terça-feira, julho 03, 2007

CURIOSIDADES ALBICASTRENSES - (XIV)


A TERRA ALBICASTRENSE

Com a abertura da nova biblioteca (agora com boas condições de encontrarmos o que procuramos), resolvi por pés a caminho e por em prática uma velha ideia: Procurar no antigo jornal “A Beira Baixa” notícias sobre Castelo Branco, daqueles tempos.

A primeira edição deste jornal deu-se em 1936, tendo o ultimo exemplar sido publicado na década de 70. Após uma observação um pouco apresada dos primeiros anos, que vão de 36 a 43, verifiquei que a linha editorial daqueles anos era uma autentica desgraça, Salazar mais Salazar e ainda Salazar, sobre a cidade muito pouco ou nada de interessante se diz durante estes oito anos, que tive a oportunidade de consultar.

Vou continuar esta pesquisa e sempre que encontrar algo de interessando ou curioso irei aqui dando conta. 
Como curiosidade aqui fica uma notícia publicada por aquele jornal em 7 de Abril de 1944, tal e qual como foi escrita na época, refere-se a esta á abertura do Café Avis,
 (o ultimo dos dinossauros na nossa cidade)

O Albicastrense

8 comentários:

  1. Anónimo14:23

    as comparações do café são iguais às da biblioteca «nova» proferidas pelo presidente Morão.

    ResponderEliminar
  2. Anónimo19:28

    o cafe aviz era um cafe.Foi remodelado acho que em 1975 e deixou de ser cafe, passou a snack bar. O Arcadia foi vendido para um banco e mudaram o cafe para o sitio onde existiam os bilhares ao lado.Ja nao vou a castelo braco ha uns 20 anos, deve estar tudo mudado...

    ResponderEliminar
  3. Anónimo19:30

    Ja que estou com a mao na massa o que e que esta em frente do cafe aviz? uma fonte?

    ResponderEliminar
  4. Caro anónimo - 1
    O café Arcádia já era, nem café nem bilhares foi tudo pelos ares à mais de vinte anos.
    Quanto a castelo Branco quando cá voltar vai encontrar uma cidade bem diferente.(em algumas coisas para melhor, noutras para pior).

    Anónimo - 2
    É um repuxo bem folclórico.

    ResponderEliminar
  5. Anónimo12:33

    Um repuxo que custou milhões e não resolveu a falta de gosto do projecto...
    Pimbas mentais.

    ResponderEliminar
  6. E o melhor de tudo é que tinham aquilo cheio de betão, tiveram que desmanchar tudo e fizeram aquela ... obra (que de folclórico não tem nada)

    ResponderEliminar
  7. Anónimo21:52

    Este café era frequentado pelo meu pai na década de 60. Lembro-me muito bem o ambiente. Pena que actualmente(?) seja um um snack-bar ou coisa parecida.

    ResponderEliminar
  8. Luís Dias01:29

    O meu pai era um assíduo frequentador do Café Avis na década de 60. Lembro-me de ir com o meu pai, algumas vezes à noite, e sentar-me numas cadeiras vermelhas a comer um chocolate.

    Passados anos descobri que o café tinha virado snake e que todo o seu ambiente se tinha esvaído com o tempo.

    ResponderEliminar

MEMÓRIAS DE OUTROS TEMPOS - " O JÚLIO RAMOS DO CAFÉ ARCÁDIA"

O jornal “ Beira Baixa ” publicou em 1944, a pérola que aqui estou a postar.                            Não há no Mundo maior palp...