quinta-feira, fevereiro 24, 2011

A TAÇA REGRESSOU AO PARQUE


Em Junho de 2009 escrevi neste blogue o poste que se segue:

TAÇA DE GRANITO DA PRAÇA RAINHA D. LEONOR

(PROMESSA NÃO CUMPRIDA)

Por vezes acontecem coisas que não podem deixar de nos surpreender, ao deslizar pela Internet encontrei o artigo que aqui deixo à consideração dos visitantes deste blogue.
Jornal “Reconquista”(14 Agosto de 2008)
A Taça de granito vai voltar ao Parque da Cidade”.
A Taça de granito que nos últimos anos esteve a funcionar como fonte luminosa na Praça Rainha Leonor, vai voltar às origens. De acordo com o presidente da nossa autarquia (Joaquim Morão), as obras de requalificação da Praça Rainha D. Leonor implicam a saída da Taça em granito que aí existia, bem como o lago. De acordo com o presidente da autarquia, o objectivo é tornar aquele espaço mais agradável. Assim a famosa taça em granito, que noutros tempos esteve no Parque da Cidade, vai regressar ao local de origem. Joaquim Morão assegurou isso mesmo ao Reconquista. “Essa estrutura vai ser colocada no Parque da Cidade, no mesmo lago em que sempre esteve antes de ser transferida para a Praça Rainha Leonor”.
PS. Tentei descobrir onde se encontra actualmente a referida taça, após alguma pesquisa descobri o misterioso local onde a agoirenta taça caiu. O local onde a pobre taça se encontra não é o prometido Parque da Cidade, mas antes o estaleiro da Câmara Municipal!.. Não vou aqui questionar as obras feitas na Praça Rainha D. Leonor pois elas eram necessárias em meu entender, mas gostaria de colocar ao autor das declarações a seguinte questão:
Bonita promessa Senhor Presidente!.. Para quando o seu cumprimento?
O retorno da velha taça ao seu local de origem, (de onde nunca deveria ter saído), é uma exigência de todos os albicastrenses e ao mesmo tempo uma homenagem aos seus progenitores.
------------------------------------------------------
Volto hoje a este tema, porque fui informado por um amigo que a velha taça de granito, tinha retornado ao seu local de origem no final de 2010.
A taça regressou após uma pequena estadia nos estaleiros da Câmara, ao parque da nossa cidade, (mais propriamente ao parque dos loureiros) de onde tinha sido rapinada no consulado “Vilafranquense” para a colocar na praça Rainha D. Leonor. Assim como aqui denunciei o não cumprimento da promessa feita pelo presidente da nossa autarquia (quando da retirada da pia da respectiva praça), volto agora ao assunto, para dizer que a promessa foi cumprida e que a velha pia está hoje no local de onde nunca deveria ter saído.
As fotografias que ilustram este poste, foram captadas esta semana e são demonstrativas do seu retorno ao parque dos loureiros.
O Albicastrense

9 comentários:

  1. Anónimo14:31

    Ao PArque da nossa querida cidade deve regressar uma coisa VIDA.
    Foi o que deram as "obras" do POLIS.
    Quem matou o Parque que ra um orgulho?

    ResponderEliminar
  2. Caro anónimo.
    Não podia estar mais de acordo consigo. O nosso parque é hoje uma sombra do velho parque de outrora.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  3. Anónimo18:46

    a 3.ª foto está um verdadeiro postal dos correios. senão conhece-se a cidade, gostaria de lá ir só pelo que a foto mostra. Está bonito.

    shookst

    ResponderEliminar
  4. Que o parque não é o mesmo não é ,isso é verdade e não me parece que vá mudar . Aliás interrogo-me se terá sido a canção que diz ."Eu nasci na Beira ,/sou mulher pequena, /sou como o granito /bem rija e morena." que se meteu de tal maneira nas cabeças distritais que o granito invadiu tudo ....Não que eu não goste do granito ,que até gosto e o tenho usado nalguns locais , mas ele invadir os jardins .... não ,não me convencem . Uns bancos ,umas mesas , .... até fica giro consoante o sítio... Agora só granito .... hum!!!,não sou morena ,nem pequena ,mas lá por isso não sou menos beirã...Nem supõe as saudades que eu tenho do jardim idanhense da minha infância ,mas esse começou a desaparecer ainda no tempo da outra senhora ,ou antes " senhor",pelos finais dos anos 50 .
    Li o seu artigo sobre a taça e o estaleiro . Fico contente por ela , agora , ter regressado ao parque e parece-me estar bonita !!! Tanto a minha metade albicastrense ,como a idanhense rejubilam por isso...

    ResponderEliminar
  5. Amiga Idanhense sonhadora.

    O seu cometário é delicioso.

    Um abraço deste albicastrense que também sonha e muito, com o velho parque da sua cidade.

    ResponderEliminar
  6. Albicastrense : Agradeço as suas palavras . Esse parque também foi um pouco meu nos tempos da adolescência e ,como tal continua a ser ... Permita-me agora que o convide ,caso tenho tempo e disposição ,a visitar o meu blogue e a dizer de sua justiça . Essa parece-me ser avalizada e poderia mesmo ,com suas criticas , positivas ou negativas , ajudar a ir em frente o meu blogue que é uma criancinha ,ao pé do seu ...Só nasceu em Setembro passado . Lembre-se ,sou meia albicastrense ...
    Um abraço
    Quina

    ResponderEliminar
  7. Amiga Idanhense Sonhadora.

    O seu blogue é simplesmente delicioso.
    Ele até pode ser uma “criancinha” como você diz, porém, é uma “criancinha” a quem profetize desde já um futuro risonho.
    Amiga Quina, (desculpe o abuso) vou colocar o seu blogue nos meus blogues favoritos, pois ele é como lhe disse no início, um sítio onde nos podemos deliciar.
    Um grande abraço do albicastrense.

    ResponderEliminar
  8. Anónimo13:31

    É verdade que arrasaram com as árvores de Nossa Senhora de Mércules?

    ResponderEliminar
  9. Caro anónimo.
    O que sei a esse respeito li-o no blogue: “Castelo Branco-Cidade”. Para ser sincero ainda não tive oportunidade de ir ao local, para ver a barbárie que ali foi cometida.
    Tal como aconteceu na nossa cidade, onde muitas árvores foram selvaticamente cortadas, (Miradouro, Largo do Castelo, Parque da Cidade, Parque situado por de trás da Câmara, Quintal do Arquivo Distrital, etc, etc,) parece que agora nem os arredores da nossa cidade, escapam a esta barbárie.
    Prometo ir lá fazer umas fotos para depois colocar neste blogue.

    ResponderEliminar

A RUA DA MINHA ESCOLA – (VII)

        (ESCOLA DA SENHORA DA PIEDADE)                          O que sabemos nós da rua da nossa escola primária? João Evangelista...