domingo, março 30, 2008

A Minha Cidade

ZONAS DEGRADADAS

DA

CIDADE DE CASTELO BRANCO

O jornal "A Reconquista" publica esta semana um pequeno artigo que tem por título: "Degradação instala-se na zona antiga da cidade de Castelo Branco". Tal artigo mais não é que a confirmação do que aqui escrevi sobre este assunto em Outubro de 2007, com o titulo "Contradições da minha cidade".
Depois de ler este artigo, não posso deixar de contar aqui uma situação que tive a oportunidade de observar há alguns dias. Desloquei-me recentemente a Abrantes, (cidade onde tenho familiares). Porém e contrariamente ao habitual, desta vez não me fiquei pela casa dos familiares e desloquei-me ao centro da cidade, (coisa que não fazia há muito tempo), para tratar de alguns assuntos. Ao conversar com a pessoa com quem tinha assuntos a resolver reparei num conjunto de livros em cima do balcão, que tinham como titulo: "Abrantes Fórum" peguei num deles, e disse para com os meus botões… mais um Centro Comercial! Ao folhar o livro reparei que não se tratava de um Centro Comercial como o existente em Castelo Branco, mas antes de um Centro Comercial Ao Ar Livre!!!!!

Este Centro Comercial ao ar livre, a que eu chamaria
"o Centro Comercial dos pequenos comerciantes de Abrantes", é sem duvida um exemplo, de como se pode promover a modernização e requalificação urbana e potenciar uma ocupação residencial, comercial e cultural em qualquer zona degradada. Este Centro Comercial ao ar livre, que caminha por ruas, praças e largos de praticamente todo o Centro Histórico de Abrantes, tornou aquele espaço num local vivo e bastante animado para os Abrantinos. A situação do Centro Histórico da cidade de Abrantes é hoje uma nova realidade, porém quem conheceu aquele espaço há alguns anos atrás, (como eu conheci), não pode deixar de elogiar esta estratégia, pois ela permitiu o regresso dos Abrantinos ao seu espaço de eleição, assim como a recuperação do comercio tradicional, hoje em vias de extinção.
O centro histórico da cidade de Abrantes estava até há bem pouco tempo, tal como está a zona da nossa cidade descrita pelo jornal reconquista:

Ao Presidente da nossa autarquia, só posso deixar esta mensagem;

Senhor Presidente a cidade de Abrantes fica apenas a 80 quilómetros de Castelo Branco. Que tal aproveitar um dia livre destes para ali dar um salto, e ver com os seus próprios olhos o trabalho realizado nesta área, pelos autarcas de Abrantes? A cidade… e os albicastrenses seguramente agradeceriam esta viagem.

Do http://essa_abrantes.blogs.sapo.pt/ tirei as palavras que se seguem;

Abrantes Fórum

"Centro Comercial Ar Livre de Abrantes"

O Centro Comercial Ar Livre de Abrantes (CCAL) também designado por Abrantes Fórum é uma iniciativa produzida pela Câmara Municipal, que tem por objectivo o desenvolvimento, qualificação e gestão do Centro Histórico de Abrantes. Segundo Maria do Céu Albuquerque, vice presidente da Associação CCAL, o Abrantes Fórum "Resulta da parceria de interesses de dois actores centrais - a Câmara Municipal de Abrantes e a Associação Comercial e Serviços - tendo por objectivo um conjunto de iniciativas programáticas destinadas a dinamizar e revitalizar a vida pública e social na zona, incrementar a participação e a cidadania activa, estimular e qualificar a actividade económica e a sua rentabilidade, promover a modernização e requalificação urbana e potenciar uma ocupação residencial, comercial e cultural inovadoras do centro tradicional de Abrantes, contrariando, assim, uma certa tendência para a deslocação do comércio e serviços e a desertificação populacional registadas nos últimos anos e criando novas condições e factores de interesse e mobilização

O Albicastrense

3 comentários:

  1. Anónimo13:10

    O MORão È BETÂO E MAIS BETÃO.
    quer lá saber disso é homem de vistas curtas. Para ele o mundo vai só até ao Valongo e, e.

    ResponderEliminar
  2. Anónimo11:18

    Tudo como dantes
    Quartel-Geral em Abrantes

    ResponderEliminar
  3. Anónimo02:36

    Será que houve acompanhamentos arqueológicos?

    ResponderEliminar

A RUA DA MINHA ESCOLA – (VII)

        (ESCOLA DA SENHORA DA PIEDADE)                          O que sabemos nós da rua da nossa escola primária? João Evangelista...