terça-feira, julho 25, 2017

DESCOBRINDO CASTELO BRANCO ANTIGO – (II)

UM LOCAL BEM DIFERENTE NOS DIAS DE HOJE

Esta é uma imagem captada na década de cinquenta ou sessenta do passado século.
Ela mostra-nos um local da terra albicastrense que os mais novos terão algumas dificuldades em descortinar, no entanto, para os mais velhos será sem dúvida tarefa demasiado fácil. 
Eu conheci este local como a imagem documenta, sitio  por onde ali deambulei muitas e muitas vezes e do qual guardo muitas recordações.
O local está hoje muito diferente, porem, é possível ver-se nesta imagem coisas que ainda hoje estão no mesmo sitio.
Para quem conheceu o local como a imagem o documenta e queira partilhar recordações, pode deixa-las aqui, pois um dia destes, não haverá ninguém para contar histórias do tempo que a imagem mostra.
O Albicastrense

3 comentários:

  1. Anónimo16:48

    rua que vai do Kalifa para a sra da piedade, a ladear o antigo quartel da devesa

    ResponderEliminar
  2. Amigo
    A Rua da Senhora da Piedade era a única via que dava acesso à estação do caminho de ferro, pois ao cimo dela virava-se à direita e tomava-se a chamada Quelha da Estação, hoje rua João Evangelista.
    Nessa rua só no lado ascendente havia casas e numa delas,nas primeira que se vêm moravam o Sr Tavares, pessoa que era talhante no mercado municipal e fiscal no antigo Cine-Teatro Vaz Preto e também no cinema ao ar livre que existia no parque da cidade - durante o verão - Bons tempos que acabaram por ser levados pelo vento. Morava ainda o sr Boiadas logo a seguir e depois havia uma oficina metalúrgica.No final, onde hoje está um banco havia a residência de uma pessoa abastada. Ainda se vê o grande Hotel de Turismo da cidade. Mais um atentado que a cidade sofreu com promessas vãs. Também se observa ao fundo o antigo mercado municipal e todo resto dos edifícios visíveis, ainda se mantêm, alguns deles em mau estado de conservação.
    Um abraço
    JJB

    ResponderEliminar

MEMÓRIAS DE OUTROS TEMPOS - " O JÚLIO RAMOS DO CAFÉ ARCÁDIA"

O jornal “ Beira Baixa ” publicou em 1944, a pérola que aqui estou a postar.                            Não há no Mundo maior palp...