segunda-feira, outubro 25, 2010

OPINIÃO


NO PAÍS DOS BERLINDES...
A situação em que vivemos hoje no nosso pais, fez-me recuar ao início dos anos sessenta, altura em que eu brincava, (entre outros jogos), ao jogo do berlinde. O jogo do berlinde,(para quem não sabe), consiste em fazer no chão um pequeno triângulo, fazendo nas três pontas do triângulo, uma pequena cova. Depois com um berlinde joga-se de uma cova para o outra, o jogo termina quando um dos putos, (com um “abafa”: bola maior e colorida) abafava os berlindes dos outros. Falta dizer que os berlindes, (na altura), eram pequenas bolas de vidro que extraíamos do gargalo dos antigos pirolitos e que os abafas eram berlindes maiores, com várias cores e que apenas alguns putos mais “endinheirados” os tinham, pois era preciso compra-los nas papelarias.
No seguimento da explicação do jogo do berlinde, (e do abafa), dos meus tempos de criança, vou comparar este jogo à desgraçada situação que vivemos actualmente no nosso pais. Nos últimos vinte anos vivemos num pais “desgovernado” por alguns abafas, (os assombrosos políticos da nossa praça...), e com muitos berlindes a assistir e alguns a participar no jogo, (os Portugueses). Os abafas oriundos quase sempre da mesma vidreira, (embora muitas vezes queiram argumentar diferenças, entre si), abafam os berlindes com promessas e mais promessas de melhores dias. Os berlindes, (como não podia deixar de ser), deixaram-se abafar pelos abafas-comilões, que pouco a pouco os foram conduzindo para um gigantesco buraco, que não pertencia ao jogo do berlinde. O tempo passou e os abafa-mores, (também conhecidos por P.M.), e seus abafa-menores, foram acusando os abafas-anteriores do gigantesco buraco.
Perante a grandeza do brecha, o abafa-mor e seus seguidores, resolveram abafar ainda mais os berlindes. Sempre com a mesma argumentação: “É preciso reduzir o tamanho do buraco, pois corremos o risco de não conseguir sair do rombo e de nos afogarmos dentre dele”. Alguns dos berlindes resignados pela imensidão do buraco, rolam e debatem entre si, que o culpado é este ou aquele abafa-mor e que no próximo jogo do berlinde, vão jogar com outro abafa-mor. Outros berlindes, mais resistentes ao abafa-mor responsável pelo buracão existente, declaram que o actual abafa-mor há muito deveria deveria ter saído do jogo e responsabilizado pelo buracão.
Outros berlindes já gastos pelas voltas que o jogo lhes deu, perguntam: “como vamos nós continuar a rolar, se já não temos força sair do buraco onde nos enfiaram?” A história destes berlindes não é uma história acabada! Talvez um dia, (quem sabe...) eles deixem de rolar ao sabor deste tipo de abafa-mores e resolvam eles próprios abafar estes abafa-coloridos, que lhes têm enegrecido a vida e empobrecido o pais.
O Albicastrense

3 comentários:

  1. Carlos Vale15:24

    A política do "Abafa" não pára!
    O Interior que o diga.
    O PIDDAC para 2011 é prova disso.
    Dos 11 Concelhos do Distrito,6 não são contemplados(mais de metade). Assim, os concelhos de Idanha-a-Nova,Vila Velha de Ródão, Sertã, Oleiros, Proença-a-Nova e Vila de Rei, não têm único euro atribuido no PIDDAC para 2011.
    Mais, os concelhos de Penamacor e Belmonte só têm uma obra de 20 mil euros para cada um. Se atentarmos que só 3 obras, Estabelecimento Prisional de Castelo Branco 6,5 milhões de euros, UBI Medical e Faculdade de Ciências da Saúde-UBI 4,8 milhões de euros preenchem 75%das verbas e que Castelo Branco e Covilhã preenchem 96% do total das verbas,ficaremos com uma ideia mais precisa do desastre que é este PIDDAC.
    Então aonde está,a tal maneira eficaz de evitar a desertificação e o abandono do interior, aonde está a tal coesão nacional e o desenvolvimento harmonioso do País que andaram a vender durante décadas?
    Nada disto existe. Esfumou-se.
    Foi pura demagogia.
    Falta aimda dizer que a execução do PIDDAC 2010 foi outro desastre.
    Mais uma vez, o Interior do País é o grande sacrificado. É mais um golpe profundo no combate às assimetrias regionais e às injustiças sociais.
    É a prova real que é preciso mudar de rumo.
    É preciso pôr um ponto final na política do "ABAFA"...
    Carlos Vale

    ResponderEliminar
  2. Anónimo23:34

    o probema é amigo do nosso amigo
    que com o dinheiro que não é dele compra tudo ou quase todos
    se isto é democrata?
    porra que venha o outro
    do que mais gosto é das concelheiras de fim de tarde
    robin dos bosques

    ResponderEliminar
  3. Bons velhos tempos os do berlinde...
    Saudades da altura em que só me preocupava com esse jogo e agora paço o dia a ouvir a porcaria do OE!

    Gostei muito da originalidade deste post!

    Grande abraço!

    ResponderEliminar

MEMÓRIAS DE OUTROS TEMPOS - " O JÚLIO RAMOS DO CAFÉ ARCÁDIA"

O jornal “ Beira Baixa ” publicou em 1944, a pérola que aqui estou a postar.                            Não há no Mundo maior palp...