sexta-feira, maio 25, 2007

CASTELO BRANCO


NO TEMPO
Em 18 de Maio de 1892, a fábrica de transformação de cortiça, propriedade do grande industrial corticeiro, José Lopes Burgos, iniciou a sua plena laboração.
Esta unidade industrial situava-se na rua Postiguinhos de Valadares, onde trabalhavam 58 operários, de ambos os sexos, José Burgos foi um industrial de grande prestígio e iniciativa. Animado pelos excelentes resultados obtidos, alargou a sua onerosa actividade de extracção e transformação de cortiça, tendo edificado, junto a estação da CP, em Castelo Branco, uma fabrica de raiz, moderna e ampla, com todos os requisitos de higiene e equipada com sofisticada maquinaria transformadora, a qual produzia centenas de rolhas por hora.
A construção desta fábrica, neste local, tinha como principal objectivo, ficar próximo da via-férrea, por onde escoaria o produto final.
Em 1911 esta firma já empregava 251 trabalhadores, sendo 136 do sexo masculino e 115 do feminino. Destas 251 operários, apenas 30 homens e 4 mulheres sabiam ler.
PS. A recolha dos dados históricos é de José Dias. 
A compilação é de Gil Reis e foram publicados no Jornal ”A Reconquista”

O Albicastrense

4 comentários:

  1. Anónimo22:08

    lembro-me dum ninho de cegonha no cimo da chemine'

    ResponderEliminar
  2. COm mestres assim, Castelo Branco de outros tempos continuara vivo
    parabens pelo bom trabalho.

    ResponderEliminar
  3. Anónimo23:00

    e quem foi o ultimo proprietario não era qualquer coisa Monteiro ?

    ResponderEliminar
  4. Anónimo00:58

    se olhares bem, parece que estao 2 cegonhas le encima

    ResponderEliminar

A RUA DA MINHA ESCOLA – (VII)

        (ESCOLA DA SENHORA DA PIEDADE)                          O que sabemos nós da rua da nossa escola primária? João Evangelista...