segunda-feira, março 21, 2011

TIRAS HUMORÍSTICAS - LXXVI

A dupla muito insuperável de comentaristas deste blog, “Bigodes & Companhia” (como não podia deixar de ser) comenta as declarações dos responsáveis pelo corte dos cedros na Sra. De Mércules.
No dia da poesia, nada melhor que um poema de Luis Vaz de Camões.
Árvore, cujo pomo, belo e brando
.
Árvore, cujo pomo, belo e brando,
natureza de leite e sangue pinta,
onde a pureza, de vergonha tinta,
está virgíneas faces imitando;
.
nunca da ira e do vento, que arrancando
os troncos vão, o teu injúria sinta;
nem por malícia de ar te seja extinta
a cor, que está teu fruito debuxando.
.
Que pois me emprestas doce e idóneo abrigo
a meu contentamento, e favoreces
com teu suave cheiro minha glória,
.
se não te celebrar como mereces,
cantando-te, sequer farei contigo
doce, nos casos tristes, a memória.
PS. O grupo do João no Facebook, continua à sua espera: "Eu sou contra o corte de 40 árvores na Sra. de Mércules, em Castelo Branco". Divulgue-o junto dos seus amigos
O Albicastrense

2 comentários:

  1. Anónimo14:45

    Que seja APENAS o POvi de DEUS a pagar a OBRA.
    Nem um cêntimo da CÂmara para o atentado. Assim o Morão será coerente. A VER VAMOS...

    ResponderEliminar
  2. Anónimo22:14

    Os cedros incomodavam o futuro de betão e granito polido que surgirá no santuário.

    ResponderEliminar

A RUA DA MINHA ESCOLA – (IX)

(ESCOLA DO BONFIM)                               O que sabemos nós da rua da nossa escola primária?    (Rua do Bonfim)         ...