domingo, fevereiro 13, 2011

BORDADO DE CASTELO BRANCO



“O NOSSO MAIOR TESOURO”
É do conhecimento de quem visita o blogue “Castelo Branco – O Albicastrense”, que o seu autor reclama há muito, para que a nossa autarquia tomasse medidas sobre a situação da oficina-escola de bordados do museu Tavares Proença Júnior. Foi pois com muita satisfação, que li e reli o artigo que aqui afixo.
Artigo onde o presidente da nossa autarquia, dá a conhecer (não aos albicastrenses como seria lógico, mas a esta revista), as medidas que em seu entender visam impedir a “extinção” do nosso bordado!... Diz o nosso presidente; “ser urgente fazer alguma coisa para salvar o bordado de Castelo Branco, em risco de ser extinto”. Senhor presidente! Nem tanto à terra nem tanto ao mar... quem está em morte-lenta é a oficina-escola do museu Francisco Tavares Proença Júnior, e não os nossos bordados.
As medidas agora anunciadas, são em meu entender bastante positivas, pena é, que em vez de se recuperar a oficina-escola de bordados do museu, se resolva criar noutro sítio, aquilo que deixamos sucumbir numa das maiores instituições da nossa cidade.
Quanto à criação da Associação do Bordado de Castelo Branco, esta ideia pode vir a tornar-se uma belíssima ideia, porém, primeiro é essencial sabermos quais são os seus estatutos, quais os meios de que dispõe para levar avante o seu trabalho e principalmente, quais as pessoas que a vão gerir nos primeiros tempos, pois como disse um dia alguém, “de boas intenções está o inferno cheio”.
O futuro do nosso bordado, constrói-se no dia-a-dia com pessoas competentes nos lugares certos, por isso lançava aqui um desafio aos fundadores desta associação. Esta associação não pode ser invadida pelo vírus dos amigos do partido ou pelos amigos do “porreirismo”, exige-se que ela tenha à sua frente não uma boa pessoa ou um bom amigo, mas antes uma boa e competente pessoa, pessoa que deve ser conhecedora da história do nosso bordado e acima de tudo, que aceite discutir com os albicastrenses o futuro do nosso bordado. Se assim não for, será mais uma associação igual a tantas outras cujo o marasmo e a apatia levarão à sua extinção.
PS. Este albicastrense só pode pedir a todos os santinhos (embora isto, não vá lá com pedidos a santinhos), para que o nosso bordado possa ter brevemente resultados reais desta criação, e que não aconteça como aquela outra associação (pelo menos que se saiba) que andou anos e anos a proclamar um pseudo certificado para o nosso bordado, mas que na prática apenas produziu um programa informático, com pouca ou nenhuma utilidade para o nosso bordado.
O Albicastrense

12 comentários:

  1. Anónimo14:51

    Quem são os fundadores?

    ResponderEliminar
  2. Anónimo15:34

    Li há uns tempos um artigo de opinião na Reconquista escrito por um albicastrense que achei muito interessante. Basicamente, inspirando-se nos famosos edifícios dos bordados situados na Avenida de Espanha, ele pretendia que fosse criada uma praça na cidade alusiva aos bordados e Castelo Branco. Seria circundada de lojas onde se venderia não só o dito bordado como também produtos típicos da região e onde se poderia localizar também um museu do bordado e a própria oficina com visitas guiadas para que os turistas pudessem ficar a conhecer como este é feito. Todos os edifícios seriam decorados com motivos do bordado de Castelo Branco assim como a própria praça que até poderia ter fontes com pássaros típicos do bordado de Castelo Branco a expelirem água. Quem sabe até pudesse ter edifícios habitacionais em volta decorados de forma semelhante que tornassem a praça numa espécie de mini-aldeia do bordado de Castelo Branco. Tenho pena de não ter guardado o artigo para o poder transcrever mas penso que as ideias chave estão aqui.

    Acredito que se fosse uma coisa bem feita e em grande, não só promoveria imensamente o bordado de Castelo Branco, como se tornaria numa praça de referência e no principal pólo turístico da cidade trazendo muitos visitantes à mesma anualmente. Era algo em que eu apostaria(a médio-longo prazo)se estivesse à frente dos destinos da cidade.

