da Misericórdia e dos Convalescentes. Servia os conventos da Graça e de Santo António, as pessoas principais e o povo, com “boa aceitação de todos os moradores, pela especialidade e bom preparo de seus Remédios” conforme diz no requerimento para lhe ser autorizada a botica, “por hum seu filho médico partidista na vila de S. Vicente ser chamado para a Vila de Castelo Branco, por não haver nesta mais que hum só medico, e haver precisão de outro pelos muitos enfermos”.  
Aqui nasceram os filhos do casal, além dos quatro médicos e do Dr. Teotónio Ribeiro de Paiva, bacharel em leis, os restantes irmãos, Eusébio Ferreira, António Joaquim e Gaspar Henriques de Paiva.
 Eusébio Ferreira viveu e faleceu nesta cidade, no lar de família de seus pais e em que permaneceram a sua viúva, Maria da Conceição e o filho de ambos, João Henriques Ferreira.
 (Continua)
Recolha de dados “Estudantes da Universidade de Coimbra
Naturais de Castelo Branco”. Da autoria de, Francisco
Morais e José Lopes Dias.
O Albicastrense

Sem comentários:

Enviar um comentário

AO PRESIDENTE DA AUTARQUIA ALBICASTRENSE - (II)

Hoje ao passear pela rua Mousinho Magro, dei comigo a olhar para os dois portados que se podem ver na imagem aqui postada e a perguntar ...