domingo, maio 13, 2007

A HISTÓRIA DO PARDALINHO

QUE CAIU DO NINHO

Esta é a história do pardalinho
que caiu do seu ninho,
e só dizia baixinho, píu, piu.

Até parecia que o pardalinho
afinal dizia … Mãe, Mãe,
ajuda-me pois estou perdido,
sem saber o caminho.

Porém passou alguém
que pegando no pardalinho
sussurrou baixinho dizendo:
Que te aconteceu passarinho?

Esta é a história do pardalinho
que caiu do seu ninho,
e só dizia baixinho piu, piu.

Triste história a do pardalinho
que caiu do seu ninho,
e parecia, que dizia baixinho,
levem-me para o meu cantinho.

Esta é a história do pardalinho
que caiu do seu ninho,
e só dizia piu, piu.

Termina esta história
com o adeus ao pardalinho,
pois até parecia que ao despedir-nos
ele dizia baixinho.
“Bem-haja, pelo novo lar”

1º - Em primeiro lugar peso desculpa aos visitantes deste blog, pela minha pequena loucura de escrever este post.

2º – Este post é dedicado á Delfina pessoa que conheço à quase trinta anos, e que ao longo deste tempo manteve sempre, as suas convicções.

O Albicastrense

5 comentários:

  1. Também me lembro dela, mas já não a vejo, se calhar há 20 anos. Ainda está a trabalhar no Sindicato, ou já se reformou? Se a vires manda-lhe cumprimentos meus.

    Abraço
    Joaquim

    ResponderEliminar
  2. Batista.
    Ainda trabalha no sindicato e ali vai continuar por mais alguns anos. Deixa que te diga, não consigo imaginar a delegação do sindicato, sem a Delfina.
    Um abraço,
    Veríssimo

    ResponderEliminar
  3. Nuno18:31

    Conhecer pessoas com convições é cada vez mais raro.

    ResponderEliminar
  4. Anónimo18:21

    Olá Veríssimo!
    A Delegação do Sindicato de Castelo Branco sem a nossa "Fininha" não seria a mesma. Ela faz parte da mobília. Nutro por ela uma enorme estima. Tenho saudades dos momentos que passámos juntos. Lembras-te?
    Um enorme abraço
    Rita

    ResponderEliminar
  5. O poema é delicado e dá bem com o pardalzinho. E o
    Mas o que não liga nada bem, são 2 monumentais erros de ortografia nas curtas frases finais e de dedicatória. A Delfina não merece...nem o pardalinho...
    E também não calham bem no blog que gosto de seguir, para visitar esta terra e o seu património.

    ResponderEliminar

AO PRESIDENTE DA AUTARQUIA ALBICASTRENSE - (II)

Hoje ao passear pela rua Mousinho Magro, dei comigo a olhar para os dois portados que se podem ver na imagem aqui postada e a perguntar ...