    ResponderEliminar
  3. Caro anónimo.
    Os fundadores são como se pode ler no artigo; a Câmara Municipal, o Instituto Politécnico de Castelo Branco e Adraces.

    ResponderEliminar
  4. Caro anónimo.
    Não conheço nem me lembro de alguma vez ter lido ou tomado conhecimento, de tal proposta.
    A proposta de que fala seria uma espécie de sonho tornado realidade.
    Veja se descobre mais alguma coisa sobre ela.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  5. Anónimo16:21

    O artigo em questão foi escrito por um leitor anónimo da Reconquista e vinha nas últimas páginas do jornal a seguir à secção de desporto por isso é normal que não tenha tido a projecção que merecia e que a maioria das pessoas não o tenha lido. E já foi à cerca de um ano atrás.

    Portanto, mais informação só se recuperasse o dito artigo de opinião, mas não se tratou de mais que isso: uma opinião, igual a muitas outras que se lêem por aí(inclusive neste blog). No entanto, é uma ideia que me agrada e, se for falada entre os albicastrenses, há-de eventualmente chegar aos ouvidos da câmara.

    ResponderEliminar
  6. Caro Anónimo.
    Bem-haja pelo esclarecimento.

    ResponderEliminar
  7. Anónimo22:52

    Relançar, gosto do verbo. Que tretas.Isto foi mais um roubo do sr. Mourão aos seus camaradas...como é o habitual. A fotografia dele é a prova da soberba e da falsa de hu,ildade deste deste presidente.

    ResponderEliminar
  8. A seguir o nosso presidente vai aparecer numa foto com uma criancinha ou com um desempregado, (eles andam por aí, é fácil encontrar um)... Isso é que eram mais votos!

    Que o bordado está mal, já nós sabíamos. Foi degradado durante bastante tempo, e agora nem com Neoblanc Gentil lá vai. As nódoas do esquecimento são as mais difíceis de tirar. Essas e as de café Irlandês com natas.

    Apoio a iniciativa se disser quais as medidas específicas a tomar e qual o propósito da respectiva Associação. É fácil afirmar que algo está mal. O complicado é apresentar soluções.

    ResponderEliminar
  9. A minha metade albicastrense ficou feliz ao ler sobre a salvaguarda do bordado de Castelo Branco ,mas a minha outra metade idanhense também rejubilou... Este bordado , único no país deve , a sua preservação , alegrar todos os beirões...
    Saudações «arraianas »

    ResponderEliminar
  10. Anónimo12:30

    Antigamente apareciam os rostos das bordadeiras nas reportagens, agora aparece o BORDADOR sr. Joaquim Mourão.
    A isto chama-se falta de respeito por quem mantem esta arte da nossa terra. O político devia desaparecer da imagem numa reportagem desta natureza. MAs também a "jornalista" que a assina passa a vida a dar vaselina. Reparem no ar do sr. Presidente de braços cruzados.è assustador. Uma imagem vale mais do que mil palavras.Ma so que tinah foicado bem era uma boa foto do bordado e não mais uma do sr. Mourão.

    ResponderEliminar
  11. Vejo que muita gente está com vontade de se livrar do idanhense ... Olhem , eu como idanhense que também sou ,não me importava nada que ele além de regressar à terra ,regressasse à câmara...É assim a vida ....

    ResponderEliminar
  12. Anónimo21:26

    Está a ver mal a coisa Srª Sonhadora. Se quer apoiar o regresso de Mourão à Câmara da Idanha tem todo o direito. Agora tem de concordar que não foi uma reportagem feliz. Quem devia aparecer na fotografia eram as bordadoras e não o Sr. Mourão que é pago ( e bem) para "tratar " das coisas com o nosso dinherinho. Mss ele lá sabe o que anda a fazer...

    ResponderEliminar

A RUA DA MINHA ESCOLA – (VII)

        (ESCOLA DA SENHORA DA PIEDADE)                          O que sabemos nós da rua da nossa escola primária? João Evangelista...