terça-feira, maio 01, 2007

CAFÉS DA MINHA CIDADE

Café Beirão

O Café Beirão é sem qualquer dúvida um dos mais antigos estabelecimentos deste ramo na nossa cidade, podendo inclusivamente ser considerado actualmente o decano dos cafés da cidade de Castelo Branco.
Aberto nos anos quarenta no local onde anteriormente existia uma oficina de mármores por Chico Carriço, (com o nome por qual ainda hoje é conhecido “Café Beirão”), estará a beira de comemorar setenta anos de idade.
Durante aproximadamente 17 anos Chico Carriço manteve-se á frente do café, porém em 1966 trespassou-o para o seu actual proprietário a quem todos hoje designamos por “Tonho do Beirão” e que ali se mantém á mais de quarenta anos.
É um café sem grandes floreados, mas com raízes bem profundas no coração dos albicastrenses, se perguntarmos a alguém onde fica todos dirão: Largo da Sé. A sua explanada é sem qualquer dúvida lugar de culto nos verões da nossa cidade, os caracóis ali servidas tiram do céu o mais fiel devoto de qualquer santo, isto sem esquecer a bela imperial como acompanhamento.
Numa cidade onde o “deita abaixo” é normalmente o desporto favorito de alguns, gostaria de recordar aqui o velho café Lusitânia e o saudoso café Arcádia, cafés da minha infância que os albicastrenses não souberam defender dos ignorantes da nossa história.
Ao Café Beirão este albicastrense deseja muitos e muitos anos a servir os albicastrenses.

O Albicastrense

8 comentários:

  1. Desconhecia a idade do Beirão. Também sou frequentador do café no tempo dos caracóis.

    ResponderEliminar
  2. Já não entro no Beirão há imenso tempo, se calhar anos. Sempre foi um sítio óptimo para se comer os caracóis, ver jogos de futebol, nos melhores ambientes

    ResponderEliminar
  3. Luis S.01:35

    O Lusitânia tinha lá dentro umas pinturas da Cidade, seria interessante saber o que fizeram com elas.

    ResponderEliminar
  4. Vi muitos jogos de futebol com muitos caracóis e imperiais à mistura no Beirão!... E a época do Beirão começa mesmo nesta altura, que saudades...

    ResponderEliminar
  5. Anónimo14:14

    Já não vou la a alguns anos. Tenho saudades, assim como do arcádia, lusitânia entre outros.

    ResponderEliminar
  6. António Veríssimo disse...

    Caro Luís S.
    Quanto às pinturas do Café Lusitânia, posso adiantar-lhe o seguinte:
    As pinturas eram três:
    Duas das pinturas eram sobre Castelo Branco, a terceira tinha motivos silvestres.
    Em Junho de 2003 passei ocasionalmente à porta do antigo Café Lusitânia, reparando que a porta estava meia aberta, espreitei para dentro e verifiquei que as obras de remodelação do local tinham começado.
    Olhando bem para o local verifiquei que as pinturas que tinham sido pintadas no próprio vidro ainda lá estavam, e que o actual proprietário não estava interessado nelas, o vidro onde elas estavam pintadas ia simplesmente ser “escavacadas”, pedi ao proprietário que me deixasse tira-las, ao que ele acedeu.
    Eu e um irmão meu cortamos os vidros e retiramos as duas referentes a vistas sobre Castelo Branco, pois a outra estava irrecuperável.
    Elas estão hoje devidamente salvaguardadas em casa de um albicastrense, a que as adquiriu em 2004.
    Se quiser ver as fotografias dos quadros, procure no meu blog, pois em Setembro de 2005 falei aqui do encerramento do café Lusitânia.

    ResponderEliminar
  7. Anónimo23:10

    o ridiculo é que a camara municipal já lhe fez tres obras em frente do café
    e o snr antonio o que quer é ganhar dinheiro nunca se dignou aranjar pintar a fachada do cafe será que é beirão ou interessão ??

    ResponderEliminar
  8. Anónimo19:55

    O beirão é sempre o beirão,mas precisava de uma remodelação porque só tem uma casa de banho, o que não é permitido, não é só encher os bolsos.

    ResponderEliminar

A RUA DA MINHA ESCOLA – (VII)

        (ESCOLA DA SENHORA DA PIEDADE)                          O que sabemos nós da rua da nossa escola primária? João Evangelista...